Crivos de prova e contra-prova

10. Para o PÚBLICO este não é um episódio encerrado e muito menos um sillygate, razão pela qual os nossos jornalistas continuam a trabalhar para reunirem a documentação e/ou os testemunhos que nos faltam para sustentar as outras informações que possuímos mas que ainda não estão em condições de serem reveladas pois não passaram por todos os crivos da prova e contra-prova.

Joaquim Vieira, finalmente, começou a pronunciar-se acerca da inventona que une a Presidência da República e o jornal de Belmiro de Azevedo. É uma leitura que fica como dever de cidadania, e a qual expõe a pulhice do Zé Manel e dos jornalistas que o servem. Espantosamente, como se pode ler supra, o director do Público, um jornal transformado em arma de vingança contra Sócrates por este ter ousado afrontar um empresário poderoso, diz que tem mais informações relativas às supostas escutas em Belém e espionagem do Governo sobre Cavaco e Casa Civil. Faltarão só uns certos crivos de prova e contra-prova. Se forem os mesmos usados para a notícia das escutas e do agente no Funchal, em Agosto, por certo nada impedirá que a mais acéfala conspiração do regime conheça novos capítulos nas próximas duas semanas, sem falta.

6 thoughts on “Crivos de prova e contra-prova”

  1. não estejas para aí com choradinhos , V. tens o DN que dá uma visão tão distorcida da cena como o Público , só que ao contrário. Nunca te queixas das palas do DN . E , aliás , qual o problema do Público? não podem defender aquilo de que gostam? tu fazes o mesmo , não sei se já reparaste. A tua isenção é nula , logo , não tens moral para criticar seja quem for.
    Ps ) o correio da manhã , o dos crimes , pasme-se , é dos mais isentos , dá uma no cravo , outra na ferradura. se calhar é por isso que vende mais , dá para os dois lados. nunca consegui odiá-lo.

  2. Não caro MF, vexa está francamente enganado. Que o DN faça uma cobertura normal (com toques inegáveis de benefício para a oposição) é uma coisa, agora entrar directamente numa deriva de calúnias e assassínio de carácter é outra completamente diferente. Veja lá vexa o seguinte: não acha estranho que ninguém esteja a utilizar a caixa trazida pelo Louçã a respeito do assessor do Presidente da República? Não acha? Bom, não estaremos de facto perante uma “asfixia democrática” quando um certo poder oculto influência os nossos jornalista desta forma? Outra coisa, vexa deve ser daqueles que acha ter a Manela Leite empatado o debate, não?

  3. A direita ranhosa…existe

    “Esta é a parte mais difícil. É o momento em que os interesses especiais, as companhias de seguros e as pessoas que querem matar a reforma usam tudo o que têm à mão”, disse Obama, às 15 mil pessoas que o ouviam no Centro Target, em Minneapolis. Sem gravata, mangas arregaçadas, num estilo de pregador, alertou: “É agora que espalham toda a espécie de rumores para assustar e intimidar o povo americano. É o que fazem sempre”. E, num apelo que levou a assembleia ao rubro: “É por isso que preciso da vossa ajuda.”

  4. o zé manel é mesmo um pulha. podia simplesmente dar a sua opinião contra o governo. mas não! é um actor pérfido na conspiração contra o governo. tenta, ele próprio, fabricar os casos. é a cegueira, é o ódio, é a mente doente . que rico filho da puta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.