Coitadinhos dos açorianos

É bem sabido que Carlos César gastou o que tinha e o que não tinha (mas mais do que não tinha, claro) na construção de altos muros em betão armado com que cercou o arquipélago. A intenção era só uma: impedir que chegassem aos delicados tímpanos dos ilhéus as escabrosas notícias vindas de Lisboa. Foi assim que os açorianos foram votar neste domingo, completamente a oeste da verdade continental. E agora temos de nos interrogar acerca da legitimidade desse acto eleitoral.

Como pode um cidadão votar em consciência e liberdade se ninguém ainda lhe disse que Sócrates falcatruou projectos de casas na Guarda, embora tal não tenha sido provado nas investigações feitas pelas autoridades, que Sócrates obteve a sua licenciatura através de irregularidades académicas, embora tal não tenha sido provado nas investigações feitas pelas autoridades, que Sócrates recebeu dinheiro para aprovar o Freeport, embora tal não tenha sido provado nas investigações feitas pelas autoridades, que Sócrates mandou a PT comprar a TVI para conseguir transformar os portugueses em zombies e despedir a Moura Guedes, embora tal não tenha sido provado nas investigações feitas pelas autoridades nem o Rei de Espanha o confirme nos intervalos em que não anda a despachar elefantes, que Sócrates espiou Cavaco na Madeira e em Belém, embora tal só se explique em pastelarias seleccionadas da Avenida de Roma, que Sócrates entre 2005 e 2011, ou entre 2008 e 2011, ou entre 2010 e 2011, encheu Portugal de auto-estradas, fundações, aeroportos e linhas de TGV, o que fez com que os mercados ficassem muito zangados connosco e também com os gregos e os irlandeses e os espanhóis e os italianos e ainda com os cipriotas para já, que Sócrates mentia que se fartava e que andou a engonhar meses e meses e meses, ou anos, o que nos impediu de ter o laranjal a ir além da Troika muito mais cedo e com resultados ainda mais melhores bons do que os actuais?

Coitadinhos dos açorianos. Voltaram a meter-se nas mãos de uns aldrabões, uns broncos, uns loucos como nunca se viu nem se julgava poder ver neste país com a gente séria mais séria do Mundo.

9 thoughts on “Coitadinhos dos açorianos”

  1. viram o louceiro em campanha nos açores, mas não o apanharam no discurso de derrota, quem fez o frete foi o fazenda. gostei bués do discurso de mau perder do gerómino, táva com umas trombas que até parecia o cavaco no dia em que o marcelino publicou a novela das as escutas a belém. “vão-se arrepender de ter votado ps” disse o cromo, para justificar ter ficado reduzido a um deputado e depois têm a lata de andar a apregoar e dar lições de democracia. bora lá convocar uma grandiosa manif nacional de desagravo nos açores, a cgtp trata da logística das caminetas de velhos & reformados, estacionam no pico e vão arrebanho para a horta.

  2. O eleitorado dos Açores é no geral conservador,mas perante a evidência dos factos, obra feita, estado social, contas controladas, total liberdade de expressão, tudo isto em contraste com o que passa nos resto do país, o que seria de esperar que não fosse este resultado.
    Nos Açores as pessoas percebem bem tudo isto e sabem diferenciar quem os melhor representa. No concelho de Ponta Delgada, bastião de Berta Cabral a nível autárquico, onde só não venceu numa freguesia, num total de vinte e tal, nestas eleições o PS ganhou por mais de 50% dos votos. É aqui que reside a diferença da postura do povo açoriano, sabe discernir, sem partidarites, o que melhor lhe convêm, contrariando todas as projecções que apontavam para uma maioria relativa.

  3. As pessoas dos Açores podem ser as mais sérias do mundo, mas as vacas riem-se à descarada quando vêem o presidente.

  4. Os Açorenos e os Madeirenses vêm mais de olhos tapados do que no cont´nénte que em vez de óculos usa-se antrolhos.

    Num lado o Alberto João sai quando estiver cansado, e no outro lado idem aspas, os que sairam foi quando familiarmente resolveram sair.

    Nas ilhas adjacentes só há um partido, que lhe chamam “os nossos”!

  5. Caro Carlos Sousa, Nos Açores as vacas riem-se do presidente…, mas por ele afirmar, que mais sério do que ele, não há e por ser, realmente, digno de riso.
    Caro Rural, não sei se percebeu que estas eleições dão perceber a postura destes dirigentes.
    O novo presidente, não é o mesmo do anterior mandato, que saiu, não por estar cansado e nem por razões familiares, mas por achar que era tempo de dar lugar a outro, precisamente o contrário do que sugere.

  6. “povo açoriano, sabe discernir, sem partidarites”

    Pois é jv, é isso só que eu quero dizer dos Madeirenses e Açoreanos, o partido “dos nossos”,

  7. Engraçado esta Malta que vai aos Açores nas promoções da Abreu, pensa que faz a mínima ideia do porque do povo ter votado ou não PS. O sotaque serve de piada, mas o nível de vida que se tem por lá é prato frio suficiente para o que se vive no contenente. Pode ser que um dia alguns de vós, alfaces, reconheça o pedaço de céu que ainda é Portugal.

  8. Com 52,12% de abstenções. o verdadeiro grande vencedor foi o abstencionismo.

    Uma verdadeira vitória de Pirro para o PS.

    Porque se vangloriam por uma vitória que não é mais do que isso, uma verdadeira vitória de Pirro?
    Não repararam que o povo lhes voltou as costas e que os seus votos são os dos seus sequazes apaniguados, dos fanáticos militantes e dos fundamentalistas religiosos. Para não falar na massa bruta que segue a devoção ao partido quaisquer que sejam as barbaridades que este faça, como se de um clube de futebol se tratasse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.