Circularidade do quadrado

Notas impressionistas tiradas da última edição da Quadratura do Circulo:

– Pacheco continua a prometer toda a verdade a respeito do satânico Sócrates para um futuro indefinido. Até lá, ele suporta sozinho o peso dessas revelações que um dia deixarão os portugueses horrorizados e abalarão os pilares da História. Pelo meio, sempre que lhe falam na “Inventona das Escutas” entra em modo Octávio Machado, ri-se nervosamente enquanto abana a cabeça e deixa no ar a certeza de que também aí há segredos por revelar que, um dia, um dia, mostrarão como foi o desleal Sócrates quem convenceu o Lima dos lanches na Av. de Roma a entregar ao Zé Manel o servicinho estival e que o pobre do Cavaco, mais uma vez, não foi informado dessas démarches pelo ex-primeiro-ministro, tal como era sua obrigação constitucional.

– Lobo Xavier conseguiu aumentar a lista de celebridades criminosas com que a direita adora comparar Sócrates. Já tínhamos tido direito ao Saddam, ao Hitler e até ao Drácula. A partir da noite passada temos também Bashar al-Assad à disposição. Quem se seguirá? Lex Luthor? O Anticristo?

– António Costa lembrou que Cavaco usou a Imprensa Nacional Casa da Moeda para deixar um documento da Presidência da República onde se faz um ataque ad hominem e se podem ler inconfidências a respeito dos encontros entre um Presidente da República ainda em funções e um primeiro-ministro agora retirado da actividade política. A este facto devemos juntar aquele lembrado por Augusto Santos Silva relativo à situação, na passada segunda-feira, em que Cavaco justificou as acusações a Sócrates: estava a bordo de um navio da Marinha e tinha militares fardados ao seu lado. Juntando as peças, podemos concluir que ao falarmos da decadência da direita, de quem Cavaco é a sua mais importante e representativa figura, não estamos no campo da metáfora, estamos é a usar um educadíssimo eufemismo.

6 thoughts on “Circularidade do quadrado”

  1. Tal e qual. No que toca ao Pacheco, nunca será demais lembrar que é um dos poucos que teve a coragem de tomar conhecimento dos planos secretos do novo Napoleão do Crime, através da audição das escutas, ao abrigo do seu mandato parlamentar e no interesse de todos nós, os concidadãos que o elegeram. Não duvido que o seu sacrifício pessoal, ao arriscar-se, por amor à Pátria, a passar por bufo e traidor aos seus próprios princípios, tenha sido dos mais elevados. A única dúvida que me continua a roer passa pela incompreensível manutenção do segredo: por que razão não divulga ele o que sabe, em vez de continuar a dar de ombros e olhar para o céu, assim como quem suspira: «ah, se vocês soubessem o que eu sei…»?

  2. “A este facto devemos juntar aquele lembrado por Augusto Santos Silva relativo à situação, na passada segunda-feira, em que Cavaco justificou as acusações a Sócrates: estava a bordo de um navio da Marinha e tinha militares fardados ao seu lado”.

    Muito bem observado: Clap Clap Clap

  3. “por que razão não divulga ele o que sabe, em vez de continuar a dar de ombros e olhar para o céu, assim como quem suspira: «ah, se vocês soubessem o que eu sei…»?”

    Fácil. Porque sabe o que todos nós sabemos. Que não há nada naquelas escutas.
    Este jogar ao toca e foge só convence os burros que se acham espertos porque são adeptos da teoria da conspiração. Tantas horas gastas a acalentar a existencia de conluios e aldrabices para depois ver a realidade desmentir tudo aquilo em que se acredita. Epá, compreendo o Pacheco, é coisa que mexe com a cabeça de qualquer um!
    Pacheco esquece-se é que mais uma pessoa teve acesso ás mesmas “confidencias ” que ele…

  4. Gato Vadio, é verdade que sim, mas essa pessoa foi delegada às escutas — ao lado do Pacheco, que representava não só o povo da Pachecolândia, mas os próprios ouvidos justicialistas da Divina Providência, ansiosos por saber mais sobre o assunto — pelo Partido Comunista, parte interessada na defesa de José Sócrates, a todo o custo e sem olhar a meios.

    Aliás, estou em crer que uma parte do silêncio aparentemente indiferente do Pacheco tem justamernte a ver com a sua cultura teológica, o seu conhecimento da escolástica judicial marxista-leninista e a sua compreensão profunda da eternidade e dos processos do Julgamento Final, tão bem imitados pelas miríades de processos anti-Sócrates que inundam as páginas da nossa bem-aventurada imprensa diária.

  5. está se a lembrar de quando era dirigente da AOC alinça operária e camponesa e dizia mal de tudo e de todos mas um dia a história encarregar-se há de lhe dar o destino que esta gente que se acha séria merece

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.