Cavaco merece uma estátua que registe o seu exemplo

Como o Miguel muito bem aponta, Cavaco recusou pronunciar-se a respeito das declarações de Sócrates que o visavam dizendo:

Há uma coisa que um Presidente da República nunca faz: é comentar comentadores.

Ora, há outra coisa que Presidente da República algum havia feito antes de Cavaco. Essa de atacar um ex-primeiro-ministro. A propósito de uma situação de suposto protocolo e onde a ligação ao contexto de responsabilidade presidencial é omitido e branqueado. Por fim, fazendo esse ataque solenemente, oficialmente e por escrito.

Mas o que mais importa neste episódio é o facto incontornável e inegável: Sócrates falou de Cavaco numa entrevista, a primeira depois de ter cessado funções governativas. Sócrates falou como um ex-primeiro-ministro que foi alvo de uma difamação inaudita por parte de um Presidente da República ainda em funções.

A hipocrisia, sonsice, pulhice e cristalina imoralidade de Cavaco deviam ser preservadas para as futuras gerações nelas se puderem arresinar na forma de uma estátua a colocar por sorteio numa qualquer lixeira. Contem comigo para comparticipar nos custos da obra.

16 thoughts on “Cavaco merece uma estátua que registe o seu exemplo”

  1. João Pedro, estás a dizer que os 150 mil empregos não foram criados? Se sim, qual a fonte da tua informação? E se não foram criados 150 mil, sabes quantos empregos foram criados por Sócrates?

    Conta-nos lá, que é para aprendermos contigo.

  2. Com efeito, é o comportamento sonso de um montanheiro! Na mesma altura
    garantiu que tudo corria pelo melhor no País, veja-se o des-governo venceu
    folgadamente a moção de censura … o resto é o barulho do costume e, por
    favor não me interrompam a viagem, mais uma, programada para a América
    do Sul, onde vou vender gasóleo e sardines!!!

  3. e confunde moções de censura com moções de confiança

    “A Assembleia da República, há apenas dois dias, acabou de confirmar a confiança no Governo, o que significa que, de acordo com as regras do regime democrático que temos, o governo tem toda a legitimidade para governar”

  4. O difícil seria representar em estátua uma envergadura moral de tão baixo nível. Depois das tristes figuras que tem feito, só mesmo um monte de esterco, teria a dimensão da estatura moral e ética deste tipo.
    Ó Bento, em França o PR demarca-se indignado dos aldrabões que o rodearam, por cá levam-nos para o Conselho de estado e protegem-nos, não por ter contas na Suíça, mas do maior roubo século que andamos todos a pagar.
    Não esquecendo que este PR ainda não explicou os ganhos com acções do BPN ou como pagou a Casa da Coelha!
    São pequenas grandes diferenças! Não são?

  5. Neste blogue aprende-se muito.
    Fiquei a saber que o Sócrates cria empregos. Estão a falar dos jobs for the boys?
    Em economia na faculdade ( publica, das boas) aprende-se que o que cria emprego é a procura, mas hoje ja nao sei o que lá se ensina.

  6. Bento, tens de discutir esse assunto com o Jerónimo de Sousa. Ele, se tiver tempo, irá explicar-te o programa do PCP para a criação de emprego de uma forma tão simples que até tu, com sorte, vais entender.

  7. Ó Val, achas mesmo que o Bentinho entenderá? Olha que não sei, homem. É que para aquelas cabecinhas, tudo o que estiver para lá dos amanhãs que cantam e da Coreia do Norte ser um país democrático, está para lá do entendimento deles, portanto….

  8. bento, josé socrates criou 80 mil empregos,o que não é a mesma coisa do que destruir um milhão (oficiais) fora os que já nem procuram.os 150mil era um objectivo,que seria alcançado se não fosse a crise que “só teve o seu inicio” em junho de 2011″”…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.