Bute aí dizer verdades

Não sei quem é o responsável pela comunicação da campanha do PSD, muito menos quanto ganha, mas sei que está a ganhar demais, mesmo que esteja a trabalhar à borla. Veja-se esta real bosta:

prometam só o que podem cumprirfaçam política com as pessoasolhem por quem mais precisaportugal não pode ficar hipotecado

Para isto ter conhecido a luz do dia, magotes de cérebros sociais-democratas deram instruções nervosas a magotes de músculos no pescoço em ordem a produzir um movimento vertical de assentimento às suas cabeças. E lá saiu o mais recente manifesto do atrofio nacional. Estamos perante quatro mensagens que retratam o futuro de Portugal se visto por uma clarabóia de um prédio de 2 andares na Lapa. É o ai Jesus que estamos falidos e desorientados, agarrem-se que vamos a pique em direcção ao inferno.

A minha mensagem preferida é Façam política com as pessoas. Gostava de falar com o seu autor, em alternativa com as pessoas dentro do PSD que acharam por bem lançar esse repto às pessoas fora do PSD. Gostava de compreender. No fundo, gostava de conseguir passar pelo cartaz e não sentir esta sufocante culpa. Quem é que não está a fazer política com as pessoas? E andam a fazer politica com o quê, em vez das pessoas? E que podemos fazer para acabar com isso? A problemática aflige-me uns minutos todos os dias.

Terem feito quatro cartazes que se distinguem apenas pelo inane conteúdo verbal, e onde a Manela aparece como uma avantesma, vai bem com a realidade deste partido: é a crise da social-democracia à portuguesa, a falência da inteligência política.

15 thoughts on “Bute aí dizer verdades”

  1. «Mención especial merecen los carteles de Ferreira Leite que jalonan las carreteras portuguesas. “Não desista. Todos somos precisos”, reza. Pero la desolada foto en blanco y negro de la candidata, sin maquillar, podría hacer pensar a los turistas que visitan el Algarve que se trata del mensaje de una asociación de apoyo a la tercera edad o de prevención del suicidio.»
    Jordi Joan, La Vanguardia

  2. Esses cartazes são golos na própria baliza, devias estar contente. A Manuela só vai fazer o pleno dos votos das alminhas bem intencionadas que dão esmola aos pobrezinhos à saída da missa. Esmola pequenina para não ficarem hipotecadas…

    A mim o que me chama a atenção nestes cartazes não é tanto a inépcia publicitária, é terem sido concebidos como eco de supostos recados que a dama supostamente ouviu nos seus périplos pelo Portugal profundo. Ela abdica de ter um discurso na primeira pessoa, porque isso é próprio dos políticos. Opta por travestir o seu discurso de conselhos sensatos do bom povo anónimo. Demagogia pura e cristalina.

    Sempre a mesma mensagem: eu não sou política (como Salazar). A política é desumana (façam política com as pessoas). Nada de promessas, que é coisa dos políticos. Ou seja: nada de programa de governo, que isso só serve para ser analisado por quem não deve.

  3. Devem ser os mesmos “criativos” das europeias, frases tão brilhantes como esta:
    As famílias portuguesas à frente das europeias. Assina por baixo?

  4. sem maquilhagem? aquilo está carregadinho, ou então é photoshop. Eu até fico constrangido. Mas se a senhora ganha é divórcio entre mim e Portugal, todo o meu amor irracional e a modos que fatal pelo meu país não teria sido mais que um bruto equívoco, e às vezes acontece.

  5. eu tenho que votar contra ela, até para o próprio bem dela passe a expressão, senão é de caixão à cova. Mas ainda não sei aonde que o PS deixou-me entalado com uma coisa. Vamos com calma, agora é jantar: massinhas recheadas de queijo e espinafres com presunto cozido e uma torta de azeitão. Pum.

  6. Populismo barato.
    Uma pobreza confrangedora de ideias atafulhada de significados contraditórios. Não prometem nada mas vão olhar por quem mais precisa. Vão fazer política com as pessoas mas a obsessão continua a ser a do défice e do endividamento do estado. Pensamento linear e muita lógica. Mais um pouco de caridade e muita fé na verdade e temos uma receita gasta de tanto batida.

    A senhora disse em tempos que não gostava de lojas dos trezentos porque só tinham porcarias que não serviam para nada. Afinal parece que até gosta de porcarias que não servem para nada. Se calhar, têm é que ser caras.

  7. «obsessão continua a ser a do défice e do endividamento do estado», sim, mas não é pela coisa em si, o tal estudo dum académico de uma universidade norte-americana veio mostrar que o psd gasta muito mais dinheiros públicos que o ps, com a ferrugenta à cabeça pois claro. O que eles querem é o pretexto do défice para:

    1. tentarem correr com o ps,
    2. fazerem grandes negócios à conta disso, com os clubes de juristas e economistas a serem pagos como nababos,

    claudia: não te apoquentes que ainda falta tempo, e podes sempre votar branco ou meter um traço de cima abaixo e é nulo.

  8. Pego numa frase de Z “Mas se a senhora ganha é o divórcio entre mim e Portugal…”. Permite-me que a faça também minha. Meu Deus será possivel voltar ao cavaquismo, agora em segunda mão, podre, bafiento, saloio? Um cavaquismo que está na origem de tudo. Se a carunchosa ganhar (cruzes, canhoto!) resta-me perguntar como foi esta gente capaz de deixar passar a oportunidade de mudar este país e de correr de vez com toda a casta de marajás e corporações que o infestam? Se a carunchosa ganhar e com ela todos os bafientos que as listas do PSD trazem novamente à ribalta, só terei de gritar que somos na realidade UNS MERDAS. Estive tantos anos exilado na minha própria pátria, lá terei que me exilar outra vez.

  9. amigo Afonso, vamos ter esperança, caramba! Que mal fizémos ao mundo para merecer tal coisa antiga e entranhada nas gavetas mais bafientas da memória? Como se fora um fungo. Só para ser julgada de uma vez por todas como reprovada.

    Eu irei sempre partir, mas numa hipótese levo Portugal no coração, noutra não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.