Arca da governação

A democracia consiste numa ideia simples que tem o potencial para gerar as maiores complexidades políticas possíveis. A oligarquia consiste numa ideia complexa que ambiciona gerar a maior simplicidade política possível. A tirania consiste numa ideia demasiado simples que quase sempre gera consequências demasiado violentas. A aristocracia consiste numa ideia demasiado complexa que quase nunca consegue gerar a excelência que o seu conceito promete.

O espaço público está dominado por uma imprensa que, em diversos graus e modos, rema toda no mesmo sentido. Quando lemos os seus editorialistas, os quais sintetizam práticas internas e diárias no tratamento da informação pelas equipas de jornalistas que dirigem ou formam, o apelo é para a capitulação de Costa aos troika-tintas Pedro&Paulo&Aníbal. A arma que usam é o medo, tal como foi feito durante a campanha por uma coligação sem programa nem vergonha, só gula de poder. E chega a ser hilariante descobrirmos agora tanto direitola em pânico com a perspectiva de o PS se estar a preparar para desaparecer às mãos dos comunas e daí resultar um período de 10 anos, mínimo, só com maiorias absolutas da direita. Eles bem avisam aos berros, coitados.

O “arco da governação”, a ter desaparecido, tem um único responsável: PCP. Caso nesta altura o Jerónimo continuasse a tocar a cassete da “farinha do mesmo saco”, não haveria Catarina com tamanho e embalo suficientes para dar a Costa uma base política que servisse os interesses do País. Por aqui, por esta ofuscante facilidade com que se consegue mudar por completo de paradigma no sistema político português, se pode constatar quanto tempo foi perdido graças ao sectarismo de uma esquerda cristalizada numa visão religiosa que não passava de pulsão defensiva animalesca. Por estes dias, sabermos que comunistas e bloquistas são capazes de negociar com o PS abre um campo de possibilidades que beneficia tudo e todos, excepção para os adeptos de oligarquias e tiranias.

Negociar, como o étimo indica, passa por ser capaz de abandonar o ócio ideológico causador de perversidades políticas. Negociar, numa democracia, é o equivalente ao jogo evolutivo na Natureza, feito de acasos e necessidades. E de necessidades e de acasos. O aumento da complexidade resultante favorece o aparecimento de soluções de governo mais eficazes para o maior número de organismos políticos, cidadãos mas também instituições.

Esta é a arca da governação. Tão melhor quão maior. Maior até ao ponto de nela caberem todos os que livremente queiram lá entrar.

24 thoughts on “Arca da governação”

  1. A “maior bancada parlamentar” a que se refere Catarina Martins é a dos 3 partidos de Esquerda !
    Eheheheheh ! Veremos se conseguem ! O segredo é a alma do negócio.

  2. Tanto o avô Jeropiga como as meninas têm de perceber que se querem de facto convencer o resto do mundo do que quer que seja, têm eles próprios de progredir e procurar libertar (e libertar-se!) em vez de submeter. Devagarinho se vai ao longe.

  3. Estou muito, mas mesmo muito preocupado com a saúde do Rodrigo Guedes de Carvalho, pivot da SIC. Depois de, com comovente amor e carinho, andar ao colo com a bem alimentada ministra das Finanças durante uns 15 ou 20 minutos, no Jornal da Noite de ontem, o pobre rapaz deve ter ficado com uma boa meia dúzia de hérnias discais. E, a avaliar pelos abundantes cardumes de mui prestimosas e ternurentas gentes que lhe seguem o exemplo, não tarda nada, nadinha, o Serviço Nacional de Saúde rebenta pelas costuras.

  4. Caramba, eu pensei que tivessem erradicado a batéria em VFX..mas o cagalhaço, o «fezes» ambulante, continua a pastar na trampa que produz…

  5. Jasmin Silva
    20 DE OUTUBRO DE 2015 ÀS 17:16
    A “maior bancada parlamentar” a que se refere Catarina Martins é a dos 3 partidos de Esquerda !
    Eheheheheh ! Veremos se conseguem ! O segredo é a alma do negócio.»

    A BURRA escoiceou. Fê-lo de forma histérica, como sempre. A BURRA deve ser fechada, é um incentivo ao pontapé no focinho…e temos TODOS de contribuír para a gestão dos inquéritos criminais, que é para as viúvas de Sócrates terem o seu IMACULADO despachadinho….e se acabar de VEZ com alguns bronzeados na TÉBÈ.
    Hum. Deves ser como o taco de pia bloquista – não deves conseguir comprar pensos higiénicos, vão achar que és mais um «maluco».

  6. “A porta-voz do BE, Catarina Martins, considerou este sábado não ser preciso “inventar muito” porque a Constituição “é clara” e o Presidente da República “chamará o partido que tiver a maior bancada parlamentar para formar um Governo”.

    PORTANTO, temos de fazer novamente eleições, para sabermos quanto é que o CDS e PSD alcançaram de per se…Caso contrario, haverá discriminação…ai que hilário, estes ESQUERDALHAS…
    Há formalismos, pois há…mas nem todos sabem…Caramba, o conceito de «vitória eleitoral» é apenas plástico…mudou – assim o diz o saber dos ESQUERDALHAS….

  7. ó fascista, se te doi diz à paulette para por vaselina. vais ficar sem gamela onde comer, vais ter que andar aos caixotes outra vez… pela maneira como te coças nota-se que estás desesperado!

  8. Notícia de última hora: José Manuel Fernandes e Duarte Marques abandonam o país. Emigraram para a Gronelândia para ensinar os pinguins a escrever português. Piegas, não aguentaram.

  9. O chafurda ceguinho, coliforme hiperactivo que reza a um deus gordo e que leva no cu e lhe segue freneticamente o exemplo, tem vários hobbies:

    Hobby 1 – Ir para a porta dos lares da terceira idade e seguir os velhotes e velhotas quando saem à rua. De cada vez que um deles escorrega e cai, o que acontece com relativa frequência, o chafurda ceguinho vai a correr para trás de uma moita e bate uma punheta. Se o velhote ou velhota parte o colo do fémur, o chafurda ceguinho bate duas punhetas e bebe uma garrafa de mijo de ratazana para evitar a desidratação.

    Hobby 2 – Rondar os pátios de recreio de infantários e escolas do ensino básico e abordar sub-repticiamente os putos mais fortes, a quem oferece 50 cêntimos para baterem nos mais fraquinhos. Quando é bem-sucedido, vai a correr para trás de uma moita e bate uma punheta. Se um dos putos se irrita com a proposta, sai do pátio de recreio e lhe dá dois estaladões no focinho, o chafurda ceguinho corre ainda mais depressa para trás da moita, bate duas punhetas e bebe uma garrafa de mijo de ratazana para evitar a desidratação.

    Hobby 3 – Esconder-se durante a noite nos viadutos das auto-estradas e atirar pedras aos carros que passam em baixo. De cada vez que acerta, vai a correr para trás de uma moita e bate uma punheta. Se o carro atingido se despista e do acidente resultam feridos graves ou mortos, o chafurda ceguinho bate duas punhetas e bebe uma garrafa de mijo de ratazana para evitar a desidratação.

    Hobby 4 – Peidar-se nas caixas de comentários do Aspirina B. A cada dez peidos, o chafurda ceguinho vai a correr para a casa de banho e bate uma punheta atrás de uma moita que instalou num vaso ao lado da cagadeira. Se alguém lhe dá conversa na caixa de comentários, bate duas punhetas atrás da moita e bebe uma garrafa de mijo de ratazana para evitar a desidratação. Senhor de uma imaginação equivalente (trade mark Lusófona) à da cagadeira onde passa a maior parte do tempo a alimentar-se, o chafurda ceguinho instalou um engenhoso dispositivo com uma guita atada às caixas de comentários. De cada vez que pinga um comento, a guita acciona uma bateria ligada aos seus (dele, chafurda ceguinho) patéticos entrefolhos, provocando-lhe um choque eléctrico que o faz correr imediatamente para a moita da cagadeira, onde bate mais duas punhetas e bebe uma garrafa de mijo de ratazana para evitar a desidratação.

    Fontes:
    National Geographic Channel, Blind Chafurdas Division
    “O Chafurda Ceguinho Passeia por Aspirina B, a Magnífica, o Seu Fedor”, autor desconhecido

  10. “Por aqui, por esta ofuscante facilidade com que se consegue mudar por completo de paradigma no sistema político português, se pode constatar quanto tempo foi perdido graças ao sectarismo de uma esquerda cristalizada numa visão religiosa que não passava de pulsão defensiva animalesca.”

    O tempo perdido pertence ao PS que sempre preferiu coligar-se à direita. Isto é um facto. Ainda nesta altura sabemos que importantes militantes e dirigentes socialistas falam na comunicação social contra uma aliança de esquerda.

  11. Se houver um acordo entre PS, PCP e BE, vocês têm a certeza sobre o voto de todos os deputados do PS numa moção de rejeição caso o governo do puf seja indigitado? Têm a certeza que Assis vai votar a favor da rejeição? Têm a certeza que Sousa Pinto também votará a favor da rejeição? E não haverá mais parlamentares socialistas que poderão contribuir para viabilizar o governo do puf? Eu não estou certo de que não haja deputados do PS capazes de no Parlamento ir contra António Costa se ele aparecer com a aliança de esquerda.

  12. O que é que tem uma câmara municipal, que não tem capacidade de traçar políticas nacionais, a ver com o governo do Estado?

  13. O João

    O Assis NAO TEM VOTO na matéria porque não é deputado. A mesma coisa para o Álvaro Beleza.
    Quanto aos 2 insignificantes Sousa Pinto e Brilhante Dias existe uma coisa chamada DISCIPLINA DE VOTO em votações para viabilizar governos e orçamentos! Não se atrevem a desobedecer porque são dois imbecis sem préstimo e se o fizerem liquidam as suas insignificantes carreiras políticas.
    Espero ter respondido as suas inquietações e angústias.
    Neste momento já é óbvio que há acordo, é óbvio que a Comissão Política do PS vai aprovar o acordo e a disciplina de voto na AR garante que o Governo dos estarolas vai cair com enorme estrondo!

  14. “O tempo perdido pertence ao PS que sempre preferiu coligar-se à direita. Isto é um facto.”

    O que é um facto é que os partidos à esquerda do PS durante 40 anos fizeram da guerra ao PS a sua principal actividade, ao ponto de fazerem de idiotas úteis da direita por várias vezes, nomeadamente no chumbo do PECIV que teve como consequência absolutamente previsível exactamente aquilo que rejeitaram multiplicado por 100 e 4 anos de governo da gente mais miserável que portugal já pariu. Felizmente parece que aprenderam qualquer coisa com o erro, e também já estava na hora de acordarem para a vida e se tornarem gente crescida e responsável que assume a despesa de contribuir para uma sociedade construída em torno da social democracia, através do dialogo, negociação e cedências. Não foi fácil retirar o PSR do bloco enquanto lá andava o louceiro. Vamos lá ver se foi desta.

    40 aninhos atrás da barricada. É obra.

  15. Infelizmente para as teses do tachus cuelho o PS fez um referendo interno sobre com quem se coligar nos anos 80 e os socialistas prefriram a direita. O PS realmente existente tem preferido sempre a direita.

    Já o PCP, nunca tendo deixado de fazer oposição à sua direita, o que inclui o PS, apoiou a reeleição de Mário Soares contra a direita do PS.

    O próprio Sócrates vangloriava-se do apoio de Merkel ao seu PECIV sem se importar que Merkel fosse uma conservadora de direita.

  16. “O próprio Sócrates vangloriava-se do apoio de Merkel ao seu PECIV sem se importar que Merkel fosse uma conservadora de direita.”

    tu é que és conservador e na versão fóssil da revolução de outubro, compra uma televisão a cores e instrói-te.

  17. Continuas escondidinho atrás da barricada João pontinho. O que ainda não percebeste é que essa barricada já só existe mesmo dentro da tua cabeça. O mundo evolui, as pessoas mudam, mas isso é coisa que pelos vistos não te assiste!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.