Algumas evidências

Apesar do nevoeiro de guerra, e da curiosa situação de não existir ninguém neste planeta acabadinho de chegar aos sete mil milhões de camurços que consiga explicar o que se passa na Europa, a verdade é a de que temos à disposição algumas evidências com que nos orientarmos. Ei-las:

– É evidente que a situação de emergência nacional, com intervenção estrangeira a forçar uma austeridade radical, era o cenário desejado por aqueles que sabiam nunca vir a conseguir diminuir o Estado Social com legitimidade eleitoral.

– É evidente que Passos Coelho não mente, nunca mentiu e nunca mentirá. Porque ele acredita piamente em qualquer ideia, ou esboço de ideia, ou memória confusa de poder ter tido uma ideia, que lhe surja do nada ou entre pelos ouvidos. Daí a espantosa abundância das suas verdades, tantas quantos os dias e as conversas.

– É evidente que o PCP e o BE deviam ajudar o Governo a conseguir cumprir com as suas ambições, dado que esses preclaros partidos ideologicamente puros votaram para que o poder fosse parar às mãos desta mesmíssima direita com quem tantas vezes se aliaram em festa.

– É evidente que um Primeiro-Ministro que tem Relvas como braço-direito não está nada preocupado com a sua imagem, fama e reputação. Esse despojamento, esse abandono de qualquer vanglória terrena, faz de Passos um exemplo de humildade e ascetismo que já inspira vocações monásticas de clausura, como é o caso de Portas.

21 thoughts on “Algumas evidências”

  1. A terceira não é imereceida, nem é inverdade, ou sera inmentira. Enfim, como quiseres.

    Mas ja agora, porque as outras também têm, infelizmente, alguma força, estaria talvez na altura de deixar de martelar nas evidências e começar a trabalhar nas inevidências, tais como sejam encontrar uma politica alternativa e como fazer para que a esquerda volte a governar. Sera olhando de alto para os espurios tecnocratas do PC e do BE, ou tentando sinceramente perceber o que o eleitorado de esquerda (logo, ocasionalmente, do PC e do BE) pretende para o pais ?

    Mas se estiveres mesmo numa de evidências, dou-te uma de graça : parece evidente que no PS também, e não so nos partidos mais à esquerda, ha muito quem ande a precisar de uma bussola.

    Boas

  2. val, o pcp e o be estavam presos e encurralados: era escolheram o tiro ou a facada, porque o pec 4 impunha o congelmento das pensões.- e desde o ponto de vista da esquerda sabemos que isso +é uma medida cara politicamente.Mas tu és de centro centrõ não é? pois estou um pouco mis a esquerda

  3. Nada ha a fazer ? Isso é aceitar que os ultra liberais e os demagogos de toda a espécie conseguiram fazer xeque mate ao projecto de Europa democratica. Eu (ainda) não me conformo. Alias, no dia em que me conformar, vou deixar de achar que a União europeia é uma boa ideia.

    Os partidos socialistas estão a ser penalizados um pouco por toda a Europa. Talver fosse altura de perceberem que se devem organizar, a nivel europeu, para estar presentes no dia em que se tornar evidente que a resposta da moda – mais crise e mais cedências (sem a minima contrapartida) à logica do capital financeiro (ou à ausência dela) – não resolve problema algum. Nem o do crescimento. Nem o da redistribuição. Nem sequer o do Euro…

    Um problema da Zona Euro no seu conjunto ? Talvez, mas o Euro não é o alfa e o omega, caramba. Ou então teremos de convir que havia maneiras mais simples e mais rapidas de la chegar como por exemplo, sei la, em 1940…

    Mas esta bem, vamos antes deixar isso para os partidos irresponsaveis de Salva-Continente do Extremo. Assim é que esta bem ?

  4. rr, és capaz de nomear alguma proposta do PCP ou BE que fosse alternativa ao PEC IV? Ou a ideia desses partidos seria a de abandonarmos o Euro e passarmos a andar todos de bicicleta por falta de dinheiro para sequer importar petróleo?
    __

    joão viegas, reconhecer que o problema transcende as capacidades de Portugal para o resolver por si próprio não implica nenhuma das alternativas que apresentas. Tão-somente quer dizer que há um momento de espera para se descobrir se a Europa resolve ou desaba.

  5. val, vai o ladroes de bicicletas e encontras lá textos com soluções verdadeira e não as merdas que o ps e o psd propoem. que eu saiba pelo meno o be não é a favor da saida do euro, como é a favor do orlçamento europeu e da federalização, e da europa social, e não desta trambulho que os partidos da troika ajudaram durante estes anos todos.
    Eu sei que tu és do centro, o liberalismo é fixe para ti, mas eu prefiro ter atenção ao que alguns dos economsitas mais respeitados do mundo como roubini, como o paul de grawe ou o sitglitz dizem dessas tais medidas dificeis.Até o the economist já critica.

  6. rr, constato que não fazes ideia do que PCP e BE propõem como alternativa ao PEC IV. Desconfio que a tua ignorância a respeito das políticas desses partidos não fica por aí.

  7. Val e obvio que se tinham de tomar medidas e não é isso que questiono, o que coloco em cima de mesa é o facto de no tal documento terem estado expostas medidas claramente contrária á matriz de esquerda,e mais do que isso, medidas que colocavam os mesmo de sempre a pagar os sacrificios, sem que houvesse garantias nenhumas que os sacrificios valessem.Ou seja, congelava as pensões e aumentava os impostos a estas, fazendo com que estas pagasssem a factura da crise, e mais uma vez deixava que os ricos se escapassem sem darem um unico contributo no combate a crise, sem taxarem os rendimentos destes, com as classes baixas a sofrerem.P
    Porque é que o ps não taxou os rendimentos do capital? As mais valias bolsistas? Mas eu não me espanto com a tua posição sabes? isso reflecte muito a dificuldade do ps em fazer oposição ás medidas deste governo e da sua fraqueza

  8. o que eu constato em ti val, é o teu amor secreto pela direita, já evidente noutros textos que escreveste? aiiii ser de esquerda é facil ahahahaha

  9. rr, se tens queixas a fazer ao PS, estás a perder o teu tempo comigo. E confirmo esse amor pela direita, o qual não me impede de ter igual amor pela esquerda. Quem ama a liberdade, ama assim.

  10. humm és do psd é val? bem me parecia. o problema é que mises e keynes não são a mesma coisa, tl como a água eo azeite também não o são

  11. Val esta tua afirmação só é aceitável por alguém que do alto da sua inteligência, nunca lê nada oriundo dos partidos de esquerda.
    É natural só enxergas o centrão, que nos conduziu alegremente a esta miséria.
    “rr, és capaz de nomear alguma proposta do PCP ou BE que fosse alternativa ao PEC IV? Ou a ideia desses partidos seria a de abandonarmos o Euro e passarmos a andar todos de bicicleta por falta de dinheiro para sequer importar petróleo?”

  12. “Não há nada a fazer, porque se trata de um problema da Zona Euro no seu conjunto, logo da União Europeia.”

    Mais um a contribuir para o peditório da resignação. Olhe, e veja se se actualiza. Então ainda não percebeu que o euro já foi?

  13. jojoratazana, és capaz de nomear alguma proposta do PCP ou BE que fosse alternativa ao PEC IV? Ou a ideia desses partidos seria a de abandonarmos o Euro e passarmos a andar todos de bicicleta por falta de dinheiro para sequer importar petróleo?

  14. E descalçar esta bota:

    Últimos 20 anos PIB cresce a 1,6%, Impostos a 2,5% e Despesa do Estado 4,2%

    Com estes factos só há duas hipóteses:

    1 – Aplicação da cartilha liberal salvaguardando saúde e educação universal mas tal só pode ser possível se da classe média inclusive e para cima de forma progressiva pagarem o custo efectivo dos serviços prestados pelo Estado Social.

    2- Revolução Comunista rumo a um amanhã que canta.

  15. “É evidente que Passos Coelho não mente, nunca mentiu e nunca mentirá.” Mas há algum político que seja diferente? Quem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.