11 thoughts on “Ando desde 1998 a tentar convencer os meus sucessivos patrões desta grande verdade”

  1. não, agora diz-se colaborador. E os patrões gostam de ser chamados de empresários…para se confundirem com os outros.

  2. essa política de aumentar o nº de horas por posto de trabalho só faz sentido na produção em série e quando esta é permanentemente controlada pois até uma corta e cose pode perfeitamente aldrabar e fazer dez peças em tempo útil de vinte; ou, por exemplo, em locais de atendimento ao público em que não se pode pôr o pessoal fora da porta sem ser atendido. quando toca a funções criativas ou que envolvem bastante capital intelectual essa política da panela de pressão com temporizador é um disparate. há dias em que só consigo produzir das seis às oito da manhã – uma maravilha. :-)

  3. se gostavas de ver, sapo, presumo que também querias ir. podias ser bem mais directo, prefiro. está combinado: hoje, às catorze, no arrábida para a Florbela. dispenso as pipocas, não comprem, porque todas juntas, como se sala em transpiração de pés, cheiram a chulé. :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.