Alegremo-nos, Trump há só um

Acompanhei as eleições americanas exclusivamente pela CNN. Tanto no dia como nas semanas e meses que antecederam o 8 de Novembro. Este ubíquo órgão de comunicação social não declarou o seu apoio a qualquer candidato. Porém, e sem a mínima surpresa, naquela casa a preferência generalizada era Hillary. Tal ficava óbvio nos programas de opinião, onde os jornalistas-apresentadores deixavam transparecer a sua inclinação e onde o número de comentadores a favor de Hillary – ou necessariamente contra Trump dadas as suas grotescas e aviltantes declarações – superava numa proporção de 3 para 1 os defensores de Trump.

Apesar deste desequilíbrio, será difícil apontar falhas deontológicas à estação e à sua prática de imprensa. A cobertura noticiosa seguia de forma isenta os acontecimentos, destacando o que era novo e relevante. Por exemplo, assim que o FBI lançou a bomba de existirem mais não sei quantos milhares de emails com interesse para a investigação a Hillary, a CNN passou a destacar e analisar esse conteúdo nos blocos noticiosos e de opinião. Não houve qualquer apagamento daquilo que só pelo mero facto de ser falado já causava danos à candidatura Democrata; pelo contrário, tentou-se explicar a situação até ao limite do possível, dando-lhe protagonismo editorial. O interesse pela verdade dos factos era o que guiava os jornalistas e os comentadores da CNN. Para além disso, em momento algum se viu serem diminuídos os representantes de Trump, os quais em constantes ocasiões executavam verdadeiros números circenses para defender o indefensável e até o abjecto.

A percepção de favoritismo a favor de Hillary agudizou-se pela excepcionalidade da candidatura de Trump. Ter um candidato que gera repulsa nas principais figuras do partido por que está a concorrer não é o melhor ambiente para gerar equilíbrios e harmonias. Tal nunca antes se viu em qualquer outro acto eleitoral passado nos EUA. E mais do que se justificava, pois Trump cavalgou intencionalmente os 4 cavalos do apocalipse da democracia: racismo, xenofobia, misoginia e fascismo. Não ter reagido aos mesmos com alarme e indignação, e continuar a não querer reagir alegando que não passou de uma palhaçada para enganar os broncos que lhe deram o voto, define não apenas o cidadão como a pessoa em cada um de nós. O fascínio da comunicação social com Trump não foi só um fenómeno de dinâmica estritamente mediática (ele deu o melhor espectáculo, e de longe), havia também um hipnotismo causado pela exibição do Mal preso a uma trela. Via-se e não se acreditava – pelo que se tinha de voltar a ver.

É por isso que o efeito Trump está condenado a ser efémero, ele que condensou num grau inaudito, e num modo escabroso, a retórica populista do tempo. A ressaca, que consistirá na sua conversão à sensatez convencional ou na sua perdição em desastres calamitosos, já começou a ser servida e ainda nem duas semanas passaram da maior estupidez que este século regista.

36 thoughts on “Alegremo-nos, Trump há só um”

  1. «Acompanhei as eleições americanas exclusivamente pela CNN», WTF?! lol

    A mirtazapina (comercializado sob o nome Remeron® – ou Zispin®, Avanza®, Norset®, Remergil®, Remeron Soltab®, Menelat®, Razapina®) é um antidepressivo tetracíclico que difere dos demais por agir aumentando diretamente a quantidade de serotonina e noradrenalina entre os neurônios.

    Efeitos colaterais
    Boca seca, insônia, nervosismo, tremores, sonolência, enjoos, vômitos, problemas de ejaculação, excesso de suor e visão turva.

  2. “É por isso que o efeito Trump está condenado a ser efémero…”

    vai ser uma efemeridade de 4 anos para destruir todo o trabalho da administração obama e organizar a estrutura do nacional-socialismo que o irá reeleger por aclamação nacional sem necessidade de gastos supérfluos com cenas democráticas tipo eleições. a esperança residia nesta janela: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d5/HowardBrennan.jpg
    caso o gajo fosse comemorar o 22 de novembro de 1963 a dallas, o que não me parece previsível.

  3. A CNN deixou de ser um canal de notícias para se tornar numa agremiação de criaturas paranóicas que, nos últimos dois anos, repete o nome Trump a cada cinco minutos, do acordar ao adormecer. Sim, entramos no domínio da insanidade mental e da fisiopatologia do vício. Há sinais claros de que aquelas pessoas vão levar muito tempo até serem capazes de pensar e falar noutro tema. Involuntariamente, acabaram por ser um dos principais aliados do homem.

  4. a empatia é uma cenita muito necessária , até para evitar desastres com consequências permanentes. toda esta conversa politicamente correcta , muito poética , passa ao lado daquilo que preocupa e aborrece as pessoas da rua.

  5. “É por isso que o efeito Trump está condenado a ser efémero…”

    Disseram o mesmo de um tal Hitler e de uma tal Alemanha Nazi … e deu no que deu !
    Isto é igualzinho aos anos que prenderam a II Guerra Mundial. Também ninguém acreditava no que o ia, ou já estava, a fazer … era tão absurdo que …

  6. o dr. valerico com as suas análises e prognoses derrotadas junta-se aos derrotados. este pateta não acerta uma desde que começou a falar do tema. a 3 semanas das eleições andava ufano por aí a dizer que estava já tudo acabado a favor da hillary. um tratado de palhaçada e de derrota este dr. valerico. derrotado e vencido.

    a propósito, o menino prodígio da propagandola globalista levou hoje um tareão tal que nem à conferência de imprensa compareceu.

    https://youtu.be/lRN-ek4-2Rk

    trump é um vencedor e saberá escolher aliados e parceiros que sabem interpretar o triunfo e o génio da civilização ocidental.

    a europa globalista andará por aí perdida a exaltar a esmola ao refugiado, chantageando emocionalmente o seu povo soberano e já no limite do confisco fiscal com mais apoios ao refugiado coitadinho, integrando vencidos e derrotados e protegendo os interesses de reinados e estados islàmicos genocidas.

  7. o ferrolho e o iganôncio também cerram fileiras com as ideologias da derrota e da decadência e no fundo, no fundo, estao com a europa de schauble. abram os olhos a tempo. as chamadas “democracias” europeias e a união europeia estão totalmente derrotadas, são fósseis estrebuchantes, promovem visões e políticas económicas e sociais de rotunda derrota e fracasso. quem é que na europa vence? há quanto tempo ninguém na europa triunfa? fizeram da europa um oásis para refugiados, terroristas, minorias decadentes enquanto o povo soberano que tem a sorte de ter trabalho gasta no mínino mais de metade do que ganha em impostos diversos. derrota! não há outra palavra.

  8. Estás enganado enapa, a vitória de Trump significa precisamente, em termos históricos, a viagem em macha para a decadência da grandeza do império americano. O próprio slogan do Trump “make América great again” revela isso mesmo.
    Os impérios persa, grego, romano findaram deixando rastos históricos e o europeu, com a descolonização entrou em decadência e nunca mais será como foi/era e o que tem salvo a Europa duma decadência mais rápida e acentuada face à perda dos “impérios” ultramarinos é, precisamente, o facto de serem democracias que permitem a liberdade suficiente para mudar e evoluir.
    Sempre foi tendência dos Estados quando dominantes transformarem-se em impérios e para tal necessitam derrubar as suas democracias anteriores para escolherem/designarem reis e imperadores com a “missão” de restabelecerem as “grandezas” perdidas.
    O significado da eleição de Trump é, relativamente ao estádio actual do império americano, a revelação efectiva de uma tentativa de travar a decadência de nação imperial.
    Contudo, enapa radicalzeco ignorante, trata-se já de uma luta de desespero e por isso mesmo, inglória. Pois, se os antigos impérios chefiados por homens estudiosos e preparados faliram, jamais um império chefiado por um bronco estúpido e ignorante poderá subsistir. Poderá ele e tu, enapa bronco como ele, cantar ainda alguma victória mas isso só tornará a queda final ainda mais impressionante que o desmoronamento das torres gémea de NY.

  9. Diz José Neves … “Poderá ele e tu, enapa bronco como ele, cantar ainda alguma victória mas isso só tornará a queda final ainda mais impressionante que o desmoronamento das torres gémeas … ”

    Plenamente de acordo consigo José Neves, só acrescentando que, possivelmente, a queda final poderá vir a ser dramática, se não trágica, não só para os americanos como também para toda a humanidade.

  10. Embora o evento me cause alguma apreensão (nunca acreditei que o homem pudesse ser eleito naquele país), creio no entanto que a eleição do Trump, dificilmente se pode vir a revelar um desastre para os Americanos e para o Mundo. É verdade que as semelhanças com a eleição de Hitler são algumas, mas… nem a América de 2016 é a Alemanha de 1944, nem o Mundo é o mesmo. O sistema politico Americano tem defesas, e os Senadores não devem ser todos estúpidos para desatarem a aprovar tudo o que venha a sair daquela cabeça oca. É verdade que o Governo tem algumas liberdades para legislar, sem necessitar de fazer passara Leis pelas Câmaras, mas, outra vez mas, … tudo o que o homem fizer contra o Povo, se voltará de imediato contra ele. O populismo pode não ter limites retóricos, mas tem os seus limites práticos.

  11. Raclima

    Faz um favor a ti próprio, vai a uma livraria, e compra um livro de História, pá. Não há pachorra !
    Os “senadores não vão desatar a aprovar tudo o que venha a sair daquela cabeça oca”. Já ouviste falar do efeito manada ? Não apenas o povo mas também a maioria da elite alemã foi atrás de Hitler. Heil Hitler !
    E quem discordou … levou com um tiro na tola por ser “anti-patriota”. E a culpa era dos judeus, tal como agora vai ser dos imigrantes, dos hispânicos, dos negros, … olha … se não lês, vê uns filmes, umas séries, a BBC fez algumas muito jeitosas …

  12. os profetas da desgraça acima, tipo o pançudo neves, se sentissem como reais essas profecias, estavam como o dr. valerico – esse acredita mesmo na merda que escreve -, encharcados em barbitúricos.

  13. para os palermas que falam por aí com as suas bocarras de mentira, ignorância e servidão de “nazismo” fiquem-se com esta:

    “Combating Glorification Of Nazism, Neo-Nazism And Other Practices That Contribute To Fueling Contemporary Forms Of Racism, Racial Discrimination, Xenophobia, And Related Intolerance” resoluçao do cdh da onu de 17/11/2016.

    os ainda eua do escumalheco e vergonhoso hussein obama foi dos poucos que votou contra esta resolução.

  14. Essa notícia do Público, como de vários outras “publications”, é uma das causas do populismo. Até parece que não ha separação de poderes e como se fosseTrump q decidisse se Hillary vai ou não a julgamento. Do que se trata e de uma manipulação do javardex pois sabe bem que não tem provas para ir atras seja de quem for. Um jornal que preze o estado de direito e acima de tudo os seus leitores, diz isto:
    https://www.washingtonpost.com/opinions/trump-is-right-not-to-go-after-hillary-clinton-but-its-not-his-decision-to-make/2016/11/22/65338f36-b0e0-11e6-8616-52b15787add0_story.html?hpid=hp_no-name_opinion-card-b%3Ahomepage%2Fstory&utm_term=.0cebc34b326f

    Aliás isto tinha muito mais pernas para andar. Mas Clinton como candidata de um certo status quo sabe que a corrupção do sistema e para se aceitar de cara alegre, faz parte do emprego. Uma palmada nas costas e daqui a um ano está si a faturar em conferências como nunca antes.

    https://www.theguardian.com/us-news/2016/nov/23/hillary-clinton-election-vote-recount-michigan-pennsylvania-wisconsin

  15. parece que ninguém quer comentar o facto da acima referida resolução da onu ter sido aprovada com 131 votos a favor e 3 contra, dos eua e da ucrânia, onde existe uma revolução declaradamente neonazi em curso, com símbolos, marchas e muita violência típicas desses odiosos movimentos.

    joe estrume, comenta aí, pá!

  16. estrume, há perturbações e hoje é essencial. tenho pena por ele, genial, mas não pode passar. não é certo, há perturbações e energias contrárias. hoje muito se vai revelar, embora não tudo, em nova iorque. até amanhã.

  17. Eheheh Não tens nada na puta da cabeça e o q é, aperta-se um pouquinho e não passas do nível 1. Deixa estar que não estas sozinho.

  18. Tenham paciência e muita calma, que vai ser giro.

    O trampa vai acabar estatelado num escândalo mediático, como o parolo do Nixon, ou então vai simplesmente ser filado como o Al Capone, ou seja, prensado pelos tomates por FUGA AO FISCO! Mais certo que sopas! A seu tempo, claro…

    É que com o Contribuinte americano (leia-se o seu invencível sistema fiscal), meus caros, ninguém brinca e se quiser brincar, cedo ou tarde, acaba na merda. E esta trampa, como noutras paragens a berluscona, não será excepção…

  19. estrumeiro, comenta lá, força, diz lá o que na tua opnião levou a que os eua tivessem votado, em conjunto com a ucrânia e o palau, contra a resolução acima referida. diz lá, estamos todos curiosos pela tua opinião nível mil e muitos. na expectativa do cagalhão que vomitarás por essa bocarra de mentira e servidão, sobrescrevo-me,

  20. mais depressa e com muito maior estrondo se apanha um #pizzagate do que se perde tempo a mandar para o caralho que o foda um uótergaita

  21. vamos la a saber…
    quando é que o alinhado facho dr. valerico implementa aqui no Spinnirina a política “fake news” ao abrigo da qual outros sites de referência tais como fbook e reddit ja andam por aí a censurar publicacoes dos seus utilizadores?

  22. O Trump afinal é um pussy. Tanta treta com os latinos e as mulheres para agradar aos emasculados wasp y agora as nomeações são feitas a pantone. Ontem foi Black Thursday na Trump Tower. Fonix, vai lá vai, o gajo no Natal é top vendas na FNAC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.