A verdade política da Política de Verdade

Esta é a pequena história do meu fracasso no marketing político. Em 2004 eu trabalhava para a agência que viria a fazer a campanha que opôs Santana Lopes a José Sócrates (legislativas de 2005). Para os profissionais brasileiros vale tudo quando se está em campanha, e nesse tudo coube a criação do blogue Portugays onde mais do que se insinuou a homossexualidade do candidato socialista. Não satisfeitos com isto, que a imprensa portuguesa da altura ainda mal espiolhava a blogosfera como depois veio a fazer, um dos marqueteiros melhor relacionados com os jornais do Brasil pediu a um camarada que colocasse uma notícia dando conta da alegada ligação entre Sócrates e Diogo Infante que, como é óbvio, passou para a imprensa deste lado do Atlântico. (…)

Ricardo Gross, Como as coisas se fazemapud Miguel

__

Se existisse imprensa em Portugal, este testemunho seria imediatamente investigado. Para algo do género ocorrer, implica que há dezenas de pessoas que conhecem os factos directamente ou por ligação directa com os protagonistas. O que sabemos é que a notícia no jornal brasileiro existiu, que ela chegou a Portugal e que foi alimentada. Enfim, se existisse imprensa em Portugal, Cavaco não resistiria ao caso das escutas nem à sua ligação à SLN.

Do outro lado, temos Sócrates, um alvo para campanhas de assassinato de carácter ainda antes de ter chegado a Primeiro-Ministro, e a quem já fizeram de tudo, incluindo a devassa da sua privacidade para efeitos de espionagem política e incriminação conspirativa. Para Sócrates há milhares de páginas e de horas de investigação por parte de variadas autoridades. Tem sido um fartar vilanagem, onde o segredo de Justiça é uma gargalhada. Isto acontece porque o PSD domina a comunicação social, não tem qualquer escrúpulo ético e anda a ser dirigido por sucessivas lideranças medíocres que se limitam a recorrer à insídia. E nem é por mal, é só porque não sabem fazer mais nada.

21 thoughts on “A verdade política da Política de Verdade”

  1. a insidia, a mentira, a rasquice é tão de todos os dias

    que o que intressa hoje

    é analisar as escutas,

    o BPN que nos vai alterar o deficit de 2010

    a Coelheira porque aquilo precisa de uma desinfecção geral

    antes que o novo regime apague respectivas pegadas…

    essa cena é do Pedro Lopes…

    vamos antes aos rascas dos dias de hoje

    sobressalta-los na consciencia que não tem

    no/do mal que fazem ao país…

    todos dias, todas horas…

  2. Chover no molhado :

    Quem permite o que tu denuncias neste post não é o PSD, nem o complô judeo-maçonico, nem o papão.

    E’ o publico. Somos nos. Tu. Eu.

    Ainda não começou a campanha eleitoral e ja estas a dar importância e, pior, a cair no jogo das insinuações (porque até aqui, que eu saiba, não ocorreu nada desta vez, ou ocorreu ?). As campanhas sujas sempre existiram. Santanas Lopes e Jornais do Incrivel ha em toda a parte, aqui, nos EUA, na China, em Marte (embora neste ultimo caso em proporção substancialmente menor) ! Não podemos fazer nada contra a sua existência. Apenas nos deve precupar a sua importância, e essa, por acaso, esta essencialmente nas nossas mãos…

    O que devemos fazer, de forma responsavel, é impedir que essas campanhas surtam efeitos. E isso esta ao nosso alcance. Porque uma campanha suja so funciona onde ha ouvidos ansiosos, sedentos. Se não os houver, a campanha morre mais depressa do que nasceu.

    Foda-se, isto é simples. Faz como eu. Não ligues (a quê por sinal ?). Não dês importância. Passa para outra. Discute programas (como fazes, noutros posts, e muito bem), debate politicas, denuncia vazios de proposta, contradições politicas, demagogia, sei la.

    Ou então, não te queixes que haja pessoas a dar importância a essas merdas.

    Ou serei outra vez obrigado a lembrar a intervenção de bom senso do camarada Garcia Pereira ?

    Boas

  3. Nós caladinhos e, entretanto, vão-nos ao pacote, não é Viegas? Se puder, não deixo. Agora, se tu não te importas ou atés gostas…

  4. joão viegas, estás redondamente enganado. Normalmente também digo que em campanha vale (quase) tudo, mas atenção à seguinte regra: uma campanha de difamação deste género tem um risco altíssimo de ricochete, com consequências devastadoras, se for desmascarada. Nota o efeito do escândalo das escutas no verão de 2009. Não basta não ligar, é preciso denunciar.
    Ou então torna-se a regra, e deste mais um passo para a degradação do espaço público. Para que o mal triunfe, basta que as pessoas decentes nada façam. Muito verdade.

  5. Isso mesmo, partam para a luta camaradas, força.

    Mas quem é que vos esta a “ir ao pacote” neste caso ? O texto do Valupi remete para um episodio de ha 6 anos e a campanha eleitoral ainda não começou, sendo que as primeiras declarações do Passos são sobre aumento do IVA, e não sobre outra coisa qualquer, pelo menos que eu visse…

    Portanto o que o Valupi esta a fazer, tenho pena, mas é precisamente o que ele critica : colocar espontaneamente o debate na valeta.

    E ja agora, para que as coisas sejam perfeitamente claras : não sou do PSD mas de esquerda, ja votei Socrates e não excluo voltar a fazê-lo.

    Apenas excluo votar nele, ou noutro qualquer, por ser do Boavista, ou por ser um coitadinho de um martir !

    Foda-se isto põe-me fora de mim !

  6. joão viegas, o texto do Valupi não remete só para esse episódio, remete para o que foi acontecendo a Sócrates ao longo dos últimos seis anos, e que começou ainda antes de ter sido eleito primeiro-ministro.
    E se der uma volta pela blogosfera poderá ver que o que não faltam são insinuações de que a próxima campanha será suja por culpa do PS, pasme-se.

  7. Sim, cara Guida, assim sera e, que eu saiba, Socrates até ganhou as campanhas eleitorais em causa. Eu estava a mais a falar da proxima, da que vem ai.

    A este ultimo respeito noto com interesse que Socrates se demitiu por considerar que era imperativo propormos medidas internas, nossas, para vencermos as nossas dificuldades. Vou estar atento ao que ele tem a dizer acerca disso.

    Enfim, aspectos menores que também têm incidências, ainda que remotas, sobre as razões que hão de determinar o meu voto…

    Boa continuação a todos…

  8. E no fundo é cagativa a proveniência destas trampas, está em causa o abastardar de uma coisa muito séria que é o jogo dito democrático.
    Venham de onde vierem estas iniciativas que visam emporcalhar as pessoas para desacreditar os políticos são indignas e acrescentam mais uns pós à argumentação dos que defendem o boicote eleitoral implícito na abstenção.

  9. Concordo com o texto do Valupi, mas também com as achegas do João Viegas. Se aceitamos os termos das discussões merdosas, também faremos parte da merda. Mas também é verdade que um candidato que jogue limpo está em desvantagem contra quem jogue sujo. Sócrates ganhou em 2009, sim, mas que teria acontecido se não fosse a publicação do tal “e-mail” do “Público” pelo “Diário de Notícias”?

    É bom percebermos que a opinião pública está intoxicada e que, mais grave ainda do que refere o Valupi, não é só o PSD que infesta a Comunicação de massas, é também o Bloco e o PCP, que por sua vez infesta também os aparelhos judicial e sindicais. É muito peso contra a beatitude do Cidadão indefeso, caro João Viegas…

  10. joão viegas, não percebo a sua lógica, como Sócrates ganhou eleições, apesar das campanhas nojentas de que foi alvo, não devemos dar importância a isso?
    Por acaso, e muito por culpa do desgaste provocado por essas campanhas, perdeu a maioria absoluta e o resultado dessa perda estamos agora a vê-lo. Além disso, como diz o Valupi, a comunicação social era e continua a ser dominada pelo PSD, e de facto eles não sabem fazer mais nada…

  11. “como Sócrates ganhou eleições, apesar das campanhas nojentas de que foi alvo, não devemos dar importância a isso”

    E’ exactamente isto que eu estou a dizer.

    Eu sei que é angélico. Mas também sei que é verdade.

    Eu sabia que havia de chegar o dia em que me coubesse o papel de idealista da caixa de comentario deste blogue !

    Boas

  12. Infelizmente, palpita-me que a próxima campanha eleitoral vai mesmo ser do piorio!

    Enfim, é o tal “portugal maior” que prometia a ridícula campanha de Cavaco em 2006, no seu máximo esplendor…

  13. joão viegas, estás a equiparar o pedido de esclarecimento para algo que compromete o PSD e Santana Lopes de forma insanavelmente grave – e que logo na altura se falou ter sido manobra montada para as eleições, tão obscena e escabrosa era a coisa – com um acto de insinuação. Ou seja, terás algum conhecimento acerca do testemunho dado pelo Ricardo Gross que lhe anula a veracidade, pelos vistos.

    Ora, para além de registar os teus peculiares critérios de decência política e cívica, estou curioso: esse teu original método de luta contra as campanhas sujas através de um quietismo em que ficas a ver a merda a ser lançada em todas as direcções é da tua invenção ou saiu-te num pacote da farinha Amparo?

  14. calma
    não se distraiam do essencial…
    acho estão, estamos, todos dizendo o mesmo,
    com enfoques diferentes
    é bom termos noção das diferentes sensibilidades
    termos humildade de nos ouvirmos com calma
    apreendermos o sentido movimentação varios adversarios,
    seus modos e metodos de ataque
    para convergirmos no essencial
    que for importante esclarecimento nossos concidadãos…
    a luta continua
    abraço todos

  15. É imperioso que se fale, sempre e com insistência, da grande campanha negra de que foi vítima o Sócrates. Não posso esquecer que na zona, nessa altura negra, o ex-deputado e agora “paineleiro” do futebol, Rui Gomes da Silva, veio propalar com a sua fanática e paranóica “verdade” esse pseudo-facto, porque era um santanista de eleição (julgo que já vendeu a alma ao diabo, mas adiante…), Esse e outos factos não podem ser escamoteados do confronto político. Ninguém é anjinho. Estou mesmo convicto que outras coisas deverão saltar para a ribalta, mesmo tendo em conta que o domínio dos media é dos que hoje se dizem estar na mó de cima. Mas o tempo não apaga os factos e esses virão, um dia, ao de cima e se calhar, esses que hoje vêm pregando que a campanha eleitoral a acontecer deverá ser limpa, é para que não lhes atirem a eles a lama (ou merda) que fizeram.

  16. Diz João Viegas: “… incidências, ainda que remotas, sobre as razões que hão de determinar o meu voto”. Sendo de esquerda, como revela, não sabe ainda se vota PS, PCP ou BE, se vota Sócrates, Jerónimo ou Louçã?É isto não é? Só para ficarmos esclarecidos e descançados.

  17. Hum ? Alô, Manuel Loureiro, estou sim ?

    Sim é basicamente isso, meu caro, e acho que ainda ha outros mais ou menos folcloricos, tipo o MRPP, etc. Se me esta a perguntar o que é que eu entendo por esquerda, remeto-o para os comentarios de um post do Valupi de ha uns dias atras onde ele colocava esta mesma interrogação.

    Se me esta a perguntar se eu considero o PSD como um partido de esquerda, a resposta é não (até ver… afinal ainda não conhecemos o programa, mas enfim digamos que as probabilidades de ser de esquerda são escassas).

    Boas

  18. Dia 25 de Março. 23,00 horas. Acabo de votar em José Sócrates para Secretário Geral do PS. Leio os comentários a este texto do Valupi. Uns mais outros menos interessantes. Uns mais outros menos pertinentes.

    Apetece-me remeter para o noticiário desta noite da TVI que tive a desdita de ver no restaurante em que jantava. Para quem não viu…aí está de novo o “Caso Casa Pia” a servir de aperitivo às infâmias e às mais abjectas “noticias” que os media nos vão despejar em cima a toda a hora e a todo o momento.

    Não ligues, recomenda o João Viegas e eu não deixo de lhe dar razão! Mas cum catano … é muito difícil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.