12 thoughts on “A prova de que a maçonaria não é para levar a sério”

  1. Ouvi o Pacheco dizer, na “Quadratura do Circulo” com aquele ar doutoral de pacotilha que costuma usar para si, que a maçonaria vinha desde os finais do século XVIII. Nada mais falso. Os princípios maçónicos, remontam ao antigo Egipto e atravessaram a noite dos tempos chegando até à revolução francesa que, EM PARTE, os adoptou e resumiu: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
    Os princípios maçónicos são bons e formadores de uma cidadania útil e cooperante com os demais. No mínimo.
    Depois e o que existe em Portugal, SALVO RARAS EXCEPÇÕES – em quer se incluiu o GOL que a partir de certa altura viu sair muitos maçons, por razões que aqui pouco importam – é a perfeita negação de todas as suas origens e na maioria das vezes usadas para proveito próprio. Isso é feito pela máfia que utiliza muitos dos princípios maçónicos para os utilizar no crime.
    Estas “lojas mozart”, são musica manhosa fora e desenquadradas dos rictus mais antigos são isso mesmo: UM BANDO DE MAFIOSOS!

    Gostaria ainda de recomendar uma visita a alguns sites maçonicos, onde se poderão informar das diversas correntes que cada obediência propõe. Poderão verificar se existe alguma semelhança com a prática dos “carcamanos” noticiados e em apreço.

  2. o nobre é ume espécie de papel de embrulho das mensagens da direita, neste caso esta entrevista patética serviu para desviar as atenções para os maçons socialistas, metendo o problema no saco da esquerda. o gajo diz-se de esquerda, pobrezinhos, desfavoreridos e lálálá e depois vai prá pantalha dizer que o coelho é um gajo de palavra, isto só pode ser serviço pago para desacreditar a esquerda que ele pensa capitalizar. nobre, só salsichas e de preferência pelo rabinho do dito acima. e já agora que estou um mãos largas, um paio tamém pró crespo.

  3. Do assassino da Noruega, um psicopata de extrema-direita, também disseram que era maçon. Se fosse evangélico, católico ou sócio dum qualquer clube de futebol, alguém se lembraria de citar esse dado biográfico?

    A alegada conspiração maçónica foi uma invenção de católicos reaccionários, fascistas e nazis. Quem quiser acreditar nessa balela fica em boa companhia.

  4. Júlio,
    para não variar, continuo a achar que a comunicação social só nos conta parte da história.
    Há muita gente a afirmar que esse mostrengo tinha outras motivações:
    http://wakeupfromyourslumber.com/blog/joeblow/oslo-bomber-norwegian-freemason-and-super-zionist
    Face à atitude do governo norueguês (e da juventude trabalhista) em relação a Israel e acreditando que são verídicas as alegadas declarações pro-sionistas /anti-islâmicas do Breivik, parece-me ter bastante lógica esta hipótese.
    E agora? Bela confusão, não?

  5. (caí agora aqui: o problema é haver maçonaria e opus day ou é o facto de o líder paralamentar do PSD ter encoberto o seu compincha do SIS, no que respeita ao crime da fuga de informações, cortando passagnes do relatório da investigação?)

  6. Oh edie,
    então não soubeste?
    Parece que o Sócrates teve aí uns esquemas com as secretas e os maçons são todos socialistas.
    É,… diz que sim…toda agente sabe, dá na televisão e saiu nos jornais.

  7. P2

    pois, a maçonaria funciona como uma especie de máfia, troca de influencias…

    Enfim, não é para levar a sério… Val, escreves bem, mas não pensas com o coração, não com a cabeça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.