A blogosfera vai de Arrastão

O Arrastão cresceu, sendo que a alteração mais dramática consiste no abandono do vermelho comuna por troca com o azul (ou será verde?) Aspirina B. Sinal dos tempos. Outra transformação digna de referência, embora menor na comparação, consiste na mudança de estatuto, passando a blogue colectivo com as entradas de Pedro Sales e Pedro Vieira. Também a merecer atenção é o anuncio da Santa Aliança, agregador de 17 blogues ditos de esquerda. Nisto tudo há a mão, e a boa cabeça, do Paulo Querido, infatigável no empreendedorismo e inovação com que vai moldando a paisagem da blogosfera portuguesa.

Aplauso para todos.

5 thoughts on “A blogosfera vai de Arrastão”

  1. Val, devias ter contratado o Irmão Lúcia para aqui. O Daniel Oliveira, pilar esquerdista do império Balsemão, está a ver se arrasta gente para criar mais um bastiãozito balsemânico.

  2. É verdade, Nik, o Daniel é um esquerdista chic, apreciado pela direita e pelo grande capital culto. Atenção, isso não lhe retira o mérito ou a legitimidade.

    Quanto a contratar o Irmão Lúcia, nem ele jamais aceitaria, nem o convite jamais seria feito.

  3. Eu gosto de muito do que sai do Pedro Sales, e o mano L tem coisas boas em rasgos frequentes. O que me impressiona são os tiques lobistas que sinto na blogosfera, que de certa forma ameaçam aquela que é, para mim, a sua característica mais atraente e sedutora: qualquer pessoa poder nela mostrar o que vale e vingar exclusivamente pelo valor e qualidade demonstrados, não porque há um grupo fixo que rotativamente avaliza e promove os seus membros (às vezes apoiando o pé nos outros para o fazer, por conveniência pontual ou estratégica). Mas não é forçoso que isso aconteça só por se tratar de um blogue colectivo (falo em geral, não do arrastão especificamente), veja-se o caso do Corta-Fitas, que não é por ser colectivo que deixa de valorizar os outros…
    Tudo se resume às pessoas, como sempre, ao factor humano. Ao macaco nu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.