Um primeiro-ministro pegado com cuspo

Graças aos “bons resultados da execução do programa de ajustamento” e à “recuperação da nossa credibilidade internacional”, o Governo pode ter os dias contados. Tudo depende da resposta às seguintes perguntas:

– A provocatória transferência de uma parte dos salários dos trabalhadores do privado para a tesouraria das empresas vai mesmo figurar no orçamento e passar no Parlamento?

– Portas sabia de todas as medidas, incluindo a redução da TSU nestes moldes? E os seus deputados, sabiam? Impossível não ver que o homem anda feliz a viajar e que não lhe apetece nada, é que mesmo nada, largar o lugar depois de anos de demagogias e sujeiras várias para lá chegar. Mas são sairá bem desta fotografia. Se sabia, porque lhe deu assentimento (é uma subida brutal de impostos) e não informou o partido? Se não sabia, como manter a coligação? E se sabia e assinou a medida por lhe ter sido apresentada como imposição da Troika (uma mentira, portanto)? Pior, não?
Como continuar, pois, a visitar o mundo?

– O que vão fazer os deputados do PSD? E os do CDS?

– Vai o Governo recuar? Se a incompetência, imaturidade e insensibilidade já estão à vista de todos, um recuo seria a confirmação fatal (embora permitisse acalmar os ânimos no imediato).

– O que vai fazer Cavaco? Ousará correr com eles, depois de os lá ter posto (convencido de que interviria ativamente na governação)? Solicita ao menos a fiscalização preventiva do TC?

– E o Tribunal Constitucional? Foi desrespeitado e desafiado. Vai ter de se pronunciar.

Não sei se um ano e meio deu tempo ao Relvas para fazer todos os negócios que tinha previsto. Parece-me que já não vai ter muito mais.

18 thoughts on “Um primeiro-ministro pegado com cuspo”

  1. o cavaco dará resposta a tudo isso depois da próxima manifestação e 1/2 hora antes do primeiro ministro ser obrigado a resignar voluntáriamente. entretanto o tribunal obedece ao supremo magistrado da nação, tudo nos conformes.

  2. era bom que não nos focalizassemos, na TSU.Se a retiram do orçamento parece que não temos nada mais para para criticar.a tsu é uma” medida estrategica” que vai durar meia duzia de dias! depois fica o “resto” que era o que eles pretendiam. isto faz-me lembrar um pouco a estoria do rabino: um dia,um velhote veio ter com ele e disse-lhe: sr rabino resolva o meu problema,tenho quatro filhos e temos somente um quarto para fazermos tudo.-diz o rabino vou-lhe dar a soluçao compre uma vaca. uma vaca pergunta o homem? sim diz o rabino.passado tempos o homem encontra o rabino e diz–lhe: sr rabino é impossivel viver desta forma.rabino responde-lhe: venda a vaca. volvidos alguns dias encontram-se novamente e o rabino pergunta-lhe: então ser josé como vai a vida. resposta pronta: agora sim senhor rabino,agora estamos muito melhor.A tsu é a vaca do passos coelho.

  3. Penélope,
    ouvir estes peralvilhos falar em bons resultados, quando tudo andou ao contrário das previsões e só as exportações, fruto do empenhamento e bom trabalho do governo anterior, é que andaram pata a frente, dá-me apenas vontade de os mandar … enfim, o decoro não me permite escrever o local para onde eles deviam ir, mas todos sabem qual é e como se chama aquela cestinha que havia no alto dos mastros das caravelas e naus, não é verdade?

  4. Maria Rita: Mas o problema da TSU é aqui fundamental nesta engrenagem! Está diretamente ligada à subida das contribuições dos trabalhadores do privado, medida que é suposto responder às preocupações do Tribunal Constitucional, não é?
    Além de ser a mais provocatória medida que era possível encontrar no cardápio, tendo em conta o contexto de empobrecimento generalizado e de injustiça na distribuição dos sacrifícios.

    Teofilo M: Sim, e ontem os entrevistadores deixaram passar imensas coisas em claro.

  5. As coisas que um gajo aprende aqui. Fiqueia a saber pelo Teofilo M que “aquela cestinha que havia no alto dos mastros das caravelas e naus” se chamava PUTA QUE OS PARIU. Nunca é tarde para aprender, né?

  6. O victor gonçalves (uma nódoa como convem…) só” acordou” um pouco, quando viu um certo arrreganho no colega.deixaram passar varias coisas como a das sctus.Tudo que dizia, era tão ovbio e tão “claro”!que justificava uma explicação em” anexo” de imediato de imediato, uma explicaçaõ suplementar, à qual eles faziam de conta que entendiam!

  7. E o que vão fazer os militantes do PS?
    Seguro confirmou que estava informado e, por isso, não se percebe que só tenha aparecido ontem, tarde e a más horas, quando a indignação generalizada já não podia ser ignorada.
    E o que veio propor? Votar contra um orçamento que até destacados militantes e simpatizantes da maioria recusam, apelando ao voto contra dessa mesma maioria; recusar a TSU; taxar as PPP; “cumprir solenemente todos os compromissos” (!?).
    Só conversa!

  8. Bem me parecia que era só conversa.
    Perante a intransigência de Passos Coelho e aumento da indignação e da revolta, seguro já está a recuar e a defender o governo, tentando travar os militantes e simpatizantes do PS que querem aderir às manifestações.
    “Nós não desejamos, nem queremos nenhuma crise política em Portugal.”
    http://www.destakes.com/redir/788fb7f6ecc7f20fae2889ff20595490

    Afinal o Primeiro ministro não está “pegado com cuspo” está pegado com a cola PS!

  9. Sr edgar,o senhor é um homem que respeito.lamento que tenha andado desaparecido,espero que tenham sido as ferias.Aproveito a oportunidade para lhe dizer que josé seguro,só teve conhecimento das propostas “austeritarias” do governo,atraves de uma comunicação via telefone, no dia anterior, e ao qual respondeu que não concordava.Não podia antecipar-se na denuncia ao discurso de” passos com coelho”.

  10. Sr. edgar.o Ps não pretendo crises politicas,mas mudanças de politicas.derrubar governos são” aventuras” politicas que o pcp gosta muito de se meter, para por a direita no poder.Nas campanhas eleitorais e fora delas, o inimigo preferido do pcp é o ps, como o senhor sabe melhor do que eu.assumimos compromissos com a troika para onde fomos empurrados! temos que os respeitar ,mas não admitimos que os desvirtuem, os acrescentem e persistam em receitas que não estão a resultar.Sr edgar pense nos seus netos,e como tal deixe-se de esquerdimos inconsequentes.Porque razao aparece o congresso das esquerdas? de que quadrante politico são a maior parte dos subscritores? espero sinceramente que saiam boas noticias desse congresso.

  11. Maria Rita,
    Entre o discurso de Passos Coelho e a reacção pública de Seguro passou uma eternidade e uma imensidão de reacções de todos os quadrantes políticos contra as medidas anunciadas;
    a desculpa do PS como inimigo principal do PCP é uma cassete serviu e serve para justificar a permanente colagem do PS ao PSD e CDS e às políticas que nos conduziram a esta situação e estão a atirar o país para o abismo; defender a estabilidade política, quando a esmagadora maioria vive em permanente instabilidade, sobressalto e profunda indignação, não é apenas um contra-senso mas é a prova de total cumplicidade com este governo e estas políticas.
    Desculpe que lhe diga, neste momento em que o país caminha para um retrocesso social, económico e civilizacional semelhante ao que sofreu nos quase 50 anos de fascismo, o primeiro e maior compromisso é na defesa do país e do povo, da sua soberania e progresso.

  12. quanto à primeira pergunta: não, não vai passar, mas não por causa do parlamento que não nexeu o cú para nada, em relação ao assunto, está parado a deixar tudo o que é inconstitucionalidade – menos a parte que lhes foi ao bolso, os subsídios dos funcionários. O que impediu que a medida vá para a frente foi a sociedade civil que se viu obrigada a tomar o papel do parlamento – nomeadamente o socialista- que não a representa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.