Esquizofrenia? Veja se gosta destas.

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, afirmou hoje que a política em Portugal vive em alguns aspetos uma “situação que raia a esquizofrenia”, com alguns responsáveis pelas dificuldades financeiras a “explicar como se deve governar”.

Para começo de conversa, vocês estão ou não fartos de provar que não sabem governar? A desorientação é total.

E, de facto, na questão da esquizofrenia, é de arrepiar que a crise financeira internacional, de que nós fomos das primeiras vítimas do lado de cá do Atlântico devido às amarras da moeda única, à inação e deficiências das instituições europeias e à sede de poder de um bando de indígenas tão gananciosos quanto mal preparados, e que teve origem nos jogos de casino de Wall Street, tenha as suas consequências agora “combatidas” com as receitas defendidas pelos próprios “gamblers” já recompostos e regressados às lides, e que, na Europa, encontraram aliados tão improváveis quanto interesseiros como os países do norte da zona euro. Esta é a esquizofrenia primeira.

A segunda, mais local e regional, está no facto de o Governo enaltecer perante cada microfone que lhe ofereçam o sucesso de Portugal no cumprimento do programa de ajuda externa quando afunda o país num novo buraco de 5000 milhões de euros (sem Jardins nem BPNs) e falha todas as previsões, aproveitando o ensejo e a maioria para ameaçar os portugueses com nova sangria nos ordenados, sem fim à vista. O coro de esquizofrénicos tamanhos estende-se também às Lagardes e Junckers deste mundo e aos porta-vozes da Comissão que, em grande conluio, veem (e apregoam) sucesso onde os principais interessados apenas veem desastre.

Finalmente, e como os “responsáveis pelas dificuldades financeiras”, na boca de Miguel Macedo, são e serão para todo o sempre Sócrates e os seus ministros, o que é de facto de esquizofrénicos é terem deitado abaixo um governo comprometido e empenhado num plano de austeridade gradual e menos doloroso para os portugueses, com a rejeição de um PEC apoiado pelas instituições europeias, alegando excesso de austeridade, para chamarem e abraçarem uma Troika implacável, mistura explosiva de nórdicos moralistas e FMI historicamente desastroso, que apenas está a causar miséria e nem a dívida dos países consegue reduzir. Mais: experimentam fórmulas jamais testadas em países pertencentes a uma união monetária especial e nem isto têm em conta. Esquizofrenia é mostrarem-vos onde conduzem os excessos e vocês não só repetirem-nos como agravarem-nos.

Um esquizofrénico, de facto, tem um desígnio que desafia a realidade e que é sempre infrutífero desmontar. Pobre de quem está à volta e ignorância de quem lhe entrega o poder.

10 thoughts on “Esquizofrenia? Veja se gosta destas.”

  1. Não me dêem mais desgostos
    porque sei raciocinar…
    Só os burros estão dispostos
    a sofrer sem protestar!

    Esta mascarada enorme
    com que o mundo nos aldraba,
    dura enquanto o povo dorme,
    quando ele acordar, acaba.

    António Aleixo

  2. Há bocado ouvi o Bagão esbugalhão e o Crespo parvalhão em treinos conjuntos para as olimpíadas da filha-de-putice e da aldrabice. Dizia o Bagão que tinha estado a reler o memorando assinado pelo Governo anterior com a troika e que, afinal, a taxação extraordinária das remunerações a partir de 1500 euros já lá estava, pelo que não havia maneira de lhe fugir. E concordava o Crespo abanando a cabeçorra, e que também ele tinha estado a reler o memorando, e até referiu número e alínea, e daqui concluíram implicitamente as luminárias, claro, que afinal a culpa era do cabrão do Sócrates, como não podia deixar de ser, e que, bem vistas as coisas, muito tinha feito a quadrilha do pote ao fazer-nos o favor de adiar a coisa até agora.

    Só não disseram que o memorando, preconizando embora tal medida, não previa ser ela cumulativa com o chorrilho delas, muito mais gravosas, que a quadrilha sofregamente inventou sozinha e pôs em prática antes, a saber:

    — Roubo de uma parte do subsídio de Natal de 2011.
    — Roubo do 13.º e 14.º meses de funcionários públicos, pensionistas e reformados em 2012.
    — Roubo do 13.º e 14.º meses de funcionários públicos, pensionistas e reformados em 2013.
    — Roubo do 13.º mês dos trabalhadores do sector privado em 2013.
    — Roubo de 7% do rendimento sobrante a todos os trabalhadores por conta de outrem, tanto do sector público como do privado, por via do aumento da TSU.
    — Etc.

    Ou seja: o Sócrates concordou, contrariado, com um calduço em troca do empréstimo. Os filhos da puta fazem-nos o favor de adiar o calduço, mas entretanto enchem-nos de pauladas, facadas e cadeiradas nos cornos, sistematicamente, ao longo de um ano. E quando, esvaídos em sangue, basta um sopro para nos arrumar de vez e estamos prestes a entregar a alma ao criador, dão-nos o calduço adiado, à laia de golpe de misericórdia, e põem a criadagem a gritar que o nosso passamento é culpa da encomenda do exilado e não tem nada a ver com o massacre a que nos sujeitaram sem que ninguém lhes pedisse?! Ora foda-se e refoda-se!

    Em verdade te digo, confrade e amigo, que, como em 1640, a janela pode ser serventia da casa. Boa viagem para eles e feliz aterragem!

  3. atília: Verdades imortais.

    Joaquim Camacho: Muito bom. Quanto mais aflitos mais aldrabam. Nos últimos dias então não há bicho careta da direita que não remeta os problemas atuais para o Sócrates, alguns até insinuando que a descida da TSU (e nestes termos) consta do Memorando.

  4. O governo anterior tem menos responsabilidades na situaçaõ que levou ao pedido externo do que o psd no que diz respeito aos monstros que gerou dentro do seu partido que lhes permitiu sugar ao portugueses varios mil milhoes de euros (quantas scuts e hospitais pagavam?) quando assaltaram o bpn.retirem esse dinheiroao defict mais o da madeira e digam se a situaçaoque estavamos a viver era mesma.parem com a narrativa mentirosa da bancarrota, e que não havia dinheiro para pagar salarios.Só os catrogas deste pais (homem sem o minimo de escrúpulos.) podem enganar o povo desta forma para poderem levar a cabo uma governação criminosa.

  5. No meu texto anterior esqueci-me dos varios mil milhoes para a banca.Esses senhores estão a proceder de uma forma como se a crise nada tivesse a ver com eles.Ainda ontem o” bem de vida” João salgueiro,criticava o alargamento do prazo para a nossa divida por um ano.que grande falta de humanismo demostrou este canalha com as pessoas que estão a sofrer neste pais,com esta governação “do custe o que custar” com os resultados desastrosos que todos sentimos.

  6. O problema é que o PS preconizou sempre uma versão light da austeridade que nem “aplacaria os mercados” nem poria o país a crescer como é preciso. Não faz sentido defender uma coisa e apostar noutra que basicamente a anula.

  7. l.rodrigues: “Aplacar” os mercados dependerá sempre e apenas do BCE, a não ser que entendas ser positivo destruir um país com pobreza.
    O que o governo de Sócrates pretendia era controlar a dívida a um ritmo que não matasse a economia, enquanto a UE não se decidia a atacar o problema da especulação.

  8. L. rodrigues,se foi pela versao( light) da austeridade, que o governo de socrates caiu…entao tenho-lhe a dizer que nao ouviu, nem leu os argumentos eleitorais da direita.. hoje caiu mais um o labeu eleitoral da direita! os denominados jobs for de boys.é noticia que há ministerios a gastar mais doque o governo anterior com pessoal. O pais actualmente cresce? em quê? só se for no desemprego! nas falencias!na austeridade! nas mentiras! no nao cumprimentos das metas! no nepotismo!. este governo desce! mas , nos rendimentos do trabalho e na deçencia. estamos numa segunda versao do governo de santana lopes!O que esperava de um jota mediocre, na dependencia economica e politica de um angelo correia?Nao gostando de Seguro, (os socialistas sao muito exigentes na escolha dos sec gerais(mario Soares,Constancio,Sampaio,Ferro rodrigues e Socrates) nao tenho duvidas de que em termos intelectuais e politicos,passos coelho está a leguas do actual lider do Ps.

    ,

  9. O lamentável em relação ao MAI é, a sua falta de vergonha e desfaçatez, porque como
    esquizofrénico que parece ser, se esqueceu do triste papel que teve no Parlamento nos
    injustificados e não fundamentados ataques ao anterior Governo, vir para dentro dos
    quartéis da GNR fazer baixa política..não respeitando o recato que a sua funçao obriga!
    Interessante, foi ouvir e ver o rugido do prof. zero Catroga dos “pintelhos” no enfrentar
    da “matilha” que persegue o p. ministro coelho, grande salvador da Pátria que, acima de
    tudo só pensa pela sua própria cabaça…como julgam que os seus ganhos vão ser com-
    pensados na EDP? Assim, como os outros que foram lá colocados a mamar !!!

  10. Estou emocionado.Hoje, voltei a viver tempos de luta identicos aos do pos 25 de abril. há mais de 30 anos que não via tal coisa.Bonito de ver. Gente do nosso, povo sem donos da rua a desfilar pela Av. e ruas do Porto.Os mais idosos e as crianças, deram um tom emocionante a esta grande jornada de luta. depois deste dia glorioso em quase todo o pais, nada pode ficar como dantes . não posso deixar de lamentar, o oportunismo do bloco de esquerda a tentar por” aparição espontanea” colher dividendos.os ventos, não devem esta a soprar de feiçao para estas bandas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.