Poul Thomsen foi ao telejornal

Mandado por Gaspar, só pode. Uma passagem tão rápida (será que ainda vai percorrer os outros canais?) que se diria inútil. E a impressão com que fiquei é que não disse nada de jeito, fartando-se de meter as mãos pelos pés, tentando não fugir aos estribilhos do governo, ou aos seus próprios, válidos aqui e em qualquer parte do planeta, que o governo papagueia, nomeadamente que em 2013 vamos crescer e financiar-nos no mercado.
Mas disse também, por exemplo, segundo julgo ter ouvido, que há duas maneiras de os países se ajustarem: ou através de reformas estruturais, ou através do empobrecimento com a baixa de salários. Para ele, Portugal está a escolher a via das reformas estruturais. Ah!
Atendendo ao que disse Passos Coelho sobre a necessidade e a inevitabilidade de empobrecermos, não andará um bocado distraído? Ele e, pelos vistos, o José Rodrigues dos Santos, que o deixou fazer aquela extraordinária afirmação sem o confrontar com o óbvio.

5 thoughts on “Poul Thomsen foi ao telejornal”

  1. É impressionante, Penélope, como os nossos jornalistas perderam a capacidade de confrontar quem nos governa desde as eleições de Junho.
    Capados..

  2. Também o ouvi ele dizer isso de “há duas maneiras de os países se ajustarem: ou através de reformas estruturais, ou através do empobrecimento com a baixa de salários”, mas depois a seguir disse qualquer coisa do tipo que é ao Governo que cabe escolher a via que acha melhor, e se bem percebi dando a entender que se o Governo estava a escolher a pior opção, isso não era problema dele.

  3. Quem sabe responder: se for seguida a sugestão do troikas de estender o corte dos subsidios de natal e férias aos privados, para quem vai o dinheiro? Pro Amorim e pro Belmiro ou para os cofres do Estado? Se for para o bolso dos patrões, vejam só o tamanho do jackpot. E com a garantia de que a fatia maior vai para os paraísos fiscais, férias e luxos comprados lá fora. Depois o povo paga a divida acrescida, povo com media de salarios nos 800 euros e que gasta cá dentro cada tostão que ganha.
    Quem é que mais endividou o país? Não há a puta de uma “consciência” famosa que denuncie o óbvio? Não existe o caralho de um português com capacidade para dar um murro na mesa e ser ouvido, que denuncie a vergonha de fazer pagar a dívida aqueles que nunca puderam comprar luxos ou nem sequer sonhá-los? Não existe um filha da puta de um bispo que berre do alto do púlpito que um turista luso montado em cima de ordenados de quatro ou cinco mil euros endivida mais o país numas férias que um pensionista de quinhentos euros a vida inteira?
    Não digo que é injusto que alguém ganhe seis ou vinte mil euros. O que digo é que é uma vergonha que não seja esse alguém a ser responsaboilizado, em primeirissimo lugar, pelo endividamento.
    Foda-se, pá! Vejo gente no desespero à minha volta. Como nunca tinha visto. A dor agora é mais sentida porque as pessoas estavam habituadas a um certo modo de vida. É natural. O que não é natural, caralhos me fodam, é serem os mais débeis económicamente a avançar na primeira linha de fogo contra o endividamento, em que foram os menos responsáveis.
    Este nosso Portugal nâo pode ter elites tão filhas da puta! Ou pode?!

  4. Pode sim, Mário. E tem-nas mesmo. Há Séculos.

    E estou tão chocado quanto vocês todos. Se esta é a cara da “troika”, se esta é a “ética” do resgate internacional, tudo o que vai acontecer doravante está mais do que justificado.

    O difícil, cada vez mais difícil e árduo, será fazer as pessoas simples destrinçarem de vez entre o bé-bé (a Democracia e o Estado Social de Direito) e a infecta água do banho (a hipocrisia dos poderosos e o laxismo e a COBARDIA das instituições internacionais).

    Uma vez desfeita esta névoa, não haverá barragem que segure a enxurrada.

  5. ISTO NÃO É NOVO; ISTO JÁ ACONTECEU: NA ARGENTINA E NO CHILE. E O RESULTADO FOI DESASTROSO, COMO IRÁ SER IGUALMENTE DESASTROSO POR CÁ. COMO É POSSÍVEL QUE AINDA HAJA CRÉDULOS QUE NÃO TENHAM COMPREENDIDO ISTO. ESTAMOS A SER MISERÁVEL E DESCARADAMENTE ENRABADOS E NÃO REAGIMOS A TODA ESTA POUCA VERGONHA. SERÁ QUE JÁ NÃO HÁ HONRADEZ EM PORTUGAL? SERÁ QUE SE DEIXAM FODER À DESCARADA E NINGUÉM AMANDA UM VALENTE PAR DE COICES NESTA CORJA? EU POR MIM, ACHO QUE JÁ ESTOU PREPARADO PARA TUDO: MAL POR MAL, POUCO MAIS TENHO A PERDER. . SE FOR NECESSÁRIO DAR A VIDA PARA DEFENDER A MINHA DIGNIDADE, POIS DAREI A VIDA. FASCISMO E ESCRAVIDÃO É QUE NUNCA MAIS!
    QUANTO AO PSEUDO-JORNALISTA ENTREVISTADOR: FAZ PARTE DA TRAMPA DE PESSOAS QUE EM PORTUGAL SE INTITULAM COMO TAL, MAS QUE NÃO PASSAS DOS “HIS MASTER VOICE”. COM ALGUMAS (POUCAS) EXCEPÇÕES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.