5 thoughts on “Pergunta incontornável”

  1. claro, o trabalho tem que ser feito para que essa figura geométrica afastada se aproxegue do próximo governo de iniciativa presidencial. anulam o portas e jogam num governo de prolongamento, mais 4 anos de miséria ao fim de 3 de desgraças e depois vamos todos para o céu. o princípio activo dessa escumalha é o mesmo, de manhã são social democratas, à tarde democratas sociais e à noite monárquicos, mas o objectivo é gamar.

  2. Paulo Portas a presidir ao Conselho de Ministros quando Passos não está? Tal aconteceu tantas vezes com Gaspar, que se suspeita que o bacano não desiste nem se demite de uma assentada, unicamente porque prefere ir fazendo-o aos poucos.

    Será que o PSD aguenta, esta singular coabitação? Ai aguenta, aguenta!!!

  3. Os «PORTUGUESES-DO-PREGO» (leia-se, os portugueses que estão a colocar Portugal no prego) falam em despesa “não enquadrada” na riqueza produzida… e depois:
    1- metem o país a fazer empréstimos… para pagar empréstimos;
    2- vendem recursos estratégicos para a soberania… à alta-finança/capital-global;
    3- após terem conduzido o país em direcção à bancarrota… começam a proclamar federalismo… (leia-se, implosão da soberania);
    4- etc.
    .
    .
    -> Não é com um partido nacionalista que Portugal vai conseguir SOBREVIVER!…
    -> Para sobreviver Portugal precisa de um Movimento Nacionalista que ‘corte’ (SEPARATISMO-50-50) com os «portugueses-do-prego».
    .
    .
    .
    P.S.1
    -> Andam por aí muitos ‘nacionalistas’ a mandar areia para cima dos olhos de OTÁRIOS… leia-se, adoram falar em ‘fait-divers’… desviando as atenções daquilo que é essencial: uma ESTRATÉGIA DE LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA da Identidade!
    {nota: uma NAÇÃO é uma comunidade duma mesma matriz racial onde existe partilha laços de sangue, com um património etno-cultural comum. Uma PÁTRIA é a realização de uma Nação num espaço}
    .
    .
    P.S.2.
    — Nazismo não é o ser ‘alto e louro’… mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!…
    — Os nazis desmultiplicam-se na busca de pretextos… para negar o Direito à Sobrevivência de outros…… um exemplo: os nazis ‘globalization-lovers’/(anti-sobrevivência de Identidades Autóctones) buscam pretextos… para negar o Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones.
    — Pelo contrário, os SEPARATISTAS-50-50 não têm um discurso de negação de Direito à sobrevivência de outros… os separatistas-50-50 apenas reivindicam o Direito à Sobrevivência da sua Identidade! (obs: os ‘globalization-lovers’ que fiquem na sua… desde que respeitem os Direitos dos outros… e vice-versa)
    {nota: há que mobilizar os nativos… que… possuem disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência}
    {nota 2: os portugueses-do-prego não defendem uma estratégia de renovação demográfica (média de 2.1 filhos por mulher9… os portugueses-do-prego ‘dão musica’ a parvinhos-à-sérvia… vide Kosovo…}

    .
    .
    P.S.3.
    — Existem mais de 1200 milhões de chineses, existem mais de 1200 milhões de indianos, etc, etc, etc… e… existem Nazis-Democráticos!
    — Os Nazis-Democráticos insistem em acossar/perseguir qualquer meia-dezena de milhões de autóctones que defenda a sobrevivência da sua Nação/Pátria… leia-se: os Nazis-Democráticos pretendem determinar/negar democraticamente o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA de outros…

  4. ignatz, o próximo governo de iniciativa presidencial é este. Ou que é que julgas que o Passos foi ouvir a Belém?

  5. Resposta insofismável: o PSD é o círculo próximo de Passos e nada mais. O Poder não passa para o Portas coisíssima nenhuma, mantém-se onde sempre esteve, no Ministério das Finanças, ou seja, no Proconsulado.

    Passos continuará como até aqui a fingir que manda, agora até manda mais, porque no Gaspar é que ele não mandava mesmo e no Portas, a partir de agora, qualquer badameco manda. Desde que tenha o lubrificante sempre à mão.

    E o Cavaco pode continuar a fingir que prezide. Quem manda é o Triúnviro, ponto final.

    O Seguro fica a jogar ao pau com os ursos e os ursos engolem em seco, calam e não bufam.

    O PSD, o CDS e o PS acabaram aqui. Agora são só as suas sombras que iremos continuar a vislumbrar, mas a realidade já está algures noutros embriões de Futuro. O 25 de Novembro acabou a 2 de Julho, o dia do meio do ano.

    Doravante inicia-se um novo período da História da Democracia portuguesa. Estejam atentos e dispam-se de preconceitos e ideias fixas. O Futuro não passa pelo regresso ao Passado. Desenganem-se de vez e quanto antes, senão já não irão a tempo de perceber nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.