Pedir à Troika que mande responsáveis políticos “com capacidade de decisão”?

No sábado, em Braga, o secretário-geral do PS havia já defendido que na próxima avaliação do programa de assistência financeira português a ‘troika’ se devia fazer representar por “responsáveis políticos” e não “técnicos”.”

Não sei o que pensar deste pedido de Seguro, segundo os jornais, formulado em carta enviada ontem. Se por um lado é evidente que o trabalho levado a cabo pelos “técnicos” que nos visitam regularmente e cujas avaliações e contas têm por objetivo único reaver o dinheiro emprestado nos prazos acordados, sendo-lhes mais ou menos indiferente a situação social do país, está a levar o país ao desastre (como é de resto habitual), por outro lado todos já percebemos que o problema não é tanto nem só dos técnicos da Troika, mas da orientação política das instituições que os enviam e, sobretudo, sobretudo, dos governantes políticos locais que, no caso português, aplicam o programa com patológico e inédito zelo e regozijo, comportando-se não como defensores do bem-estar e dos interesses da população que governam, mas como técnicos das instituições credoras, só que ainda mais radicais. Mas no fundo, sim, o país está entregue a técnicos, nossos e de fora. E dos maus. Dos que falham todas as previsões e não têm qualquer visão económica para o país. Nisso Seguro tem razão.

O problema é que por detrás da atuação destes técnicos, incluindo o Gaspar, estão ideias e teorias políticas e estão também políticos. Serão esses que Seguro convoca? É que, para esses, o “ajustamento” faz-se levando o país à miséria, só sobrevivendo os mais fortes, leia-se os mais ricos, os restantes morrendo ou sendo obrigados a ir-se embora.

Por isso, a quem está Seguro a pedir que envie “responsáveis políticos”? À Troika? E que responsáveis políticos poderá “ela” enviar? Estará Seguro a sugerir a entrega da gestão política do país a uma entidade política estrangeira, ao Olli Rehn, o comissário finlandês, ao Barroso (credo!)? Ou será a um outro país, à Alemanha, que domina hoje em dia as instituições europeias? Quererá Seguro que venha até cá o Schäuble? Posso não estar a compreender o alcance profundo deste pedido, mas, para já, acho-o algo bizarro e inédito. Tão inédito quanto a atitude do Passos Coelho: somos o único país sob assistência do mundo cujo primeiro-ministro não discute com as instituições credoras a suavização das medidas impostas, aliás, propõe até o seu agravamento! Temos, portanto, um original no governo e um original na oposição. Pelos vistos em disputa pela ideia mais estapafúrdia. Desgraçadamente para nós.

Que tal ele próprio, Seguro, fazer uma oposição forte e contundente, que desmascare, uma por uma, cada medida errada tomada e os seus efeitos? Que torne a posição deste governo de alucinados insustentável e leve o país a mobilizar-se para discutir um verdadeiro programa, levado a cabo por políticos portugueses que amem o seu país?

Dito isto, não vou negar que, como “soundbyte”, o convite possa ter o seu efeito, pois é uma forma de dizer que estamos fartos de técnicos, de pessoas insensíveis, neles incluindo o Gaspar, e que principalmente erram os cálculos, e que é preciso um olhar político sobre os problemas da austeridade. Alguém que ponha bom senso no bando. A minha pergunta, no entanto, mantém-se: em que “responsáveis políticos com capacidade de decisão” está Seguro a pensar e por que razão arrisca expor assim a sua própria irrelevância?
Isto não nos diz imenso sobre a confiança que Seguro tem nele próprio, sobre a sua ambição e a sua luta (ou resignação) política atual?

13 thoughts on “Pedir à Troika que mande responsáveis políticos “com capacidade de decisão”?”

  1. penople,não sou “segurista”mas no teu texto susbsecrevo-o na integra só a partir do penultimo paragrafo.julgo que a espanha já foi um politico e à grecia tambem.no fundo seguro quiz dizer as estes funcionarios de merda que eles não passam disso mesmo, e os chefes ficaram a saber o que pensamos pois disso foram informados.a oposiçoa como sempre desvaloriza todas as iniciativas que venham do inimigo principal.O pcp rejeitou o memorando mesmo antes de ser elaborado .nós deixamos “correr o marfim” tempo demais,mas não perdemos a legitimidade para lhes dizer que o que nos estão a fazer é uma canalhice.quem leu o discurso de obama ou o texto de mlrodrigues no publico sobre o mesmo discurso,percebe que o rumo tem que ser outro.

  2. já tou a ver a troika a responder que só têm funcionários técnicos e se querem discutir política falem com o vosso governo.

  3. Li, em qualquer lado, que os socráticos voltam a atacar Seguro. E só pode ser assim, depois do fogacho Costa. Custa dizê-lo, porque chefia o partido da alternativa de governo que resta ao país (por enquanto), mas Seguro dispara tiros ao acaso, parece não ter uma ideia sobre nada de nada. A Penélope está muito certa na sua crítica.

  4. penso que estará a pedir mulheres – mulheres de barriga lisa que saiam, entretanto, prenhas para darem à luz lá longe. depois nascem filhos de portugal, e das putas, bem legítimos, para espezinharem ainda mais os bastardos.

  5. Amigos

    O Seguro agora saiu-se com esta porque acha que só lhe falta um lance de escadas para chegar ao Poder. Ele sente que já ganhou o partido, mas ainda lhe falta o país.O que ele quer é ser visto a falar com a Merkel, Draghi e a Lagarde, para que o Zé Tuga, bem caracterizado pelo Pedro, fique convencido que ele é um verdadeiro lider, pois até já fala de igual com os “grandes lá de fora” que mandam agora em nós.
    Só falta vir dizer que já tem audiencia marcada com o novo papa, para o dia seguinte à sua eleição. E já estou a ver, a primeira medida politica anti-troika que vai anunciar na varanda do Vaticano ao lado do novo papa, será a reposição dos feriados santos que o anti-cristo Passos Coelho tirou à Igreja e ao Povo.

  6. A rapaziada dos estudos voltou a entoar a Grândola, desta vez para o Relvas.

    Mas o que é que o Zeca e a Grândola tem a ver com a política actual?

    Agora fica bem a esta política abrilista, é ouvir António Variações: Quando a Cabeça não tem Juízo…/O Corpo é que paga.

    E o corpo sabemos quem é e foi sempre, que é o povão, e também sabemos que foram e são as cabecinhas tontas!

    António Variações é que vai dar, que é desta geração.

  7. Quem não percebe a actualidade do grandola vila morena nunca percebeu o 25 de abril.

    Nada de mal nisso mas escusa de vir armar-se com perguntas e sugestões hipócritas

  8. os papas,paulo e bento,vomitam soda caustica há mais de 38 anos, contra todos os lideres ps.hoje é seguro, mas a soda, começou a ser vomitada com mario soares e prosseguiu com sampaio,constancio guterres e socrates.aos pseudos comunistas sugiro que se preocupem mas com a vossa sobrevivência,pois desde abril que não crescem o que é preocupante, para quem sonha ser um bom social fascista no poder.

  9. f.pessoa,tu nem em sonhos votaste ps,como tal deixa-te de conversa da treta. resumindo:não gosto do seguro e como tal voto em pessoas como jeronimo, e amigos. e a democracia? e a liberdade? vou deixar que seja o jeronimo a geri-la ? o ps meteu o socialismo na gaveta,muito antes dos social-fascitas o terem metido na merda,como tal não estamos interessados em entregar o “ouro ao bandido”

  10. “Já disse que não votaremos PS enquanto Seguro lá estiver . O coiso é um nojo!”

    isso é o que os direitolos pretendem, o seguro é um nojo, o passos é um nojo, é tudo a mesma coisa, mas não é. o seguro pode ser incompetente e parvo, mas ainda não assaltou bancos ou roubou carteiras aos contribuintes. preferia o costa, mas não é isso que me vai fazer votar no gang de belém ou dos idiotas (pcp+be) que os ajudaram a eleger.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.