Construções muito mal-vindas nos tempos que correm

Lou Ruvo Center for Brain Health.

À primeira vista não se diria, mas é uma clínica de saúde mental e situa-se em Las Vegas, terra onde pensávamos já ter visto tudo em reproduções ou originalidades arquitetónicas. Ao fim de anos de tentativas, a coincidência de uma perda sofrida de familiares conseguiu convencer Frank Gehry a deixar lá a sua obra. Resta-me desejar que os doentes, uma vez no interior, encontrem algum equilíbrio e pontos de referência.

Aproveito para deixar o meu profundo lamento a quem ficou sem carro, casa ou outros haveres no Algarve.

13 thoughts on “Construções muito mal-vindas nos tempos que correm”

  1. apesar de serem muitos os arquitectos a desdenhá-los, pode ser que a tendência contemporânea ao revivalismo, por questões ecológicas, esteja aqui presente e tenham colocado bidés. pode parecer que não mas o bidé pode ser um óptimo recurso para aproximar a limpeza do corpo à da alma doente. pode ser que se tenham lembrado de fazer esta ponte. :-)

  2. Ignatz desta vez tens razão, o título é de mau gosto e somente uma pessoa a necessitar de cuidados mentais é que se lembraria de fazer essa comparação.

  3. Penélope, confesso a minha ignorância em arquitectura, mas aquilo parece-me supremo. A construção é mal vinda porquê?

  4. Edie: Dadas as semelhanças com a devastação deixada por furacões, tornados, etc., nomeadamente amontoados de escombros metálicos… Penso que dificilmente o arquiteto a projetaria, neste momento, para a cidade Nova Orleães ou Nova Iorque.

    Vista de cima, e há imagens suficientes na NET, é espetacular e, tudo indica, obra de engenharia arrojadíssima. Porém, o fim a que se destina – centro de investigação e sobretudo de tratamento de doenças como o Alzheimer, Huntington, e outras do foro neurológico – deixou-me a olhar para aquilo com algumas interrogações na cabeça.

  5. ok, analisaste a estética face à conjuntura de uma catástrofe natural.
    E subjectivamente viste distorção (onde outros, subjectivamente, verão equilíbrios harmoniosos de linhas, redonduras, curvas, fantasia…). E distorção associada a distorção mental, que é o que se trata lá dentro, não te caiu bem…Hum, não sei como é que os utilizadores vêem aquilo, é subjectivo, depende dos indivíduos, das doenças, do ângulo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.