2 thoughts on “O TGV do Gaspar desmonta-se”

  1. Quero o ramal do Tua o ramal de Mora, o ramal de Moncorvo, o ramal de Miranda, e Coivilhã/Guarda.

    Não preciso do ramal de Poceirão/Madrid.

    Que pariu!!!

  2. Penélope, desde a peça que não tem nada a ver com a realidade, até às explicações aldrabadas do Manuel Moura afirmando que a alta velocidade (AV) e velocidade elevada (VE) não fará variar os custos da infraestrutura da via, como se fosse possível utilizar um comboio de AV no mesmo ramal que serviria as composições de mercadorias de VE.

    O erro do anterior governo e de muitos que defenderam o projeto foi a falta de clarificação de que a linha a construir seria a que agora foi referida pela Ana Vitorino e que o barulho e a poeira misturaram habilidosamente a AV com a VE tapando assim o Sol com uma peneira, mas que o zé pagode engoliu dado não saber, nem pelos vistos ninguém ter tentado explicar, que as duas coisas são diferentes e não são compatíveis uma com a outra.

    Vem agora o governo dizer por outras palavras, e deveria ser denunciado fortemente pelo PS, que afinal pretende levar avante aquilo que tanto criticou o que deveria bastar para o fazer cair de imediato, mas como o nosso povo é sereno como dizia o almirante, isto é apenas um soluço que em nada perturbará o destinos deste pobre país.

    Sobre este assunto, mais uma vez, o Seguro faz de conta que não entende, desaproveitando, uma vez mais, a possibilidade de construir uma oposição séria e combativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.