O corte de 4000 milhões de euros ainda está de pé?

Vítor Gaspar diz que esperou pelo melhor momento para pedir o adiamento do prazo de pagamento do empréstimo. Ou seja, para dar uma boa notícia (que até há pouco tempo, por acaso, considerava péssima, com consequências gravíssimas). É esta notícia um alívio? Olhando em volta, vê-se que não. O “melhor momento” escolhido é, pelos vistos, aquele em que começou nova vaga violenta de austeridade, com reduções de salários, pensões e subsídios e aumento brutal de impostos, e se decide uma outra ainda mais violenta que ameaça destruir os alicerces do próprio regime.

Boa notícia seria o pedido de seis meses, ainda que experimentais, de suspensão das medidas de austeridade. Vai uma aposta em como a economia arrancaria e saltaria à vista a inutilidade de todo este massacre?

6 thoughts on “O corte de 4000 milhões de euros ainda está de pé?”

  1. O Gasparoika só acelarou o pedido de mais tempo pensando que vai beneficiar
    da mudança da presidência do Eurogrupo! Quantos esqueletos meteu no armário
    para afirmar que o défice de 2012 se ficou pelos 5% !?!
    Será que o negócio da ANA já foi sinalizado com a tal garantia bancária a ser en-
    tregue até 11 de Janeiro pºpº! Será que já sabe que o T.C. vai deixar passar o O.E.?

  2. é provável que a suspensão temporária das medidas de austeridade seja comunicada no mês anterior às autárquicas para implementação no mês anterior às próximas legislativas e até lá mais umas manigâncias para que não caia.

  3. Demissão do governo ? A partir de agora o cálice vai ser bebido até ao fim. É a minha previsão…. infelizmente.
    Quase apetece dizer que isto vai dar tempo ao PS para se organizar!
    É o esvaziamento do balão do Tó Zé…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.