Mija

sofia galvão

No final do percurso, Passos Coelho encontrou outra mulher, que lhe manifestou apoio, dizendo-lhe “vamos para a frente”, e a quem respondeu: “Sabe como se diz na minha terra, não é? Para trás mija a burra. Sempre para a frente”.

Há uns dias, apanhei por mero acaso um debate na TVI24 entre Sofia Galvão (em cima), Fátima Bonifácio, Carvalho da Silva e Pedro Lains. Às tantas, e reagindo à exposição de Sofia Galvão – a advogada passista que invocou no ano passado a regra de Chatham House para tornar opaco um debate sobre a reforma do Estado, onde se poderiam revelar intenções inaceitáveis – Carvalho da Silva classificou de paleio o discurso do Governo sobre a melhoria da situação económica e sobre a nossa vida passada, alegadamente vivida acima das nossas possibilidades. Paleio, reparem. Vi Sofia Galvão indignar-se, por trás dos óculos que lhe acorujam os olhos, com o tipo de linguagem utilizada por Carvalho da Silva, a qual seria imprópria e impeditiva de qualquer debate sério, ali mesmo lhe passando um raspanete. Vá-se lá saber porquê, esta mulher tem-se em alta conta e está convencida de que frequenta algum tipo de aristocracia. Mas o pobre do “paleio” até parece uma palavra poética perante o verdadeiro basismo linguístico do amigo primeiro-ministro de Dona Sofia Galvão. Aguardo, pois, os comentários indignados da gente que constitui a casta finérrima desta advogada e especialista em Direito do Urbanismo, ou da própria, às expressões boçais amiúde utilizadas em público por Coelho, nomeadamente na Assembleia da República.

Sobre Fátima Bonifácio, a avaliar pela direção do cabelo, suponho que a própria se deve arrepiar com a lenga-lenga insana que repete, aprendida certamente nos discursos de Angela Merkel.

14 thoughts on “Mija”

  1. Gajo Passos + Gajo Portas + Gajo Maduro + Gajo Marco António + Gaja Sofia Galvão = Fina Flor do Entulho da Gajada. E está tudo dito nesta bandalheira.

  2. Ai se nós pudessemos cagar para esta cambada de governantes e afins! Mas temos de os aturar, como eleitos do nobre povo da nação valente. Ainda por cima, imortal! Como quem diz “isto não tem remédio”…

  3. para trás mija a burra, sempre para a frente é uma expressão engraçada. :-) acho até que os políticos têm mesmo, como em qualquer profissão, de ajustar o discurso ao público – de outra forma não há comunicação eficaz. viva o calão!

  4. “Sobre Fátima Bonifácio, a avaliar pela direção do cabelo, suponho que a própria se deve arrepiar com a lenga-lenga insana que repete, aprendida certamente nos discursos de Angela Merkel.”

    frio… frio… é o discurso oficial da madrassa soares dos santos, andam a ensaiar o coro para a campanha do merceeiro a belém.

  5. A vulgaridade da prosa mijona que se segue é culpa de quem abriu o precedente.
    —————————————————————————–

    Mijamos para a frente, ou para trás? Eis a questão. Grande Passos Coelho! Pois nem Shakespeare conseguiu mijar tão bem como tu!

    O coelho mija para a frente o que a patroa da coelheira quer que ele mije, e para trás o dejecto fedorento que a patroa não quer que os clientes vejam.

    Entretanto, um dos clientes fez queixa, e a ASAE foi chamada à coelheira. Vai, finalmente, haver uma inspecção a sério. Como poderá sair uma avaliação positiva? Com tanto mijo — para a frente, para trás — a coelheira fede…

  6. A D. Galvão limita-se a viver na “realidade” criada pelos crâneos marados do PSD!
    Como estamos na era do direito à diferênça, cada qual pinta o quadro com as tintas
    de que gosta mais, não deixam as velhas narrativas da quase bancarrota a que o PS
    levou o País, vejam os progressos alcançados nestes dois anos e meio de desgover-
    nação da maioria dos estarolas … o maior aumento foi a receita fiscal do IRS (+30%),
    estão esperando pelas instruções da troika para fazer o O.E. 2014!
    Só falta saber o resultado das eleições autárquicas do dia 29, onde todos irão ganhar!!!

  7. Pingback: Mija
  8. A senhoreca só prova que segue a máxima que segue toda a porcaria fedorenta da sua laia : “linguagem do povo?! Mas sou alguma plebeia?!!!”
    Hipócrisia a rodos , é coisa que fazem de conta que não vêem. Tal como as ratas de sacristia, assim vai este governo : faz o que eu digo, caladinhos e virados para a frente acerca do que eu faço.
    Se há coisa que me incomoda é a displicencia como esta gentinha diz tudo e o seu contrário para sairem sempre por cima. Vendiam as mães e avós se isso lhes desse o poder nostalgico que querem recuperar desde o 25 de abril.
    PQP a todos, que queimem num imenso lago de fogo com cheiro a cócó!

  9. Quanto a mijas, a minha teoria é que este coelho mija para tudo o que mexe, como se comprovam os estragos em toda a linha na sociedade portuguesa,
    até naqueles que ainda não sabem que vão levar paulada.
    Está só ao retardador, mas quando cair até guincham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.