Juncker não conhece a ficha clínica de Gaspar

«“No caso de Portugal, por exemplo, gostaria que se reajustasse o ajustamento e as condições financeiras e orçamentais que acompanham esse ajustamento”, diz o ainda presidente do Eurogrupo, citado pela TVI24.»

É uma tripla aberração – um ministro das Finanças, técnico totalmente desconhecido e obscuro de um banco, com poderes de primeiro-ministro; um ministro das Finanças a quem personalidades ligadas aos credores sugerem com cada vez mais frequência que pode solicitar condições menos duras para a população do seu país e as rejeita; um ministro das Finanças cujo único objetivo é esmagar tudo e todos para poder dizer que conseguiu ir aos mercados no fim do ano. Esta anormalidade cantará depois vitória sobre os mortos, os rotos e os estropiados. Irónico e acabrunhante é percebermos que o regresso aos mercados aconteceria de qualquer maneira – porque assim decidiu o BCE.

7 thoughts on “Juncker não conhece a ficha clínica de Gaspar”

  1. Era uma vez um Gaspar, que fazia parte da corte, e que vestia um fato feito de um tecido invisível chamado génio, que lhe conferia o dom de acertar nas medidas que tomasse e tinha a característica de só poder ser visto por pessoas inteligentes. Apesar do homem estar nu para as pessoas mais avisadas nem o povo nem a corte queriam fazer o papel de pouco inteligentes e por isso fingiam que o homem ia vestido.
    Porém com o decorrer do tempo verificou-se que todas as medidas que o homem tomava davam resultados diferentes do previsto.
    Assim o número de pessoas que viam o Sr. vestido foi rareando até que restaram apenas três crentes. Um membro da corte (Relvas) que muda tantas vezes de fato e de pele que quando vê um membro da corte nu assume que ele esteja em transito entre duas mudanças de roupa e portanto, para a sua larga visão, tecnicamente vestido. Um ex funcionário com carreira internacional (Borges) que lhe convém manter o mito do tecido génio, pois julga que também veste o mesmo tecido. E por último o chefe (Coelho) que vê convictamente o homem vestido mas não por tecido totalmente invisível mas sim a brilhar com purpurinas.

  2. Somos é governados por testas de ferro dos grandes interesses, sobretudo banqueiros. Esta gentalha não tem o mínimo de compaixão para com o povo que desgoverna, são uns monstros!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.