Gaspar aprendeu depressa as técnicas da demagogia

«Existe aparentemente um enorme desvio entre o que os portugueses acham que devem ter como funções do Estado e os impostos que estão dispostos a pagar».

Gaspar convenceu-se de que tem piada e pretende aqui fazer humor e ironia com a famosa expressão “enorme desvio”. Acontece que piada já não tem nenhuma, sobretudo quando pensa que faz de nós parvos. Não são as “funções do Estado” que estão aqui em causa neste aumento brutal de impostos que propõe. A maior parte dos portugueses não se importaria de pagar mais para obter melhores serviços de saúde, de educação, de transportes ou sociais. Tal como os cidadãos dos países nórdicos aceitam o nível de impostos a que estão sujeitos face ao que o Estado lhes garante. Mas o Governo não está a aumentar os impostos desta maneira para prestar melhores serviços aos cidadãos. Aumenta-os, e de maneira punitiva, para tapar o buraco enorme nas contas públicas de 2012, da responsabilidade exclusiva do Ministro das Finanças. Destes novos impostos, muito pouco reverte em benefício dos cidadãos. Assim sendo, a afirmação é totalmente falaciosa e deslocada.

8 thoughts on “Gaspar aprendeu depressa as técnicas da demagogia”

  1. penople,repor a verdade,é uma medida sanitaria.alem do aumento de impostos que referiu, temos para acrescentar o aumento das taxas moderadoras nos serviços prestados no SNS.

  2. toda a gente gaba o sns mas quando me dói a barriga espero 3 semanas para ser atendido pela médica de família (€ 5,00) que me aconselha ir ao gastroenterologista amigo (€75,00+ 1sem.) que me manda fazer uma ecografia e análises cujas requisições tenho de pedir em nova consulta à médica de família (€ 5,00 + 2 sem.), vou então ao laboratório (€35,00) e à imagiologia (€7,50), volto ao gastroqualquercoisa 2 semanas depois (€75,00) e o gajo receita-me uma caixa de pankreoflat. dois meses depois, gastei para cima de €250,00 e 14 horas do meu tempo por causa duns peidos e ainda há quem diga maravilhas do sistema.

  3. o pior é quando o paciente bate a bota durante o processo porque, afinal, não era só uma questão de peidos. Ainda ontem tive conhecimento de dois casos assim… E um terceiro, não tão grave, em que a senhora, reformada, atropelada, se dirige ao hospital público, cujo médico, após “atenta” observação do raio X ao pé que doía para caraças, a mandou para casa com recomendação de ben-u-ron (sem receita, porque já não é comparticipado) e gelo.E dá cá 25€, que tens desconto.
    Algumas semanas e 700€ depois retirados das poupanças(para o privado), já está melhor do pé partido que afinal tinha três fracturas, com início de tromboflebite por falta de diagnóstico e tratamento atempado.

    Obviamente, nem tudo passa (pelo menos directamente) por falta de orçamento. Compreendo, aliás, que haja alguma dificuldade de concentração por parte de médicos a trabalhar mais que as horas devidas, etc., mas com um raio, “são as pessoas, coisos!”

  4. “Aumenta-os, e de maneira punitiva, para tapar o buraco enorme nas contas públicas de 2012, da responsabilidade exclusiva do Ministro das Finanças.”

    Alto e para o baile. Com alguma responsabilidade do Ministro das Finanças e com outra tanta de quem lhe entregou a peça no estado em que entregou.

  5. oh deluxe! indo por aí acabas no afonso. se calhar era melhor consultares as habilitações de herdeiros e as heranças. antes conheciam tudo, estavam mais que preparados e quando assumissem o governo era só mercados aos encontrões para comprarem dívida pública e juros aos trambolhões, passados uns tempos tinham herdado um buraco colossal e depois um desvio enorme. mas mostrar as contas e justificar os buracos tá de chuva.

  6. Deve estar a ser criado um fundo especial para resolver os 21 mil milhões que se vencem
    em 2016! Quanto à Segurânça Social vem de longe o abuso dos governos na utilização dos
    fundos de pensões, começou com Marcelo Caetano nos idos de 1968, sacou 18 milhões de
    contos para fazer face a despesas extrordinárias com a defesa nacional! Tem sido norma os
    governos esquecerem as transferências do O.E. anuais, para as chamadas pensões sociais
    que foram criadas a partir de Abril 74 ! Fazem suas as reservas criadas pelo trabalho dos
    beneficiários ao ongo de muitos anos de descontos…o que pode configurar um abuso de
    confiânça !!!

  7. O Gaspar apenas está a expor a ferida, outros virão fazer o tratamento.

    Vai doer um pouquinho mais e a emigração com telemóvel e viagens low coast e umas remessas não vai ser tão duro como noutras crises.

    Diz que já sofreu uma crise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.