Euro “à la carte”

Esta sugestão do Deutsche Bank de se criar uma nova moeda para a Grécia, o Geuro, além de engraçada (ou gira), original e altamente exequível como tantas outras ultimamente, tem alguns inconvenientes tendo em conta o futuro: implica, por exemplo, que, se um país como Portugal se vir em situação semelhante à da Grécia, dificilmente aceitará partilhar aquela moeda, cuja letra G apenas se aplica à Grécia. Além disso, cria-se confusão a nível internacional. Teria, pois, de se inventar tantas moedas novas como países em falência, o que daria para Portugal o Peuro, para a Espanha o Espeuro, para a Itália o Iteuro, para a Irlanda o Irleuro e para a França o … difícil a designação. Sugiro o Frère, preferível a Freuro, com a vantagem de realçar bem o espírito solidário que anima a Europa.
Geuro tem também o inconveniente de a letra G não constar da palavra grega Ellada (designação dada pelos gregos ao seu país), o que configura desde já uma inaceitável ingerência linguística, para já não falar de todas as outras, de uma potência estrangeira.

One thought on “Euro “à la carte””

  1. Olha que geuro! Também escrevi sobre o assunto, mas foi com base num diálogo que “ouvi” numa rua de Paris. É que os franceses gostam muito de simplificar as coisas e chama ao Peuro pire

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.