Descaramento total

Como evitar que Portugal se transforme num país de velhos sem esperança, quando o bronco número dois deste governo insiste em mandar lá para fora os mais novos e mais qualificados (deduzimos que com plena noção de que por lá assentarão arraiais e por lá se reproduzirão), elogiando-os até por tal serviço prestado?

Ao conversar com jovens portugueses, em Maputo, “tive grande orgulho naquilo que vi e ouvi”, perante um “outro tipo de emigração”, diferente da dos anos 60, com destino à Europa.

“Esta é uma emigração muito bem preparada. Nós investimos significativamente nos últimos 20 anos numa geração e hoje não lhes damos aquilo de que eles precisam, que é o emprego”, referiu.

Em Moçambique, com aqueles jovens, Miguel Relvas disse ter ficado “com a sensação de que pátria deles é o momento onde estão, a circunstância em que estão”.

Fonte

11 thoughts on “Descaramento total”

  1. Falta acrescentar, Penélope, que este governo de broncos tem o apadrinhamento do primeiro magistrado da nação, Cavaco Silva, e a benção do PCP e BE.
    Portugal lhes reconheça o mérito!

  2. Foda-se, o que não dira o homem quando vir as avultadas rendas e prestações sociais que vamos conseguir obter, aqui no estrangeiro, como forma de compensar o handicap irreversivel de sermos nacionais de um pais governado por cretinos completos !

  3. E eu que fui para as colónias de “tamancos”, vão agora os netos de “canudo”!

    Dizia-me pela rádio há 37 anos, quando desembarcava em Santa Apolónia, numa euforia das multidões libertas, a esposa, com o marido que viria a ser um dos nossos Maiores: “E agora, não precisamos emigrar mais”.

    Vinham de Paris, eram eles Maria de Jesus e Mário Soares.

    Tambem perguntaram os jornalistas uns tempos mais tarde a este senhor, e o que vai ser daqueles brancos, que estão nas colónias?

    Respondeu, sempre teve resposta para tudo, com toda a sapiência: “tiveram azar, jogaram na carta errada”!

    Na realidade todos estes anos tem sido um tal de baralhar e tornar a dar, que só dá duques!

  4. E que é que recomenda o Relvas aos que não tiveram direito a canudo, que nasceram já depois de Abril mas apenas tiveram direito a empregos de baixo rendimento, que agora se encontram desempregados e que o governo lhes aperta os calos com taxas e impostos, lhes diminui o tempo de pagamento da prestação de desemprego porque tiveram apenas a ousadia de tentar viver no seu país dar um canudo aos filhos e agora veem o chão a fugir-lhes debaixo dos pés?
    Porque é que Relvas não se lembrou de emigrar para a Angola de onde saíu em 74, preferindo viver à custa dos outros em vez de encetar, quem sabe, um caminho de sucesso que serviria de exemplo à geração que aconselha?
    Se ele ao menos se calasse com a treta da canção do emigrante com novas roupagens e fizesse alguma coisa para aumentar os postos de trabalho, mas pelos vistos ele é especialistas na criação de lugares para emprego (não confundir com trabalho) de priveligiados, por isso fala de maneira a servir quem lhe garantiu o tacho.

  5. Investimos?
    a pata que te pôs, investiste a ponta de um corno, não foi a puta da década perdida? afinal agora investiram, os sacanas.
    Não, meu grande badamerda, quem investiu fui eu, foi o meu vizinho, foi Portugal, foi o PS, foi José Sócrates, foi Mariano Gago, foi Maria de Lurdes Rodrigues, fomos nós que apoiámos essa política sabendo que isso era o futuro do País, as Bibliotecas, as Universidades, as Novas Oportunidades, as Escolas, a avaliação, os Magalhães, sim, isso tudo que vocês, bandalhos de merda odeiam, que vocês vêm destruir agora, que tiram à Educação com E grande para darem mais 12 milhões aos negócios da educação privados, vocês têm medo de quem sabe, têm medo de quem estuda, têm pavor que outros também vão para as universidades, têm saudades do tempo em que saber ler era o suficiente, mão de obra barata, respeitadora e obrigada, os pretensos empresários que só sabem viver da mão de obra barata e dos subsídios.
    Estes gajos são o grau zero da decência.

  6. bem, mas é verdade aquela frase do Pessoa, a minha pátria é a língua portuguesa

    Valupi, olha que piada, finalmente chegou à praça a discussão das taxas de juro negativas:

    Expresso

    Perder dinheiro para deter Bunds

    Hoje, pela primeira vez na zona euro, ocorreu outro facto surpreendente.

    O Tesouro alemão colocou dívida a 6 meses pagando uma rentabilidade média… negativa, de -0,0122%. No leilão, os investidores nos Bunds (nome dos títulos alemães) a 6 meses aceitaram ser remunerados com uma taxa inclusive nominalmente negativa (o que significa, em termos reais, significativamente negativa). O rácio de cobertura foi bastante inferior ao ocorrido na operação anterior, mas, mesmo assim, o Tesouro alemão colocou €3,9 mil milhões, em que os investidores aceitaram ter rentabilidade negativa.

    Este facto é sintomático da análise que os investidores fazem do mercado da dívida na zona euro, onde os títulos soberanos que parecem ser seguros são os alemães, a ponto de “pagarem” ao Tesouro alemão para os adquirirem. Se houver uma hecatombe nos títulos da zona euro, os investidores pensam que os Bunds serão seguros. No mercado secundário da dívida, as yields (juros) destes títulos a 6 meses estão inclusive com uma remuneração negativa ainda maior, de -0,02%.

    Aguarda-se a reação do BCE na próxima reunião do conselho de governadores marcada para esta quinta-feira de manhã.

    Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/crise-da-zona-euro-multiplicador-monetario-reduzido-a-cinzas=f698665#ixzz1j3UTYC5D

  7. Continuo na minha:
    Ao assistir ao tratamento que os estarolas têm por parte da comunicação social, não deixo de aplaudir a celeridade com que resolveram a asfixia democrática do Sócras.

    Posto isto, passo a citar a D. Cesaltina, que era uma espécie de governanta em casa de uns conhecidos:
    -Votárendes neles, não votárendes? Atão têrendes qu’aguentar.

    E eu acrescento: Têrendes pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.