Barreira dos 7%

Lembram-se de ouvir dizer que o governo Sócrates devia ter pedido “ajuda” antes, nomeadamente quando os juros da dívida pública a 10 anos atingiram os 7%, sendo a recusa a causa mais apontada pelos direitolas para o “estado a que chegámos”? (pobres demagogos)
O safado irresponsável não quis saber. Continuou “levianamente” a resistir, com o aval da UE.
Agora, o “safado irresponsável” do Mario Monti, numa altura em que a Itália já está obrigada a pagar 6,47% pelos empréstimos a 5 anos e mais de 7% a 10 anos, também não está a pedir a “ajuda” da Troika. Um criminoso, portanto. Um irresponsável. Não é? Se não, porque será?

“Os mercados accionistas abriram negativos, mas as quedas agravaram-se depois da emissão de dívida italiana, que, pelo prazo de cinco anos, teve de pagar 6,47%, – um nível de juros incomportável a longo prazo. Desde a cimeira Europeia da semana passada, os juros das dívidas soberanas não dão qualquer sinal de correcção.” (do Público)

6 thoughts on “Barreira dos 7%”

  1. Da maneira como este Governo é competente e determinado, Mário Monti ainda vai ser um dia extraditado e julgado em Portugal, juntamente com o Sócrates, o Cavaco, o Durão Barroso, o Papandreou, o Zapatero, o Obama e outros loucos irresponsáveis…

  2. Cara Penélope,
    para a direita portuguesa os 7% só são um crime em Portugal, lá pelas terras das maravilhas podem ter o valor que tiverem (com exceção da Grécia) que é tudo gente séria e técnicamente abalizada.

  3. a resposta a essa pergunta é bem mais simples do que imaginas penelope. De facto, ele não chamou ainda o fmi, e nem precisa de o fazer.O que quero eu dizer com isto, perguntar-me iás.
    O que quero dizer é que, ele não precisa de chamar o fmi ou a troika(como queiramos chamar), porque ele próprio é o fmi e a troika.Encarna as figuras deles e das organizações internacionais.É o pau mandado deles tal como asism é o lucas papademos. Uns autenticos governos de vichy, controlados pelos poderes internacionais.E acrescento uma ultima nota:há rumores de que o proximo ministro das finanças espanhol será um membro espanhol do bce, o González Paramo

  4. anonimo: Sim, mas com as necessidades de financiamento gigantescas da Itália, onde arranjará o dinheiro, se a rendibilidade dos títulos da dívida soberana atingirem, como já estão a atingir, valores incomportáveis? As medidas de austeridade não vão bastar, como sabemos, e quem especula penso que ainda não é o FMI nem o BCE nem o FEEF.

  5. a italia até agora safou-se, mas pode bem ter chegado agora a um fim de estrada onde vira em 2 direcoes: ou a europa finalmente deixa a sua insanidade, ou entao a italia vai escorregar para o fmi

  6. Mosenhor Monti tem a bênção do Vaticano. Não é situação comparável com o resto da escumalha da Europa que tem que levar com os Loiças e Herónimus que se divertem a algar governos de esquerda enquanto os coçam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.