A pergunta que não fizeram a Francisco Assis

Na entrevista que hoje dá ao DN, Assis reafirma basicamente que não se identifica com a aliança de governo feita pelo PS após as últimas eleições. Já sabíamos. Possivelmente o que interessava aos entrevistadores era essa reafirmação, sem mais, pois a entrevista não é longa. E também a opinião, de imediato destacada, de que Passos “não é um neoliberal” (matéria que não é desenvolvida, hélas). Passos, de facto, não é nem deixa de ser coisa alguma substancial. É uma nulidade apoiada por neoliberais e por calculistas eleitorais, imaginando-o eu mais facilmente a ir tomar copos com estes últimos em pé de igualdade. Assis embrulha-se um bocado quando diz que Passos também não é social-democrata. Pois é. Se optasse pela nulidade sair-se-ia melhor. Mas a pergunta que importava fazer-lhe e não fizeram e que eu gostaria muito de ver respondida é a seguinte: o que propunha Assis após o resultado das últimas eleições? O cinismo de um governo minoritário de direita (Assis esquece a devastação e a frieza dos últimos quatro anos), derrubável na altura oportuna? Qual? Uma coligação com esta nulidade nem neoliberal nem social-democrata? Para quê? Partilha da opinião da direita de que não havia alternativa?

 

Mas podiam ainda ter-lhe feito outra pergunta: já que coloca na «fila dos burros» os dois partidos da extrema-esquerda, não acha que, por mais pequena que seja, a aproximação desses partidos às lides da governação lhes poderá curar muitas das utopias, sendo uma oportunidade para repensarem o seu papel na democracia? Aqui até seria fácil desenvolver um provável «não, não acho». Mas perguntas destas nunca são feitas.

13 thoughts on “A pergunta que não fizeram a Francisco Assis”

  1. Também lhe podiam perguntar como é que ele se classifica a si próprio, e qual é a solução que ele propõe.
    Mas isso era dar-lhe uma importância que ele não tem. Porque ele também é uma nulidade.

  2. Se alguma expetativa houvesse ou restasse sobre Assis, ela ficou desfeita nesta entrevista, em que não acredito que não tivesse a noção de como estava a ser usado….. Está instalado, bem insta,lado e as suas opiniões indiciam isso mesmo. Resolveu pegar numa metralhadora , apontar para os pés e dar uma rajada…. Que fique longe por muito tempo !

  3. O mal do Assis, é falar muito depressa e ter um pensamento muito lento … daí o
    desfazamento das suas infelizes declarações que, acabam por mostrar que de so-
    cialista o “filósofo” nada tem! Pior, acaba por tentar “salvar” o coveiro do País
    que, foi o traste de Massamá cujos, muchachos se davam ao luxo de não querer
    falar com os legítimos líderes do PS quando o entrevistado ainda era “lider” da
    bancada parlamentar do PS! Para mostrar desapego e cortar com a actual direção
    do PS deveria apresentar a sua demissão do “tacho” de Bruxelas onde passa pouco
    tempo e que, se saiba, só escreve a crónica semanal para o jornal que lhe paga a
    avença!!!

  4. penélope,voçê está efetivamente em forma. hoje o assis deu uma entrevista à tsf(não sei se foi repetição). para entre outras opiniões, repetir que é contra a coligação ps/pcp /bloco. a direita dos jornais e radio,sabe muito bem onde estão as pessoas que lhes dão jeito!

  5. assis , fez bem mentir ,para dizer que passos coelho não é um neoliberal e caloteiro (digo eu),para os laranjinhas o manterem por lá mais uns anos! alguém já o apelidou de” Bandeirinha”, pois não a larga da lapela, que começou a usar , quando iniciou a suas malfeitorias para com o povo português! quem critica costa,por reverter as más praticas politicas de passos,para com o povo portugues,só pode ser de direita!

  6. Atão o Assis não era o supra- sumo ou sumo-pontífice aqui do blogue? O pipol de Felgueiras é q o topou bem mas os espíritos bem pensantes fizeram dele um herói da luta contra o caciquismo. Um provinciano inteligente e letrado deve sempre renegar as origens para ser aceite na corte, e dos livros. A projecção no Pacheco não é de admirar, o seu futuro será nas páginas do Publico e nos talk shows onde não tenha q sujar as unhas. Um espectador, a sociedade dos espectadores e o q está a dar.

  7. não, ò xtrume. o assis aqui sempre foi assaz criticado por estas banda. deves andar a consumir dop casal ventoso & cemitério dos prazeres, mete touriga nacional nisso que baixa as dioptrias.

  8. Assis tem momentos.
    Prefiro recordar a classificação imediata do discurso de posse do ido cavaco:
    – discurso de facção : disse ele.
    Depois tem aqueles tiques de se mostrar diferente.
    Típico no PS.
    Lembrem Roseta, M. Alegre, e tantos outros classificados pela frase : …eu… sou insuspeito…. nunca estive de acordo…não votei…
    São afinal reservas à espreita para o que der e vier.
    Tantos congressos gravados para podermos relevar mais esta dissonância.
    Assis é fofinho e nervoso!

  9. a pergunta que não fizeram ao assis é porquéque não desampara e não se alista no pipidibarrapiéssedi.

  10. joe strummer,no aspirina e noutras bandas,o assis nunca foi bem visto, e está sempre a dar-nos razão! tivemos pena dele, quando levou porrada em felgueiras,o que é muito diferente. levem-no para o psd,pois aí está à esquerda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.