O país paradoxal

Lido num jornal de distribuição gratuita (o Metro):

«A marca que mais cresceu em termos de vendas em Portugal foi a Maserati, com 11 carros vendidos entre Janeiro e Novembro, um aumento de mais de mil por cento face a 2004. Com subidas nas vendas estão também as marcas Bentley, Ferrari e Porsche.»

11 thoughts on “O país paradoxal”

  1. Sou um dos que comprou um Maserati. E digo-vos uma coisa, é dinheiro bem aplicado.

    Um dia se trabalharem e conseguirem gerar riqueza, vão-me perceber.
    Força nas canetas!

    Paradoxal é falarem no Ribeiro e Castro, enquanto no vosso umbigo o super Soares trepa o declínio…

  2. Ah pois é…é incrivel esta malta. Querem um Maserati? Trabalhem! Produzam! O pais que queremos, não tem so direitos e regalias. Tem deveres e obrigações! Nem todos podem ser patrões, e o pensamento do patrão = explorador tem que acabar. Quanto maior for uma empresa, melhor sera quer para o patrão quer para os trabalhadores. Mas parece que esta malta de esquerda ainda não percebeu isso.

  3. Só posso concordar com o sl, afinal patrão que é patrão quando compra o Ferrari já modernizou a fábrica, já paga salários justos aos trabalhadores que, por esta altura, já andam de porche…

    E claro está que o ferrari irá aumentar e muito a produtividade da empresa… que apesar de gerar lucros para comprar a dita máquina está à beira da falência porque, como não poderia deixar de ser, os malandros dos operários não produzem…

    Depois o ferrari nem sequer é do patrão, mas sim daquela empresa “gira” que alguem possui em gibraltar…

  4. Nada tenho contra um cidadão que compra um tal carro desses se o dinheiro que o paga for dinheiro limpo e principalmente conseguido à custa da exploração selvagem de gente que dá o que tem e nÃO tem na empresa. Não é o caso certamente senão…
    Qual crise?
    Por outro lado, parece-me que ha por aí uma filhadaputice duma ideia que os trabalhadores ´+e que são os chulos deste país. Que merda vem a ser esta?
    dasss que nojo!

  5. Tenho a dizer que acho indecentes indivíduos que compram jornais de distribuição gratuita.
    Isso vai contra todos os princípios de que compra maseratis, ferraris, etc.

  6. É e sabem porque cheguei de rena? porque ainda não ganhei o suficiente para comprar um Ferrari. E sim, não é so uma ideia filhadaputa, é a certeza de que a generalidade dos trabalhadores, são malandros, que apenas vêm os seus direitos, mas são incapazes de olhar para as suas obrigações. Sim, a generalidade dos trabalhadores, acha que são sempre explorados, coitadinhos, que so deverias trabalhar 4 horas por dia, e ter um salario minimo de pelo menos 1500 Euros. Sim a maioria dos trabalhadores é Estado-dependente, os Estado tem obrigação de lhes dar tudo, mas eles não tem obrigação de dar nada…E não é so uma ideia é uma certeza.

  7. Eu também comprei um mase!

    E vocês ainda andam com essa treta, cambada de ignorantes inúteis? Comprar um carro destes é dos gestos mais altruistas que se pode ter neste país. Para poder ter um bicho destes tenho que oferecer outro ao estado… Ou seja: pago mais impostos a comprar o Maserati do que vocês, com os vossos truquezitos a fugir ao IRS a vida toda, e ainda querem mamar rendimentos mínimos e ter os filhos de graça nas escolas… Ao menos comprem uma bomba e dêm dinheiro ao estado!

  8. Tenho um Quattroporte de 1996, Biturbo, V6, 286CV para vender. Tem 60.000Km e está a pedir 35m€

    Alguém interessado??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.