Tá tudo bem no governo, a comunicação social é que alimenta umas tricas

Eu acho que há aqui uma mistificação muito grande por parte de alguma comunicação social em torno desta matéria, a posição do Governo desde o princípio tem sido a mesma, conforme foi dito quer pelo senhor primeiro-ministro, quer pelo líder do principal partido da oposição e que faz parte da coligação de Governo, doutor Paulo Portas, nas comunicações que fizeram já há uns dez dias atrás.

Marques Guedes, ministro da Presidência, hoje em Oeiras.

7 thoughts on “Tá tudo bem no governo, a comunicação social é que alimenta umas tricas”

  1. UMA ESPÉCIE DE RADIOGRAFIA

    Os politicos em portugal e politilogos são uma espécie , de intelectualoides de retórica, travam uma batalha de ideias obsoleta entre ser de esquerda e direita , eu conclui que os votantes em branco é que levam direita , isto é so treinadores de bancada, nem esquerda nem direita tem um modelo de desenvolvimento para o país, discutem futilidades e intrigas sonsas , quando o futuro esta no mar, nas pescas no mar, na agricultura , olhem para a Noruega , um dos paises economicamente mais desenvolvidos da europa e ,acordem desse sono intelectual , O que se passa em portugal é simples , a elites estam obsoletas quer a de esquerda quer a direita , e fazer o que?????
    O melhor é deixar andar , esta assim há 37 anos , uma geraçao de imcompetentes ,de pseudomodernaços .Portugal tem 800 anos de história, sempre sou be encontrar saidas das crises, tb vamos saber sair desta. Mas dá dó ver tanto pseudomodernaço sem sabe ro que fazzer com país , nao criaram um modelo dedesenvolvimento para o país , e pelo andar nem vao criar nada , vai ficar tudo na mesma como a lesma……!!

    o que portugal tem é um defice de mentalidade ,á a lei do menor esforço a trabalhar , quanto menos se fizer melhor….. nada vai mudar dentro de 10 anos ta tudo na mesma
    Os refrenciais esquerda e direita , são uma BATALHA OBSOLETA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ANEDOTA – “Défice de mentalidade” :

    Caso 1 :

    Estam dez engenheiros japoneses dentro de uma buraco (que é a economia do país), os japoneses num ano , tiram, sujam a camisola , sujam as mãos o corpo , sujam -se de trabalho, mas levantam a economia , os japones só estam bem a trabalhar, da-lhes prazer , são a especie mais evoluida do planeta .AH este engenheiro até tiram o capacete se necessário!!!!!!

    Resultado final: Os japoneses numa decada tornam-se estam entre as melhores economias do mundo.

    Caso 2 :

    Estam dez engenheiros portgueses dentro de um buraco (que é a economia do país). OS engenheiro portugueses , três estam de camisola e capacete , 7 estam de fato armani e de capacete , so três é que trabalham , os outros sete so mandam fazer , não tiram o capacete de doutor por nada deste mundo, não se sujam a trabalhar para nao suar as maos nem o corpo para poder conservar o facto limpo, tem que se lhes chamar Sr doutor engenheiro , e primeiro que se consiga falar com eles , so por requerimento, sao inacessiveis aos outros , tem um complexo de superioridade distancial , que quase é preciso esperar um ano para se conseguir falar com eles , isto se nao der muito trabalho.

    Resumindo , querem todos usar o capacete de doutor em vez de fazer eles mesmo as coisas , é so luxos caprichos , manhas e truques de trabalho, tem um sindroma entranhada do quanto menos se fizer melhor , isto já sao vicios geracionais .

    Resultado final: Nem daqui a 100 anos saímos do buraco

    A Grande psicose das elites portuguesas (tanto de esquerda como direita, está assim há 37 anos é: LEI DO MENOS ESFORÇO , CAMARADAS QUANTO MENOS SE FIZER MELHOR , TIRAR O CAPACETE DE DOUTOR É QUE NÃO.

    FAZER O QUE ? Rir é o melhor remédio ,O melhor até tomar um placebo , e deixar andar , amanha ou depois esta tudo na mesma como lesma , devagar , devagarinho e parado.

  2. Que eu saiba o Estádfio Nacional fica na Cruz Quebrada. Oeiras ainda é uns quilómetros mais para oeste. Aconselho o sr. Júlio a ir estudar um pouco de geografia.

  3. Ó Olavo, eu repeti o que vem na notícia: Oeiras. Nem me lembro de ter lido “Estádfio Nacional”, mas se tu dizes que foi lá, acredito. Olha lá, Cruz Quebrada-Dafundo não é uma freguesia do concelho de Oeiras, pá?

  4. Caro “camarada do passado”,

    1. A Noruega era paisagem até descobrirem petróleo há cerca de 30 anos atrás. Antes disso pescavam e passavam fome como toda a Escandinávia. Agricultura na Noruega? Vê-se bem que nunca lá esteve.

    2. Dizer que “o futuro esta no mar, nas pescas no mar, na agricultura” é a prova que você é o verdadeiro protótipo do treinador de bancada. Aposto que também é daqueles que acha que devíamos ser todos empreendedores. Por isso deixo lhe uma novidade: a percentagem de trabalhadores activos que já tentaram abrir um negócio em Portugal é de 42%. Na Noruega é 8%. No Gana é de 82% e também acham que o futuro está no mar.

    3. Portugal tem 870 anos de história e não 800 como você diz.

    4. É por demais evidente que você dessa história – e da realidade do país – conhece muito pouco, senão não dizia imbecilidades como diz, tais como que nos últimos 37 anos está tudo na mesma. No final da década de 60 eu descia a Avenida de Roma e 90% das pessoas iam descalças. Em 1974 eramos campeões europeus do analfabetismo, ombreando com a Albânia.

    5. Achar que “esforço ” é sinónimo de produtividade é revelador da sua mentalidade tacanha. Se você percebesse peva de história económica sabia que não foi assim que a Noruega ou o Japão se tornaram o que são hoje.

    Caso 1:
    Os Japoneses, tal como os Noruegueses são dos países mais evoluídos do mundo resultado da educação, e não do cheiro a suor ou do sacrifício como terapia ocupacional. Isso é o que fazem os estúpidos.

    Os Japoneses saíram da desgraça da 2a guerra mundial porque tinham um povo com uma educação acima da média, e porque no pós-guerra tiveram empréstimos gigantescos
    a juro 0%, alguns dos quais ainda não pagaram! E não foi numa década como você diz, foi ao longo de mais de 30 anos.
    Ainda assim, têm hoje uma divida pública a rondar os 220% do PIB!
    Já os Noruegueses investiram os petro-dolares na educação, e em quantidades industriais. E por isso hoje estão onde estão.

    Caso 2:
    Pais de Doutores? Só se for de doutores burros como você!
    No final do século XIX, os países escandinavos já tinham as taxas de alfabetização que nós só agora alcançámos. Mais: a 25 de Abril de 1974, um em cada três portugueses era analfabeto. Pela velocidade a que você debita parvoices parece que essa revolução não chegou à sua casa.

    Rir é o melhor remédio? Então ria-se de si próprio, porque eu acho-o tão triste que me dá vontade de chorar.

  5. “No final da década de 60 eu descia a Avenida de Roma e 90% das pessoas iam descalças.”

    Descalças metaforicamente, quer o amigo Castro dizer, desprevenidas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.