D. Carlos e a sua Igreja

A homossexualidade é julgada pelo Catecismo da Igreja Católica como desordenada e contra a lei natural, em caso algum podendo ser aprovada. Isto exclui, aparentemente, que seja tolerável um bispo homossexual. Muito menos um bispo pedófilo, como já se viu por esse mundo, mas não é disso que D. Carlos Azevedo é acusado na Visão de hoje, com direito a capa sensacionalista da cor do inferno. A denúncia é de homossexualidade, com “assédio” para carregar as tintas. “Querem-me destruir”, reagiu D. Carlos. É capaz de ser verdade.

O catecismo vigente diz também que os homossexuais devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza, evitando-se para com eles todo o sinal de discriminação injusta. Já lá vai, portanto, o tempo em que os “sodomitas”, incluindo os da Igreja, eram condenados à fogueira. Agora pedem-lhes que dominem a sua sexualidade “desordenada” e que, pela oração, reentrem no caminho da perfeição cristã, que é a castidade. Quantos o farão? Não há estatísticas.

Foram sempre tão frequentes as práticas homossexuais no seio do clero que um santo doutor da Igreja que viveu no século XI, S. Pedro Damião, lhes chamou o “vício dos clérigos”. Isso é dito no seu Livro de Gomorra, obra que dedicou ao papa de então e que hoje é por muitos considerada como a bíblia da homofobia. Mais tarde, a Inquisição atirou-se aos clérigos homossexuais, pelo menos a alguns, como gato a bofe. Uma história circunstanciada dessa perseguição pela Inquisição de Lisboa é agora tese universitária de uma historiadora brasileira, de seu curioso nome Verónica de Jesus, intitulada precisamente Vício dos Clérigos (2010), que se pode ler na net. Os numerosos clérigos “fanchonos” ou “sodomitas” do Brasil eram recambiados para Lisboa e aqui julgados pelo Tribunal do Santo Ofício. Vários arderam em autos da fé, outros foram açoitados e enviados para as galés. Para a Inquisição, o acto mais hediondo, a pior ofensa a Deus, equiparada pelo santo tribunal a regicídio, consistia em “depositar a semente no vaso traseiro do paciente”. Menos graves eram os “toques” e as “molícies”, que o leitor imaginará o que fossem. Os inquisidores, como os confessores, eram voyeurs e regalavam-se com pormenores pornográficos. Tudo era minuciosamente inquirido, descrito e classificado.

Falou-se há alguns anos no nome de D. Carlos para suceder ao patriarca de Lisboa. O bispo auxiliar de Lisboa destacava-se pela sua inteligência, cultura, currículo académico, cargos eclesiásticos importantes que desempenhou, mente relativamente aberta, bem-falância, atitude viril. Para não destoar dos seus colegas, na sua qualidade de porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa atirou-se ao governo de Sócrates com as acusações de falta de diálogo, anticlericalismo, mentalidade laicista, etc. Insistiu na treta de que não havia liberdade de educação em Portugal, porque o Estado não dava mais dinheiro à Universidade Católica. Apesar de discordar de tudo isso e de não ser católico, não me custava achar que o bispo D. Carlos tinha boas qualidades para renovar a Igreja em Portugal e para cativar as camadas cultas. Pelos vistos, nem todos achavam isso dentro da Igreja, onde também há inveja e ódios mesquinhos. Quando se apontou o nome dele para patriarcável, logo surgiu a denúncia de assédio sexual, vinda de um antigo aluno e actual responsável eclesiástico. Não sei porquê, mas isto soa-me ainda um bocado como se viesse do Santo Ofício: “É fanchono, condene-se”.

Não sei o que a Igreja vai fazer agora, mergulhada que está nas suas contradições. Provará D. Carlos irremediavelmente da intolerância que ainda existe na Igreja em matéria de sexualidade? Como é a sua Igreja, não poderá ter grande razão de queixa, coitado.

26 thoughts on “D. Carlos e a sua Igreja”

  1. Caro Júlio, não entendo porque é que o Carlos, acusado de assédio, poderá ser alvo “…da intolerância que ainda existe na Igreja em matéria de sexualidade…” se vier a provar-se que assediou!

    Será que é por ser bispo, que se destacará pela “…sua inteligência, cultura, currículo académico, cargos eclesiásticos importantes que desempenhou, mente relativamente aberta, bem-falância, atitude viril. …”?

    Será que o assédio não é crime? Será que fazê-lo é um direito de quem usa sotaina e sobrepeliz?

    Será que a Igreja trata os homossexuais do mesmo modo com que trata os heterossexuais? Ou será porque é bispo, bem falante e está junto do poder, este Carlos deve ser tratado de modo diferente de qualquer cidadão que assedie o próximo?!

    Será que o Carlos, que até é bispo e gente importante no mundo clerical, não tem maiores obrigações no uso e abuso de comportamento exemplar? Ou prefere-se o velho refrão: Olha para o que eu digo, e não para o que eu faço?

  2. olha ele! sempre lesto a zurzir no governo anterior e nas horas vagas, entreter-se a assediar colegas da mesma fé.azevedo corta a “gaita” e dá ao gato…

  3. Nunca apreciei especialmente o Bispo D. Carlos (ao contrário, p.ex. , do Bispo D. Manuel Clemente).

    O que agora se encena na arena mediática é, porém, do pior que o nosso já desacreditado jornalismo insiste em fazer: campanhas negras, verdadeiramente assassinas do bom nome, do carácter e da honra das pessoas.

  4. Caro Teófilo, há uma acusação, ninguém provou ainda se houve assédio ou não. Assédio tem uma definição rigorosa e, se for verdade, é crime. A lei é igual para todos, tal como todos têm direito a defender-se e a serem presumidos não culpados até se provar a sua culpa. O resto é condenação sumária, ao gosto e conveniência de cada um. Não alinho nisso, embora critique muitas posições do bispo, sobretudo como porta-voz da conferência episcopal.

    Conheço o homem de outras andanças e prezo bastante o seu trabalho académico. Como pessoa sempre me pareceu impecável e digno de estima.

    Mas a acusação de assédio também pode ser uma boa arma para queimar rapidamente alguém, sobretudo na Igreja. Porque para a Igreja, com assédio ou sem assédio, a homossexualidade é comportamento “desordenado” e “contra a lei natural”, que “em caso algum pode aprovada”. Logo um padre ou um bispo de quem se saiba que é homossexual, apesar de não ter cometido nenhum crime, está feito. E mesmo que a mera homossexualidade se não prove, o rótulo de suspeição fica-lhe colado.

  5. Caros amigos,

    Uma vez houve um ministro que disse ” esta nao é a minha polícia”
    Eu direi, ” esta nao é a minha Igreja”

    Deve haver muitos interesses no Patriarcado para lançarem esta campanha contra o Bispo D Carlos Azeredo, a fim do afastarem da sucessão.

    Pelo caminho que a Igreja Católica está a seguir e tendo em atenção o que este Papa disse, ainda vamos assistir a outro cisma na igreja.

  6. sabes, Júlio, diz-se que a grande epidemia do século vinte terá sido a sida. mas é mentira: a grande epidemia é, sem dúvida, a anorexia da alma- é que nas almas obesas há espaço para todos.

  7. Totalmente de acordo amigo Júlio. É tão patética a discussão sobre a orientação sexual do Bispo, como patéticas são as “ispilicações” dos “comentadeiros” de questões religiosas sobre a resignação de Bento XVI. É que tenho a impressão que nem a hierarquia religiosa lhes encomendou o frete. Ler o La Republica e conhecer a História da Igreja ajudava um pouco e podia suscitar uma estimulante troca de ideias.

  8. Ignatz

    Nao sei nao, mas o teu jeitinho para sacares informação, nao sei se o outro que te acusou de seres da PIDE, nao tem algum fundamento. Estou a brincar! Nao leves a mal.
    Mas olha que esta informação que sacaste vai ao encontro do que eu acho que anda para acontecer lá para os lados do Vaticano.

  9. Júlio, a acusação pelos vistos existe e não é de agora! O que terá levado a que a mesma tenha chegado ao conhecimento do vulgo, é outra questão, e não despicienda, por sinal.

    Não o condeno, de imediato, pois desconheço se a acusação é verdadeira ou apenas tentativa de enxovalho, assim sendo, espero apenas que lhe seja dado o mesmo tratamento que aos demais, no respeito da lei.

    Sobre a orientação sexual do senhor bispo, nada tenho a dizer, nem a mesma me aquenta, nem arrefenta, e se a igreja católica o vier a fazer terá muito trabalho pela frente, pois a homossexualidade está normalmente presente em núcleos onde o celibato é obrigação e não opção, pelo que o senhor bispo não será exceção mas apenas variante.

    Não conhecendo o seu trabalho, também não é por causa dele que se poderá invocar a sua probidade ou inocência, acreditando no entretanto que a tua opinião estará fortemente condicionada pelo que conheces dele.

    A Igreja, a respeito da homossexualidade, e depois de olhar bem o seu interior, retirou o estatuto de pecado aos “desejos” ou “inclinações” chamando-lhes “inclinações desordenadas”, continuando no entanto a constituir pecado o ato em si, pelo que o assédio vai bem mais longe do que uma inclinação desordenada.

    Se estiver inocente, é, lamentavelmente, apenas mais um de muitos, a cair na voracidade “voyeurista” da sociedade atual que está sempre mais disposta a punir do que a questionar.

    Poderá ser, uma tentativa de o queimar, quem sabe, mas se a Igreja deixou andar o carrocel há já uma data de anos, e se o próprio não se tem empenhado em defender o seu bom nome e tentar castigar quem o difama, alguma coisa me parece não estar bem, não acha?

  10. Ignatz

    Tenho que trabalhar, nao tenho tempo para tomar atenção ao que todos escrevem. Além disso, nao tenho a tua vida!

  11. Edie

    A colar-me a quê, a quem? O Ignatz e tu nao passam de uns eunucos neste blog. Ainda nao tive a oportunidade de ler uma única ideia propria vossa. Estão sempre em cima do muro, como dizem os brasileiros, para atacar o que os outros escrevem. Valem Zero!!!!
    O vosso VAB para o blog é nulo!
    Tenho a minha propria agenda politica, nao ando a reboque de ninguem.
    Edie nao passas de um otario!
    Vai dar de banho ao cao

  12. oh xico! trabalhar? foda-se… isso é coisa de pobres e ainda por cima é preciso saber fazer alguma coisa. tu nem ler o que te metem à frente dos olhos és capaz. a avaliar pela amostra deve haver gajos que te pagam para te manteres à distância.

  13. “Tenho a minha propria agenda politica, nao ando a reboque de ninguem.”

    diria mesmo, tunucos armados aos cucos

  14. xico, explica lá o prémio nobel de economia pró gaspar e deixa.te de merdas. Já ando ando aqui há seis anos e otários como tu já passaram às dezenas, Só não me chames homem, estúpido. Que merda de gestor és tu que não percebes as regras básicas do ingalês, pá?
    Gestora sou eu e estou à espera de explicações quanto ao gaspar…mas não sentada, bronco.

  15. Ignatz

    Tu nao dizes nada! O teu VAB para o blog é nulo! Não há uma unica ideia da tua parte sobre nada. É só ruido! Quando se espreme o que tu dizes, sai nada!
    Ja te disse, és um ressabiado! Tenho um na familia, como tu, sei o que é isso.
    Depois tens aqui uns acólitos que fazem escola.

    A mim pagam-me pelos meus conselhos e análises! O mercado dos cereais é basicamente um mercado de informação. Sabes lá do que falas!
    O que fazes da vida para tanta prosápia? Até o Dr Relvas deve ter mais curriculum que tu!

  16. edie

    mas que merda é esta de me chamarem xico! O meu nome é Francisco Rodrigues.
    Se achas que era possível fazer melhor, depois do acordo que o Socrates assinou com a Troika, com as condiçoes que estao lá definidas e os termos que temos de cumprir. Porque do Socrates só ouvimos o que nao nos ia acontecer, o que nos ia acontecer ficou reservado para o Gaspar nos dizer.
    Desculpa ter te confundido com um homem. Porque terá sido?

  17. alguns dos que gostavam da malta da casa pia, tambem eram excelentes profissionais.essa de querer destruir a carreira de alguem com argumentos “falsos ” com esta gravidade ,não lembra o diabo. a fama do bispo azevedo já vem de longe…

  18. “Desculpa ter te confundido com um homem. Porque terá sido?”

    . 1 – pelo tom de voz, tamém aconteceu ao procurador que acusou o pedroso

    . 2 – em tua casa mulher não toca em computador, só para limpar o pó

    . 3 – tens medo que saibam no partido que uma gaja te deu baile

    . 4 – complexo d’ edie

    . 5 – querias armar aos cucos e vai d’aí escolheste uma maneira original de empalear, babi afrostyle

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.