Vinte Linhas 615

«Nirvana de carteiro» na Rua dos Douradores

Está patente até ao dia 30 de Junho na Galeria Fábula Urbis (Rua Augusto Rosa nº 27 – à Sé) a exposição de John Howard Wolf constituída por fotografias suas e excertos do «Livro do Desassossego» de Fernando Pessoa. Ora esse livro, mais do que um livro, é uma imensa colecção de fragmentos da escrita pessoana e organiza-se em torno do espaço e da rua onde Fernando Pessoa vivia e trabalhava (a Rua dos Douradores) na Baixa de Lisboa. Ele chamava a esta rua um «nirvana de carteiro». Segundo John H. Wolf «a noção de Nirvana naquele contexto histórico, significava simplesmente um estado de anestesia em relação aos cuidados, sofrimento e dor exigidos pela realidade mas, de um modo ainda mais importante, pela consciência – sua e a dos outros. A sua angústia e sofrimento dominam de tal modo o seu espectro que ele desejava alcançar um estado de inconsciência e chegava a invejar os que se encontravam nesse estado. Pessoa afirmou que a inconsciência é o fundamento da vida, enquanto a vida dos carteiros é rotineira, uma repetição exaustiva do ritual das cartas e das caixas de correio». Aquele que é o escritor português mais conhecido, escrevia Fernando Pessoa não pertence a ninguém, nem a mim e revoltava-se contra os cientistas classificadores porque, segundo ele, o classificável é infinito e portanto não se pode classificar. O propósito de John H. Wolf ao organizar esta exposição foi, «na medida do possível desmistificar um pouco a imagem de Pessoa projectada por académicos e intelectuais – imagens por vezes exageradas, caricaturadas, orientadas por um alto grau teórico, de erudição seca e, por vezes, ao comando de modas». Fernando Pessoa hoje – a exposição vale a pena.

4 thoughts on “Vinte Linhas 615”

  1. a rotina funciona, para muita gente, como um mantra para a inconsciência da consciência – uma verdadeira droga alienante. e Pessoa gostava de viver alienado: não viver – daí a sua constante frustração e refúgio e esquizofrenia. :-)

  2. Muita pena que não possas ver a exposição. Eu vi e parece-me que os autor das fotos captou a baixa de Lisboa, agora, na geografia do Livro do Desassossego de há quase cem anos. A Rua dos Douradores de Fernando Pessao ao lado da Rua dos Fanqueiros de Cesário Verde…

  3. Podes entrar no «site» basta clicar em «fabula urbis» e depois «exposições» – hoje a tecnologia tem estas coisas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.