Violência

francis_bacon.jpg

Estranho. Ver como, mesmo na vida mais organizada e ronceira, a violência pode irromper a qualquer momento. Falo da violência física, aquele assunto de punhos esfolados e testas sangrentas, de gestos brutos, inopinados, vindos sabe-se lá de onde. É estranho ver como uma coisa tão feia pode ter um efeito tão revigorante, tão luminoso e redentor. Sabermos que, quando é mesmo preciso, conseguimos atirar-nos para o centro da fogueira, mergulhando de cabeça no caos que mais tememos, nas chamas que sempre evitámos. Estranhos caminhos que seguimos para nos reconciliarmos com o mundo. E connosco.

4 thoughts on “Violência”

  1. Luís,
    Sa ideia era levares uma sova, podias ter falado comigo ou com aquele teu amigo Filipe que não gosta de anónimos.
    Não andas a ver demais o Fight Club? Ou continuas a fazer amizades com a malta de leste?

    Abraço,
    NRA

  2. É verdade outra vez.
    O Vaticano condenou Madona que se crusificou no seu espéctaculo em Roma. Mas nem uma palavra sobre o padre que violou 47 jovems, o raio que os parta;a eles e esse Bush que quére dar a democracia, aos vendedores de droga da Florida!! Nâo sera isso que vai trazer a paz a MIAMI

  3. “Sa ideia era levares uma sova, podias ter falado comigo ou com aquele teu amigo Filipe que não gosta de anónimos.”

    Tem piada que me passou exactamente a mesma ideia pela cabeça. Vejam lá rapazes se quiserem ir tomar um “cafézito” e precisarem de escolta avisem. Agora para que fiquem as regras do jogo bem claras: se tocam um no outro eu juro que dou um estalo a cada um, seja quem for o autor da veleidade.

    Desculpem se a solução é demasiado salomónica, mas quando os caminhos da racionalidade se esgotam eu não quero que os meus amigos enveredem sozinhos pelos caminhos da irracionalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.