Para onde quer que vá, o bravo português leva consigo as suas atiladas competências técnicas

Na Alemanha, foram presos dois portugueses quando roubavam a carteira… de um polícia à paisana.

13 thoughts on “Para onde quer que vá, o bravo português leva consigo as suas atiladas competências técnicas”

  1. Nem tanto ao mar… nem tanto à terra!
    Vezes há em que não sai logo um polícia à futrica!
    E a bem da verdade, nessas coisas não somos nós os grandes mestres.

  2. Estamos, sem sombra de dúvida, perante mais um caso de discriminação xenófoba dos emigrantes portugueses na Alemanha. Gravíssimo!

    Até já os polícias interferem com o livre exercício das actividades de subsistência económica dos pacatos portugas no estrangeiro. Ademais, parece-me eticamente reprovável que um polícia à paisana se faça acompanhar de algo tão perigoso como uma carteira. É ignóbil! Bastar-lhe-ia uns trocados no bolso, mas o maquiavélico agente preferiu exibir ostensivamente o couro reluzente da dita, a espreitar num dos bolsos traseiros das calças, para assim lançar o apetecível isco a algum incauto que cruzasse os seus desígnios.

    Tratou-se, portanto, de uma cilada ou de assédio. E o facto de caírem dois portugueses na esparrela mais não foi que mera casualidade. Afinal, poderiam perfeitamente ter sido duas portuguesas; ou até mesmo — ouso afirmá-lo em prol da paridade — um português e uma portuguesa.

    Privados dos seus legítimos direitos laborais, um dia destes, os nossos compatriotas ainda se vão ver mesmo obrigados a perpetrar actividades ilícitas para poder com… prar bilhetes para o mundial!…

    E eis, neste lamentável episódio, mais uma prova inequívoca e irrefutável da grande falta de formação profissional de que padecem os trabalhores portugueses. Não será decerto deste modo que lograremos transmitir uma boa imagem da capacidade produtiva e executória do País ao Mundo, pois nos momentos cruciais continuamos a falhar.

    Até já.

  3. Somos demasiado egocêntricos. Este é um caso isolado. Não tem qualquer significado a reter nem qualquer relevância acerca dos portugueses em geral. São portugueses como podiam ser indianos, turcos ou mesmo italianos. Por favor, não generalizemos. Para negativismo já nos chega Portugal, não precisamos de ir além-fronteiras. Um abraço a todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.