Preparados para a loucura

Gran%20Via%20Madrid.jpg

Há milhares, talvez milhões, de espanhóis que acham que enlouqucemos. Que estamos, crianças inconscientes, a brincar com o fogo. Percebe-se. A habituação à ideia de nos integrar-nos na Espanha torna a coisa plausível, quase óbvia.

O paradoxal, o perverso, é que a estúpida Lisboa centralista torna aceitável o sermos, já agora, um pouco mais centralizados. Centro por centro, mais vale um rico e poderoso, não é?

Mas quem pode, um segundo sequer, desejar-se numa Espanha em que metade vota num PP, onde, ao lado de gente inteligente e sadia, se acoita tudo quanto é fascista (o termo não é exagerado), ao ponto de determinar o rumo do partido? A malta não lê jornais? Ou os jornais não informam?

Talvez que, um dia, quem nos salve da loucura seja a própria Espanha, que não quererá ver-se a braços com mais uma região desestabilizadora dum conjunto, já de si, preso por arames (veja-se o que restou do Estatut catalão depois do banho madrileno). Portugal? No, gracias. Ah, grandes espanhóis!

4 thoughts on “Preparados para a loucura”

  1. Cada uno en su casa y Dios en la de todos. A los españoles no les interesa Portugal en absoluto más que como mercado para las empresas y destino turístico barato. Saramago chochea e Iberia son unas líneas aéreas…

  2. En una supuesta unión. ¿Cuanto nos costaria a los españoles poner Portugal en sanidad, educación, infraestructuras, pensiones, salarios y un largo etc. a la altura de España?, no creo que ni siendo la 8ª potencia económica, pudieramos llevarlo a cabo, sin que se vea afectados nuestro bienestar por largos años, así que de unión, por mi parte nada de nada, los portugueses no son españoles, ni los españoles portuguese. España no es Portugal ni Portugal es España. Y yo no estoy dispuesto a que con el dinero de mis impuestos, que tanto trabajo me cuesta ganar, se emplee en mejorar la vida de gentes que no son mis compatriotas, así que eso cada uno en su casa y Dios en la de todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.