Colocar um aquecedor debaixo da minha secretária é, para já, a melhor ideia que tive em 2008 (mas ainda estamos em Janeiro, né)

Para variar, mais três propostas videomusicais. A primeira, «Be Good or Be Gone» de Fionn Regan (algures entre Nick Drake e Donovan) prova, apesar da beleza dos cenários, que as possibilidades de um videoclipe vão muito para além da imagem. A segunda, «Sun Lips» dos Black Moth Super Rainbow (para fãs dos Mercury Rev, Flaming Lips e Air) é um valosíssimo e hilariante exemplar de uma espécie em vias de extinção: o vídeo narrativo. Finalmente, a última proposta é tudo isto e muito mais: «Jesus Saves, I Spend» de St. Vincent (a minha grande descoberta musical de 2007) é das coisas mais originais e subtilmente sarcásticas que tive o prazer de conhecer nos últimos tempos: não se deixem enganar, aquilo é puro veneno.

46 thoughts on “Colocar um aquecedor debaixo da minha secretária é, para já, a melhor ideia que tive em 2008 (mas ainda estamos em Janeiro, né)”

  1. assim como uma ilustração para um texto, os videoclips, dantes, eram subsidiários da música que os motivava. esse primeiro que mostras é fabuloso, exemplar de como cada vez mais os videoclips musicais se autonomizam, se tornam objectos bem distintos da música, ao ponto de a experiência originada pelo conceito (pelas alterações que as diferentes condições acústicas e enquadramentos sonoros lhe acrescentam) produzir uma nova peça musical.
    a propósito disto, pode dizer-se que a mesma dicotomia ocorre com os teus títulos, exigindo mesmo comentários distintos aos dos posts. do que tu precisas é de uma braseira ou, melhor ainda, de umas ceroulas.

    O segundo é marado que se farta, caramba.
    Quanto ao terceiro, é foleiro falar em causa própria, mas acho que toda a gente concordará que faço ali um playback perfeito.

  2. Agora que já recuperei, deixa-me acrescentar que as ceroulas dão-me comichão (pele sensível, é o que é).

  3. Não sou adepta de aquecedores ou escalfetas. A escolher, prefiro um animal – ou um homem, dá tudo ao mesmo – por perto. Ambos aquecem os pés. É aquecimento natural. Não se estranham tanto as diferenças de temperatura, evitam-se constipações.

  4. claudia, que ideia tão prática me deste: um homem agachadinho debaixo da minha secretária. que jeito me vai dar este inverno. sou até capaz de o deixar lá arrumado no verão.

  5. Estou com a Susana, na sua apreciação do primeiro video.
    Com tanta gataria não consegues fazer uma manta dinâmica? Um no pescoço, dois ao colo, três aos pés, por exemplo?

    Susana, Lololololololol! Não é prático dar comer debaixo da mesa. Deixa-o arejar na Primavera para que ele volte fresco no Verão. Assim evitas também o ar condicionado.

    (Fernando, volta a tentar que já funciona. Chegas sempre tarde às coisas boas!? Será a perpectiva do veneno? Peço esclarecimento.)

  6. ernesta, esse mesmo. conheces?

    sininho, comida debaixo da mesa? ele pode caçar na minha ausência. já o arejamento primaveril é sempre uma boa ideia.

  7. LOL.

    rvn, ando sempre com os pés e mãos gelados e não são os aquecedores modernos que me consolam. Pelo contrário, só me põem doente. Um uau uau ( a minha cadelinha encosta-se sempre a mim), um gatinho e, em último recurso, um homem que não seja muito rezingão, são perfeitos para esse efeito.

    susana, lol. Um homem por baixo da secretária dá jeito. Nem que seja para apanhar com papéis de chocolate, de rebuçado ou coisa que pareça. Podem servir para caixote do lixo também.

    Ernesta, :-) A tua pergunta rimou maravilhosamente bem.

  8. “Be Good or Be Gone” é o mais surpreendente e refrescante. E uma ideia tão simples. As mais difíceis, claro.

    Curiosa a tua referência ao vídeo narrativo. Mas ele não esteve sempre em vias de extinção?…

  9. Primito: tens razão. E ele (o vídeo narrativo) continua aí, nos seus raros exemplares, cheio de saudinha.

    Meninas: não sei se já repararam como tenho habilmente ignorado as vossas provocações.

  10. ora viste, joão? a ernesta presume que és um homem que é homem. não me ocorreria sugerir-te um homem agachado debaixo da tua secretária. ui. como diria não sei quem: safa!

  11. Susana,

    Só tirei conclusões de experiência feitas, que isso de pézinho quente dá volta para o lado e ressonar garantido e a provocação que se aguente.

  12. Ernesta, pena. Na minha ignorância, fui ao youtube a ver se a apanhava. Não vi nada, pois.
    Um homem que é homem, meninas, se repararem bem, isso já não existe. Hoje em dia, temos anõezinhos, como diz a Ernesta. Homens, poucos. Mas consolemo-nos: ainda há mulheres.

  13. ernesta, estás a falar daquele filme de animação em que a história é contada do ponto de vista dos diferentes intervenientes e em que o vilão, afinal, era o coelho?

  14. se andares todos os dias um bocado JP, de preferência com uma mochila com 2 kg ou assim, os pés andam sempre quentes. Ou então é da idade não sei, sei que isso dos pés frios passou

    cláudia, afinal este bicho é melhor do que estava a dizer, eu é que ainda não tinha atinado bem com ele, e ele até acelerou (e as teclas são riginhas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.