Aspirina M #2 (All those dark and frantic transatlantic miles)

petshopb.jpg


Até há poucas semanas, nenhum amigo meu gostava dos Pet Shop Boys. Quanto a mim, também nunca lhes prestei muita atenção. Era capaz de citar alguns belos temas como «West End Girls», «What Have Done To Deserve This?» ou «Suburbia» e mesmo de achar alguma piada às versões de canções tão inusitadas como «You Were Always On My Mind», «Somewhere» ou «Go West». Era, digamos assim, uma banda que me deixava indiferente, isso se exceptuarmos o autêntico sobressalto que senti em 1996, quando ouvi pela primeira vez «Se a vida é (That’s the way life is)» – a canção com maior teor de vitamina C que já ouvi na minha vida.

Vou tentar ser mais sincero (ai, que custa tanto): também havia da minha parte um certo preconceito. O imaginário «camp» e a pirosice visual do duo Neil Tennant / Chris Lowe eram de difícil digestão para alguém que, como eu, sempre se sentiu mais atraído pela «gravitas» de bandas como os The Smiths, Massive Attack ou Radiohead. Enfim, palermices. Há algumas semanas atrás, veio-me parar às mãos a colectânea PopArt e, pela primeira vez, entreti-me a ouvir com cuidado as 35-canções-35 dos dois CDs. O resultado está à vista: sou, muito provavelmente, o mais fanático novo fã da banda e o meu objectivo musical n.º 1 para 2006 é comprar, o quanto antes, toda a discografia da banda. Escusado será dizer que, actualmente, a primeira frase deste post já não corresponde à verdade e que a passagem do ano em minha casa foi dançada ao som de «I wouldn’t normally do this kind of thing», que era, no fundo, aquilo que cada um de nós estava a pensar para si mesmo.

Por isso, gostaria de partilhar com os que ainda não sucubiram aos encantos de uma das mais genias duplas de compositores pop de sempre, um dos temas que têm estado em constante repeat no meu leitor de CDs: «Home & Dry» do álbum RELEASE (2002). É um belíssimo exemplo da sofisticação da escrita de Tennant e Lowe e conta com a colaboração de um nome de peso: nada mais, nada menos, do que o grande Johnny Marr – e, já agora, aconselho igualmente o videoclip, que é absolutamente surreal.

(Vamos agora ao que interessa: alguém é capaz de me dizer onde é que posso comprar, vá lá, meia-dúzia de T-Shirts dos Pet Shop Boys?)

HOME AND DRY (Neil Tennant / Chris Lowe, 2002)

So my baby’s on the road
Doing business, selling loads
Charming everyone there
With the sweetest smile

Oh tonight, I miss you
Oh tonight, I wish you
Could be here with me
But I won’t see you
‘Til you’ve made it back again

Home and dry

There’s a plane at JFK
To fly you back from far away
All those dark and frantic
Transatlanctic miles

(Olhó vocoder!)
All the way through night and day
You fly on home tonight
Come to me, you know I’ll be here
When you call tonight

32 thoughts on “Aspirina M #2 (All those dark and frantic transatlantic miles)”

  1. “- mãe, que é isso?, para o que te havia de dar.
    – tem um texto… estou a ver se o autor do post tem razão…
    – pet shop boys, mãe?! duh.
    isso é tipo lounge electrónica.
    (…)
    – manda-o falar comigo, mãe.”

  2. Falem de Coltrane, falem de Wagner ou Boulese, falem de Chico ou Caetano, falem do Sérgio ou dos Clã, relembrem a constelação de Dinis Machado, mas por favor deixem-se de chafurdar nestas coisas.

  3. Pet Shop Boys?…(com o sobrolho levantado em dúvida)
    E eu ouvi isto até ao fim?…
    Sim a capa é gira
    Mas tens a certeza de que precisas das t-shirts?…

  4. pet shop boys…

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

  5. AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

  6. Eu desconhecia esta vertente romântica do JP. E eu a pensar que ele não tinha coração… (vais levar no focinho que te fartas).

  7. AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

  8. Errrrrrr… bem… fiquei mal habituado às belíssimas recomendações musicais que abundavam noutras paragens em forma de blog… vou-lhe dar um desconto, preferindo acreditar que o mau gosto é meu! Um abraço!

  9. ….
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    ….
    AHAHAHAHAH!!… AHAHA!!… AHAHAHAHAH!!!
    …..
    AAAAAH!
    ai… ai… mt giro…
    Quase q acreditei. Agora a sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.