Relvas: uma demissão que leva passos com ela

Parece que a momentos de se confirmar a retirada da licenciatura, Relvas demitiu-se.

Foi preciso isto.

Enquanto nada de exterior à sua atividade aconteceu, Passos deixou o país governado por um Ministro que falhou em tudo aquilo que eram as suas competências: falhou na coordenação política do Governo; falhou na RTP; meteu-se na TAP e foi o desastre; falhou no impulso jovem; violou a liberdade de imprensa e mentiu descaradamente na AR no que toca ao caso das secretas. Nada demoveu Passos na sua dedicação ao violador do interesse público. Reiterou e reiterou a sua firmeza quanto a Relvas, o intocável.

Um bonito comunicado do PM despede-se do homem, despedindo-se também de um PM que tinha o demitido como a sua outra face:

“O Gabinete do Primeiro-Ministro informa que o Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, apresentou ao Primeiro-Ministro o seu pedido de demissão, que foi aceite. Em face desta situação, o Primeiro-Ministro proporá oportunamente ao Presidente  da República a exoneração do Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e a nomeação do seu substituto. O Primeiro-Ministro enaltece a lealdade e a dedicação ao serviço público com que o Ministro Miguel Relvas desempenhou as suas funções, bem como o seu valioso contributo para o cumprimento do Programa de Governo numa fase particularmente exigente para o País e para todos os portugueses”.

Só tenho uma pergunta: o embaixador do impulso jovem mantém-se?

23 thoughts on “Relvas: uma demissão que leva passos com ela”

  1. “Parece que a momentos de se confirmar a retirada da licenciatura, Relvas demitiu-se.”

    momentos antes de o crato enviar o relatório, que tinha há 2 meses na gaveta, para tribunal por suspeita de matéria criminal, o relvas apresentou o pedido de demissão.

    http://expresso.sapo.pt/licenciatura-de-relvas-no-ministerio-publico=f798195

    “Só tenho uma pergunta: o embaixador do impulso jovem mantém-se?”
    e o da ponte mais todos os outros que foram nomeados para o mesmo fim?

  2. prontes, tá o problema resolvido, temos governo para mais 8 anos e cavaco para 10, o papel milimétrico esgotou nas papelarias e o pib dispara vertiginosamente.

  3. A comunicação da demissão pelo dito foi patética. Entretanto começamos já a assistir, na SIC -Notícias, por parte de um conhecido politólogo cá da aldeia, à limpeza do dito e do seu patrão, constatando, atente-se nas palavras e seu significado, a estigmatização do primeiro e a capacidade de resistência do segundo. Muitas perguntas ficaram sem resposta: a responsabilidade em tudo isto do sr. primeiro-mininstro; a conivência do sr. ministro da educação em todo este caso. Como tudo poderia ser diferente com um diferente líder do PS, ou talvez com outras “condições anímicas”.

  4. A última demonstração de Crato no Governo…

    Cadeiras [Curso (Relvas)] ≠ Cadeiras [Relvas (Curso)] ^ Cadeiras [Relvas (Curso)] = 0

    => Relvas = 0 = Nulidade.

    Quod erat demonstrandum (QED)

  5. Entrementes, na loja das guloseimas… miam… miam…

    «Um presidente não comenta comentadores (…) tenho aqui coisas deliciosas, carne de ovinhos (sic), vou comer as minhas cavacas (sic)…»

    Foi isto que ele disse ou fui eu que ouvi mal?!

    E a mudança da 3ª pessoa para a 1ª, já está a ser interpretada ou está tudo à espera da tia Avilez?

  6. acho que o gajo táva a pedir um copo de 5 e disse: oh vinhos! mas o quimteressa é que a maria encheu a despensa à pala.

  7. a iena de matos e o seboso zé manel estão na tvi24 a dizer que a demissão de relvas foi mais um sucesso da credibilização deste governo. amanhã temos dinheiro mais barato.

  8. Poderá fazer maior mal, agora deixado à solta, porque protecção vai manter. E cá para mim , ainda veremos o Cavaco a condecorá-lo por sderviços prestados…. e então com o espião “encaixado” , já nem precisa estar no governo…

  9. quando disse “saiam mais cinco”, era eu a ser pobrezinha no sonho. Não eram precisos 5, bastava um – o Passos. Mas podia não ser esse. Já podia ser só outro um: o Portas, que dava o mesmo resultado prático. Na impossibilidade, é que se poderia pensar nos cinco magníficos:
    Gasparina
    Álvaro dos Pasteis
    Peixeira da Cruz (que também já se queixou de estar com falta de forças anímicas)
    Crato
    Cristas

    Com estes cinco, talvez obtivessemos o mesmo resultado prático.
    Na prática, o que quero dizer é: “desandem rápido, que não temos tempo a perder”
    THERE’S NO HOME FOR YOU HERE, GO AWAY.
    http://www.youtube.com/watch?v=qhsT_MwZ_qc

  10. Nao sei se estao a ver quem estava destinado a ser a primeira vitima do tio Socrates…
    Vejam so a comunicaçao social a suavizar a coisa. A forma como tentam dignificar estes merdosos ate doi, fonix.
    sorry, nao consigo por acentos
    :)

  11. Vieira, claro que foi manobra de antecipação,mas retardadíssima em relação ao relatório que está feito desde o ano passado. O PS estava a ser melga e ainda mais ficou há uma semana, com a história dos resultados da auditoria que já devia ser pública há uma porrada de tempo. Tudo junto deu que o ervas teve de sair “por vontade própria”. Até bate certo, por vontade do patrão, ficava. Aliás , a força anímica do Passos, a sua vontae, esgotou-se no dia em que conseguiu o pote. Desde aí, balão vazio…

    Quanto à comunicação social, penso que será o único caso de sucesso desta gentalha.

  12. “Saio porque já não tenho força anímica para continuar.”

    Nem quando está de saída, consegue Miguel Relvas ocupar o cargo sem asnear… Deveria ter tido o bom senso (já para não falar da elevação e magnanimidade) de dizer:

    Pedi a demissão porque já não tenho condições políticas para continuar.

    Agora que a QUESTÃO ANÍMICA passou a ser — como é no futebol — um incontornável assunto de Estado, um motivo tomba-ministros e, quiça, tomba-governo, eis a questão fundamental do actual momento político do XIX Governo “Constitucional”:

    Como está a força anímica de Passos Coelho?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.