Os que estão contra a co-adoção, não por causa do superior interesse da criança, que também defendem, tal como, dizem, defendem a democracia laica, não deviam reagir a textos destes?

“A votação de hoje na assembleia da república que aprovou a “co-adopção” por parte de sodomitas sofregamente sobrepostos, macaqueando, em frenesins lascivos e invertidos, o casamento, é, para quem ainda tivesse dúvidas, a prova definitiva da entrega, ou “consagração”, de todos os partidos do parlamento, a Lúcifer.
A fuga cobarde e hipócrita de deputados do psd do hemiciclo, a hedionda votação favorável de 16 deles, a dolosa abstenção de três, que se somaram a outros tantos fingidos do cds, indica clarissimamente a cumplicidade activa destes dois partidos no resultado ignóbil da votação. Já o facto, de não terem posição enquanto partidos e de concederem “liberdade” de voto em mais uma questão inegociável e essencial para o Bem-comum, meta de toda a acção política, revelava claramente a infame cooperação com o mal que se preparava.
Sejamos cristalinos: Não só é totalmente impossível estar de bem com Deus e com o Diabo; mas também o é estar de bem com o valor transcendente da pessoa humana (e, ainda, com os bens da sociedade e da nação) e com o Maligno. Pelo que concluo que actualmente não existe nenhum partido político com assento parlamentar no qual um cristão possa votar ou com o qual possa cooperar. Quando a circunstância que nos é imposta nos quer forçar a escolher entre Mao Tsé-Tung e Estaline a única resposta legítima é a insurreição evangélica (o que se tem passado em França é um exemplo a considerar atentamente). A continuarmos nas estratégias de colaboração com alguns partidos, em nome do mal menor, temos vindo a escavar alegremente a vala comum, à beira da qual seremos eliminados e na qual seremos sepultados, caso não cessemos, de imediato, essas cretinices”.
Padre Nuno Serras Pereira
 
Continuar a ler a prosa que ofende a democracia, o parlamento, o psd, o cds e todos os restantes partidos sob o título “Quando Santanás domina os partidos do poder”
 
Por exemplo, o Abel Matos Santos, que tem por boa companhia de escrita o Padre Nuno Serras Pereira, o tal que já chamou todos os nomes imaginários aos “sodomitas”, não refuta o texto que aqui reproduzi?
Não. Porque há gente que até sabe que entre arrancar um filho à sua mãe e a institucionalização da criança é logicamente preferível a primeira opção, mas o que não aguenta, não aguenta, é que a mãe seja lésbica.
Há gente, ai, pois há, que entre a sua homofobia absoluta e o superior interesse da criança escolha a primeira.
E as crianças?
Azar..

14 thoughts on “Os que estão contra a co-adoção, não por causa do superior interesse da criança, que também defendem, tal como, dizem, defendem a democracia laica, não deviam reagir a textos destes?”

  1. Sejamos cristalinos: não há deus e muito menos diabo, há o Bem e o Mal, e este quantas vezes debaixo de saiotes como o padre Nuno de verá usar. De resto, ele tem todo o direito ao seu tricot de sacristia. Dar-lhe importância, parece excessivo.
    Entretanto vou ler as parvoiçadas do dito com Lúcifer, o Hobbit e, com sorte, talves apareça a Dama dos Pés de Cabra.

  2. oh isabel! o que interessa ao pessoal é a queda do governo e a caspa do presidente, o folclore pode ficar para depois.

  3. A humanidade está a falar de adopção de crianças com a mesma vulgaridade com que se vai ao canil trazer um cachorro para o sofá do lar.

    O que também já é um abuso porque o animal não nasceu para ver televisão.

    O mundo está do avesso.

    Nem as Isabéis foram criadas para isto e elas ai andam «felizes-da-vida» a subverter os jovens.

  4. Sobre a estupidez (como dizia o outro) “só posso dizer que me fascina”.
    Sobre editar ou não o texto de um franciscano que nada aprendeu do
    seu patrono, tem pelo menos a vantagem de se saber até onde pode ir
    a homofobia mais primária.
    Ele diz coisas tão extraordinárias como:
    “é caso para grande espanto e enorme susto não só a penetração
    vertiginosa e avassaladora das ideologias gay (…)”.
    Ele escreveu, sim, “penetração vertiginosa e avassaladora”, mas qualquer
    caso psiquiátrico pode publicar na internet.
    Será que este senhor franciscano exorcisa os seus demónios sexuais através
    da homofobia? O que espanta é que os chefes da igreja não se demarquem
    destes exorcismos.

  5. @Roteia

    Quanto aos exorcismos, pode-se ler no mesmo blog:

    http://jesus-logos.blogspot.pt/2013/05/una-decision-sin-precedentes-cardenal.html

    (Ou de como se pode (catolicamente) combater bruxarias, cartomâncias, divinações astrológicas e outras perversões cuja origem remonta comprovadamente a Satanás, através de rituais de exorcismo, de que o cidadão não completamente iletrado terá o dever de duvidar; ou não serão os exorcismos uma forma de bruxaria? Não serão os exorcismos perversões fundamentalistas, delírios de uma fé corrompida pelo subtil e manhoso trabalho do Diabo?).

  6. Joaopft:
    Referia-me a exorcismo no sentido metafórico, mas talvez não tenha
    ficado claro. Exorcizar os perigos, porque o homofóbico esconde,
    frequentemente, o medo do seu próprio desejo.

  7. O padre Nuno Serras Pereira revela grave desequilíbrio, sofre de uma doença psiquiátrica chamada compulsão obsessiva homofóbica. Se não for internado para tratamento, irá terminar provavelmente por se suicidar não na Notre Dame mas em outro local qualquer. Pelo menos que não vá conspurcar nenhuma igreja.

  8. António Gomes,
    não me parece que o nosso problema seja o padre nuno serras pereira, já que há muitos padres e seguidores serras pereira que chegam ao supra-sumo da batata frita católica,chamada vaticano, pensando e dizendo o mesmo. A questão não é se a igreja católica tem um sociopata isolado no seu seio. O problema é que ele apenas faz voz da doutrina da instituição que tem grande impacto mundial (embora em decadência plena). Este ódio ao próximo(talvez porque é demasiado próximo do desejo e vocação destas bestas homofóbicas) é abençoado pelo vaticano. Quero crer que se fosse no tempo do JC, este mandava logo mandar a primeira pedra a quem coiso e tal. Pois se a pedofilia na igreja de Pedro é o que se sabe, não é preciso nenhum psiquiatra extra-doutorado, nem nenhum doutor em ética para identificar o desvio. Deixem os desgraçados padrecas foder e casar com quem quiserem, que lhes passa logo a peçonha. E não disseminam, que é a principal vantagem social.

  9. “Deixem os desgraçados padrecas foder e casar com quem quiserem, que lhes passa logo a peçonha.”

    acho que só não podem casar e adoptar por causa das heranças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.