Mais desemprego

A divulgação de dados indicam que o número de inscritos nos centros de emprego aumentou 24,5 por cento em junho em termos homólogos e 0,7 por cento face ao mês anterior, para 645.995 desempregados.

De acordo com a informação mensal publicada ontem pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), no final de junho encontravam-se inscritos nos centros de emprego do Continente e das Regiões Autónomas mais 127.250 indivíduos do que um ano antes.

Face a maio, o número de desempregados aumentou em 4.733 pessoas.

Ou seja, como afirmou Miguel Laranjeiro: registou-se “o maior aumento homólogo do desemprego” neste ano, o que significa que “nem o efeito sazonal do mês de junho teve uma consequência positiva” numa eventual mudança de trajetória da tendência.

“Nestes dados não estão contabilizados os 75 mil portugueses que estão desempregados, mas que se encontram em ações de formação. Também não estão contabilizados os milhares de professores que o Governo se prepara para despedir no próximo ano letivo”.

Talvez não valha a pena perguntar nada ao PM porque ele vai perguntar à TROIKA e esta, avaliando-se a si própria e não o estado do país, dirá que o Governo tem tido um “bom comportamento na execução do memorando”.

Estamos de parabéns e até nos agradecem a paciência e a vocação para o sacrifício.

21 thoughts on “Mais desemprego”

  1. Já está tudo explicado pelo Mota (ex-Vespa) Soares:
    “Alteração ao RSI justifica aumento do número de desempregados
    O ministro da Solidariedade e Segurança Social considerou esta quarta-feira que o aumento do desemprego em Portugal pode também ser explicado pela recente alteração feita pelo Governo ao Rendimento Social de Inserção (RSI).”

  2. essa da vocação para o sacrifício assumida na primeira pessoa era a brincar, não era? Ou será mesmo hipocrisia, e estás a gozar com o pagode que realmente tem de se sacrificar (na sua remuneração, nos seus direitos, na sua dignidade)?

    Já todos lemos os números do desemprego, lemos os jornais. Agora o que interessa saber é: como deputada, que ideias e propostas tens sobre o assunto?

  3. edie, isso é má vontade contra a deputada independente. espera pela pancada das próximas eleições e vais ver o funcionalismo público a entupir as urnas para votar na santa isabel, milagreira do partido das rosas. acho que os boletins de voto vão esgotar, era bom que a cne tivesse isso em conta quando imprimirem os códradinhos para botar as cruzinhas, pois os devotos da são cricas tamém vão querer.

  4. entretanto sai mais solidariedade para a calamidade pública na madeira e o jardim aproveita a boa vontade nacional para remartelar o déficite e pagar uns atrasados aos amigos.

  5. não esquecer o prior do Crato que tem sido um santo: primeiro reduz o sistema de avaliação a um papelinho com códradinhos (deve ser fixação da seita) que dão sempre MUita BOM. e depois ainda lhes paga a preço de ouro para fazer o totoloto. Merece também uma grande procissão às urnas. Assim corre-se o risco de um empate técnico, com rosa e laranja a puxar para o mesmo lado. Vai ser renhido.

  6. e que também já avisou que não vão ficar professores no desemprego, que há sempre trabalhinho que se arranja para fazer.
    E os nogueirinhas aceitaram o negócio e borrifaram-se nos colegas que nem sequer vão ter estas extra-super-mega regalias dos que ficam no activo. Pensei que a classe era mais unida – parecia, no tempo de Sócrates e de Maria de Lurdes,não era?

  7. A agricultura pode ser uma boa saída do desemprego.

    A par da vinha e do vinho podemos tornar-nos produtores de Canabis.

    Os agrónomos do BE são apologistas dessa ideia, não eu que sou simoles rural.

  8. Carissima Isabel,

    faça o que lhe for possivel e impossivel para arrebanhar muitos, mas mesmo muitos, deputados nacionais e europeus, para a causa sinalizada pela Ana Gomes na “Causa Nossa” (blog), a saber, aniquilar os “buracos negros” das economias que são os “paraísos fiscais”.
    Ainda que tenham de por-se nuas nos Parlamentos! Nuinhas, como evas no paraíso. Pode ser que a estrondo da afronta incomode os deuses da finança e seus miseráveis acólitos, os governantes das democracias subjugadas.

  9. oh fernando! agora queres despir a ana gomes para aniquilar buracos negros? franchement… tu n’es pas bien de la tête

  10. ignatz, escusas de vir fazer o número do duffy duck ofendido. Já sabes que disse no bom sentido. Havia o palhaço rico e o palhaço pobre. Mas há também o palhaço-palhaço (aka bronco) e o pseudo-palhaço, que usa o humor com inteligência, man. E tens de reconhecer que aquela tirada para o Fernando, mais a parte em franciú tá suprema (aqui o duffy duck, lá nos bonecos babava-se)

    Vá, para fazer as “pazes” duas prendinhas. Escolhe a que mais gostares.
    http://www.youtube.com/watch?v=TklrBmHo7Do
    http://www.youtube.com/watch?v=ukNzMRNydHo

  11. Fernando, já estou contigo, em momentos de desespero, há que ser radicalmente inovador, embora a Cicciolina já tenha tido a ideia.

    E digo mais: podia ser extensível aos homens : oposição ao nu. Pode não ser esteticamente agradável, mas não é para ser, pois está claro.

    Ainda hoje vi imagens de manifs dos espanhois todos nuinhos na rua, a mostrar o rabo. Forma de protesto muito directa e imediata.

  12. disse atrás. “Já todos lemos os números do desemprego, lemos os jornais. Agora o que interessa saber é: como deputada, que ideias e propostas tens sobre o assunto?”

    É claro que não espero resposta lá das alturas da deputalice rasca mas dou uma sugestão: que tal teres pedido fiscalização da lei que permite que um trabalhador (desde que não seja público) seja despedido com justa causa, entendo-se como tal quebra da produtividade ou avaria do equipamento de trabalhocom , p. ex, tendo 5 dias para apresentar provas em contrário (não são necessárias provas do patrão) sendo-lhe proibido o acesso à intervenção de comissão de trabalhadores ou sindicatos?

    Era cá um contributo contra o “Mais desemprego” que aqui reportas, que nem imaginas. E uma grande vitória da Constituição para o teu CV.

  13. Crato anunciou no Parlamento que vao colocar professores contratados no quadro. Segundo o Público, “Durante mais de três horas de perguntas ao ministro da Educação e de respostas deste e dos seus secretários de Estado, nenhum deputado perguntou a Crato quantos contratados serão abrangidos pelo processo de vinculação extraordinária que anunciou”. Estes deputados são um bocadinho esquisitos, não são?
    Ou estariam on line a tratar de assuntos “profissionais” outros ou do planeamento de férias ou de fim de semana?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.