Só pode ser humor negro

Se os membros deste Governo fossem tão criativos a arranjar soluções para resolver os problemas do País como são para arranjar desculpas esfarrapadas para o desastre das suas políticas, o PIB disparava. A última, e candidata a ser a desculpa mais disparatada de sempre, foi a do ministro das Finanças que culpou a chuva pela queda do investimento nos primeiros meses do ano. Teve o desplante de afirmar em pleno Parlamento que a chuva terá prejudicado o sector da construção. E logo o sector da construção, um dos mais afectados desde o início da crise de 2008, bem antes da chuva deste Inverno. O programa de recuperação das escolas, levado a cabo pelo Governo de Sócrates, e tão odiado pela direita, já teve como objectivo minorar os efeitos da crise neste sector. Odiaram esse programa e nestes dois anos de Governo, com chuva ou com sol, nada fizeram pelo sector, pelo contrário, diabolizam-no, já que o acusam de ser responsável pelo endividamento público e privado.

Foi pena ninguém lhe ter perguntado o que teria acontecido se não tivesse chovido no Inverno. Será que o Governo teria investido em obras públicas? Bem, para resolver a falta de investimento, e fazer com que as suas contas batessem certo, teriam de ser obras muito, mas mesmo muito, faraónicas. Ou será que o ministro estava a pensar no investimento privado? Vai na volta, se o Sol tivesse brilhado, e apesar da austeridade, do desemprego e da falta de crédito, os portugueses não teriam resistido a comprar casa nova ou, pelo menos, a fazer umas obras na casa velha.

Das duas uma, ou disse-o para ser levado a sério, o que é grave e revela que o ministro não está bem. Ou estava a gozar com a nossa cara, ou seja, a gozar com a tragédia dos outros e devia ser demitido. Afinal, contar uma anedota ou fazer uns corninhos talvez não seja tão grave e já deu direito a demissões.

15 thoughts on “Só pode ser humor negro”

  1. já começam a ser muitos casos; só para mencionar um dos mais recentes, o Broges, a dizer que a Europa constitui um exemplo de desenvolvimento e rigor que os EUA deviam seguir, começando por Portugal e Irlanda; agora este (vá-se queixar à colega Cristas que tão fervorosamente rezou pela chuvinha); fica-se indeciso entre a indignação e a perplexidade: estarão loucos ou o poder ilimitado chegou-lhes à cabeça e não conseguem meter travões no desprezo que têm pela sociedade que não os elegeu?

  2. Não dá para acreditar. Só agora vi o vídeo (através do Câmara Corporativa) e dá que pensar se o senhor estará mesmo bem. É que se está simplesmente a gozar e a insultar a nossa inteligência, o caso é grave e merece divulgação nos jornais internacionais.

    Entretanto não se percebe como os países chuvosos a norte dos Pirenéus se aguentam há séculos sem investimento e conseguiram construir sólidas habitações tendo apenas o equivalente a dois meses secos.

  3. Pois é, Penélope, e ainda menos se percebe se pensarmos que em muitos desses países chuvosos uma parte considerável da mão-de-obra no sector da construção civil é constituída por… portugueses.

  4. a propósito da exportação de portugueses, acabo de ver reportagem na sic sobre o crescimento da classe média, logo da economia no Brasiú, e dou de caras com o Portas a vender…engenheiros lusos. Viram? Como no país irmão têm muitas burocracias de acesso às Ordens para poder depois exercer a profissão, o Portas foi dar uma ajudinha discursando que os engenheiros portugueses são reconhecidos internacionalmente como dos mais qualificado e faxavor de os empregar e tal…Porra, andámos a nós a fazer investimento em qualificações reconhecidas internacionalmente, para depois o retorno ser dos outros? Brilhante.

  5. Só pode haver uma explicação para as saídas do Gasparoika!
    Ele julga estar em Berlim no Reischsagg, começa por citar um militar e politíco
    alemão (Hindenburg) e, como os alemães estão a sofreer grandes cheias resol-
    veu atacar com a chuva … só pode ser isto!!!

  6. estive, por acaso, em contacto telefónico agorinha mesmo com alguém na Alemanha, confirma-se muitos milímetros de chuva, desemprego mas com facilidade de emprego logo a a seguir, com grande dinamismo económico. Está calor. E ninguém se queixa a não ser da Merckel e do que os pobres do sul lhes devem. Isto num ambiente de grande calor e dinamimo. Será que se inverteram os papeis e eles viraram latinos com sangue na guelra e nós andamos aqui ao frio quais cobaias ao sabor dos psicopatas gasparianos e cavaquianos?
    Deve ser o síndrome de Vichy.

  7. ah, já me esquecia, por via da internet chegaram até lá mostras das declarações dos nossos governantes e parece que nos tornámos mesmo no povo-palhaço e anedotário europeu, fartam-se de rir. Podem chamar-lhe humor negro, mas eles divertem-se à brava. Estou só a reproduzir o que me contaram (só ficam chateados quando chega o palavreado de que estes palhaços lhes estão a sair caros, mas depois passa quando ouvem aquilo que nós ouvimos. Achincalhamento do melhor)
    Por isso repito,
    http://www.youtube.com/watch?v=2oWk4ZiuSHE

  8. Porra, pá! Vocês também não gostam mesmo do homem. Ele até tem razão. Onde é que já se viu chover em Janeiro, Fevereiro e Março? Só mesmo este ano, porque toda agente sabe que em Portugal só costuma chover em Julho e Agosto, nunca nos outros meses.
    Ah, Gaspar, Gaspar, não te chover um piano em cima dos cornos.

  9. O coração do Gaspar está em Berlim, com Merkel e Schäuble, portanto não admira que ele esteja a sofrer com as chuvadas torrenciais que assolaram o sul da Germânia. O coração do Gaspar chora pelas desgraças dos seus amigos, ideólogos e patronos. Ele é o verdadeiro “pastor alemão”, fiel aos seus donos, que sofre com a inclemência dos fenómenos meteos que desabaram na Germânia, não com aqueles que caíram em Portugal, que têm sido benignos.

  10. Quero vêr aqui um corajoso a defender este ministro depois desta tirada…é que o levantar do rabinho deve ter limites. Gaspar went full retard. Everyone knows you should never go full retard!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.