Não há instituições acima do escrutínio de todos? Ai isso é que há!

Sem surpresa, lá vieram alguns ministros em defesa do primeiro-ministro, defendendo que aquela espécie de discurso não foi um ataque ao Tribunal Constitucional uma vez que não há instituições nem decisões acima do escrutínio de todos. Não é verdade. A troika é composta por três instituições e nunca, mas mesmo nunca vimos este Governo pôr em causa qualquer decisão que nos tivesse sido por eles imposta. Lembrar que nem mesmo quando o FMI e a Comissão Europeia assumiram publicamente que a dose de austeridade que têm imposto aos países intervencionados talvez seja excessiva vimos o Governo português questionar o que quer que fosse. Vítor Gaspar, que seguiu religiosamente as ordens da troika e até foi mais além, assumiu na carta de demissão que falhou, que é o mesmo que afirmar que o caminho que a troika nos impôs não é o correcto, falhou. Mas, graças à demissão do irrevogável, a tal carta passou sem o devido escrutínio, lá está. Não admira que tenha sido promovido dentro do Governo. E ver o primeiro-ministro, todo fanfarrão, a atacar os juízes do TC, a simular uma conversa patética com a troika, em que assume que já não sabe o que lhes dizer, sem a mínima noção de que se está a fragilizar a ele e ao País, é algo que deve deprimir até os negociadores da troika, que nunca devem ter visto, em parte alguma do Mundo, alguém a expor as suas incapacidades de forma tão imbecil.

Como a Constituição é de difícil interpretação, não há meio de uma alma caridosa se dedicar a resumi-la, ou a fazer uma versão com bonecos, coloridos de preferência, talvez seja mais fácil ao primeiro-ministro entender um ditado popular: Passos, quanto mais te baixas, mais mostras o rabo.

4 thoughts on “Não há instituições acima do escrutínio de todos? Ai isso é que há!”

  1. Os ministros que vieram em defesa do p.-ministro por mera coincidência, são os
    mais frágeis do des-governo, a começar pelo sem abrigo maduro o tal dos consen-
    sos e dos “briefings”, passando pela ministra da Justiça a mãe de todas as reformas,
    contando com esse expoente da defesa o branco, sem esquecer o nóvel manchado
    que se voluntariou para sair da sua zona de conforto com intuito de “ajudar” a dar
    alguma credibilidade ao des-governo dos estarolas com os seus cabelos brancos!
    Falta ver o resultado do périplo da dupla imbatível, nos contactos com as organiza-
    ções credoras que formam a troika, que existe uma forte empatia entre o irrevogá-
    vel vice Portas e a Marilu dos tóxicos, deu para ver na tomada de posse da nova se-
    cretária de Estado do Tesouro … será que a política económica vai mudar ???

  2. ignatz, também reparei nesse sacudir a água do capote pra cima aqui da malta por parte da marilú.

    guida,
    excelente, com uma pequena actualização. apesar desse “mea culpa, errámos”, sobretudo por parte do pilar fmi da troika, viu-se agora que a receita estava errada em geral, mas certa no particular português, porque os salários baixaram pouco e atingiram um número ínfimo de portugueses. Claro, e tens razão nisso, porque aqui os governantes são mais paistas que o papa. E digo que a troika faz-lhes a vontade, e não o contrário. “Olha, deixa ver se temos aqui um case study”, devem pensar, sei lá. Também não lhes deve interessar muito,acho que já nem aos portugueses importa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.