Recordações em remix

A quase-revolucionária obra-prima de David Byrne e Brian Eno, My Life in the Bush of Ghosts foi recentemente objecto de uma reedição ampliada e melhorada. Para quem anda há 25 anos fascinado com a esta colecção de sobreposições de ritmos ocidentais com objets trouvés sonoros vários (de uma gravação de um exorcismo a orações em Árabe), eis uma excelente notícia. Para quem gosta de desfazer e remontar obras alheias até as transformar em coisa sua, também: no site dedicado a este projecto, dois dos temas originais estão disponíveis para download às peças, com total liberdade de uso para os remixers. Até por lá anda um top das melhores versões recebidas até agora. Não sei se é, como os autores afirmam, uma estreia mundial, mas a visita recomenda-se, mesmo aos que não têm inclinações para a bricolage musical.

2 thoughts on “Recordações em remix

  1. aqui está algo que me traz boas recordações, também. já gostava de música árabe e indiana, na altura, mas essa mistura deu uma volta no meu olhar sobre a música. lembro-me que a primeira vez que ouvi foi numa aula de estética, em que o professor, um iconoclasta, levou o disco para mostrar como as culturas se contaminavam e como não fazia sentido que crenças religiosas tivessem a pretensão de impedir essa fusão.

  2. Repara, Susana, que o disco foi bastante atacado pelos puristas, por supostamente ddemonstrar “imperialismo cultural”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.