O Insurgente rocks!

lemmy.jpg

Na nova residência do Insurgente (notícia bem atrasada) há quem tente animar as hostes com tiradas a leste das habituais prédicas a desmentir o aquecimento global, a extinção do bacalhau, o fiasco do Iraque, a Evolução, etc., etc.
O bom Helder (não confundir com os outros elders) presenteia-nos hoje com uma pequena celebração da chegada do último disco dos Motörhead. Não sei se ainda atordoado pela audição da coisa em altos berros, esquece-se de mencionar os Hawkwind ao falar de Lemmy Kilminster. Pecado mortal. E ainda se lembra de evocar Chet Baker a propósito de umas tais last rock’n roll stars.
No problemo. A simples leitura de coisas como “P**a que o p***u!” (“pariu” agora é palavrão?) no sorumbático Insurgente inspira a indulgência. Continua assim, Helder: dá-lhes com força. Mas tem atenção com as companhias. É que as más ideologias são como as más drogas: mais cedo ou mais tarde, dão-nos cabo da cabeça…

4 thoughts on “O Insurgente rocks!”

  1. “E ainda se lembra de evocar Chet Baker a propósito de umas tais last rock’n roll stars.”

    O Chet Baker é de facto uma das primeiras (senão a primeira) rock´n´roll stars.

    Drogadíssimo, fez o jazz evoluir num sentido completamente novo e inesperado, e, consequentemente, toda a música moderna e contemporânea.

    Não o considerar uma das primeiras estrelas do rock´n´roll (quando é que o rock´n´roll foi criado?) é que é um pecado mortal.

    Os Hawkwind nunca foram nada.
    Expulsaram o Lemmy da banda por causa dos seus vícios (este como vingança comeu as respectivas mulheres dos outros elementos da banda).
    O único motivo de serem um nadinha conhecidos, é o facto de Lemmy ter passado por lá.
    Referência perfeitamente dispensável.

    Quando se fala do Joe Strummer é obrigatória a referência aos “101ers”?
    Quando se fala do Mick Jones é obrigatória a referência aos “London SS”?

  2. Não daria algum jeito para tal classificação que o homem tivesse tocado rock’n roll? E olhe que “last” não quer dizer primeiros….
    Baker começou a ser conhecido em1951, ao integrar a banda de Charlie Parker. Não se pode dizer que fosse a tempo de exercer tal influência no rock’n roll.
    Quanto aos Hawkwind, não serão a banda mais fundamental da galáxia; mas sempre foram bem melhores que os Motörhead.

  3. Caro Luís,
    obrigado pela indulgência :-)

    1 Last r’n r stars são só dois primeiros: Lemmy e Richards;
    2 Não é Chet Baker (podia ser) é Charlie Parker, o primeiro. Ainda escrevo um dia destes porque é que “Bird” está incluído na lista, embora me pareça evidente;
    3 Não me esqueci de Hawkwind, mas não consta cá em casa. Ainda bem que há quem os prefira a Motörhead;
    4 O Colectivo Insurgente é eclético nos gostos e respeitador da diversidade.

    Um abraço

    helder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.