Por favor, leia-me

A crise dos jornais pagos é assunto encantador. Ninguém, no Mundo, tem uma solução que dê provas de ser capaz de estancar a sangria e todos antecipam a catástrofe; pelo que é com gosto que se constata uma iniciativa portuguesa inteligente, esta.

Agora, como responderão o Expresso e o Sol? Talvez se ofereçam para nos entregar o jornal em casa e ainda nos levem o pequeno-almoço.

4 thoughts on “Por favor, leia-me”

  1. principalmente boa para os jornalistas que ganhando o mesmo terão direito a ver a sua obra republicada noutro lado e boa para o cidadão leitor que depois de ter lido A Bola e o Público ainda vai ver os mesmos artigos repetidos no novel semanário. São só boas ideias.

  2. Pode ser que Valupi depois não estranhe a frequência com que lê a palavra “gangue”. A aposta na diversidade dá nisto e o fim do gratuito diário desportivo também não promete grande coisa para esta nova publicação. quando é que os empresários da comunicação social começam a dar às pessoas coisas que estas precisem mesmo de ler?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.