15 thoughts on “Sozinho o tanas! Estamos aqui para te vigiar.”

  1. Podia lá o D.O. perder mais uma oportunidade para linkar aos “vermelhos” escutas alheias? Está-lhe no sangue, associar aos “vermelhos” tudo o que seja negativo, mas com tanto activismo, começo a perguntar-me se não está também no contractozinho…

  2. José Tim por acaso leu algo sobre a revolução Francesa e o periodo do Grande Terror.

    Pois é revolução que mudou mentalidades, fez avançar a humanidade, pôs os direitos do homem na cartilha universal etc etc etc.Tambem foi violenta.

    É claro que o combate
    entre as forças da LUZ ( A RAZÂO) e as forças das Trevas ( o fanatismo religioso, ou não ) é de todos os dias (veja-se o caso das caricaturas de Maomé, como antes foram os ataques á bomba contra o filme a Última Tentação do Cristo),e não há revoluções sem excessos.

    A burguesia tem tentado denegrir a Grande Revolução Russa de 1917, porque ela é um exemplo e um atentado ao seu poder, mas esquece que essa mesma burguesia tambem só alcançou o poder guilhotinando massacrando a classe então possuidora desse mesmo poder a aristrocracia.

  3. Ó Daniel, sabes que esse é um cartaz de recrutamento? O gajo já tá recrutado, pá. Não seria melhor usar um cartaz de vigilância contra os desmandos dos contra-revolucionários?

    Pensa nisso.

  4. (já agora, para os que não são dotados de conhecimentos de língua russa, o que está escrito no cartaz é: “tu… já te juntaste aos voluntários?”)

    А ну? Записался или нет? ;)

  5. A tua autoironia D.O.? Logo tu que há anos te confessas social-democrata agora representas-te de “vermelho”? Francamente é coisa que eu nunca vi um social-democrata auto-representado de vermelho…se espremeres um pouco mais as meninges talvez arranjas uma mais inteligente. Esta não pega!

  6. Margarida, um dia explico-te que o movimento operário e anti-capitalista não começou com o teu amigo José Estaline. Foi antes, muito antes, que Internacional se cantou e o vermelho foi a cor dos socialistas. Mas isso não te contam lá no partido.

  7. Para o D.O. é sempre “um dia”, “amanhã”, que explicará. Mas estamos a discutir agora não estamos? E quando a discussão é a dois, e chegou a um beco, despacha-a para “um dia”…e mete a martelo o “partido”! Ele bem tenta, mas não acerta uma…

  8. Se fosse só isso, Daniel. 100 por cento dos comunistas mais zarolhos andam convencidos que o primeiro de Maio tem origem numa matança de operários pela polícia numa greve em Chicago, no século XIX. Pior ainda, um tio dum vizinho meu, garante-me que uma vez ouviu um membro do CC do PC começar uma prelecção num piquenique-festa assim: “há muitos anos, em Chiqueigo…”. Por amor de Deus! E o homem ainda por cima era licenciado em Letras. Já lá está, coitado, que a terra lhe seja leve. Isto até me faz ficar com remorsos falar numa coisa destas.

  9. Daniel:
    Para a ocasião, ao invés desse cartaz de recrutamento (obrigado, Jorge, tenho esse no arquivo e não sabia o que queria dizer) ficaria melhor o cartaz do “S.Jorge”. Matavas dois coelhos de uma cajadada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.