O Tibete de África

TibeteAfrica2.jpg

O primeiro romance de MARGARIDA PAREDES é logo, também, um de violência, de sexo, de traumas. A receita da época? Enganam-se. A história não é de hoje, tem o seu desenlace numa guerra africana dos anos 90 e lança raízes numa Angola colonial, ela também em guerra. Que tudo gire em volta duma jovem gestora portuguesa de telecomunicações, eis o que não se esperava.

Só este pormenor: um dos apresentadores do livro – quarta, 17 de Maio, às 18.00, na Biblioteca Orlando Ribeiro, sita à Estrada de Telheiras, 146, em Lisboa – é este vosso servidor.

3 thoughts on “O Tibete de África”

  1. a coisa está de tal ordem que a presença de jovens gestoras portuguesas de telecomunicações se estão a tornar incontornáveis. E mesmo a expressão “servidor” começa a perder a sua conotação cortês de antanho em favor de um significado mais “informático”.
    ( o mundo gira…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.