Não há mercado para jornalismo decente?

O país precisa de um jornal que fure esta vil tristeza que é o panorama da imprensa e dos merdia em geral. Se há asfixia em Portugal, é esta: ter que escolher diariamente, na banca de jornais, entre o escarro do belmiro, o vómito do correio da manha e a bosta do olibeira. Ter que escolher, ao fim de semana, entre o cagalhão do Balsemão e a poia do Saraiva.

Era preciso um jornal que falasse do que é omitido e distorcido pela imprensa dominante e desse voz às centenas de pessoas inteligentes e honestas da esquerda, do centro e até da direita ou apolíticas que são ostracizadas pelos actuais grupos mediátios.

Um jornal onde não houvesse lugar para Pachecos, Zé Maneis, Medinas, Campos e Cunhas, Marcelos, Lombas, Pulidos, Delgados, Cintras, Espadas, Raposos e dúzias de outros gajos e gajas de que estamos absolutamente saturados. Um jornal que não tivesse colunas de opinião de esquerdistas que vendem o rabo a quem dá mais. Um jornal que fosse recrutar à blogosfera gente interessante, séria ou divertida, e que fosse capaz de atrair jornalistas e articulistas que são actualmente obrigados, por falta de alternativas, a trabalhar e a publicar na imprensa reles.

Não há mercado para jornalismo decente? Não há capital para tal empreendimento? O capital haveria forçosamente de puxar a brasa à sua sardinha podre? Não tenho assim tão má opinião do país. Mas se calhar sou um lírico, isto talvez seja mesmo uma choldra. Talvez estejamos condenados a deixar de comprar papel. Olha, ganham as florestas.

Oferta do nosso amigo Lírico?

5 thoughts on “Não há mercado para jornalismo decente?”

  1. Atente-se a numa porcaria de um programa, na RTPN, em que intervêm Joana Amaral (BE), Paulo Rangel (PSD) e uma figura de nome Cristina-não-sei-quantos, que não se sabe de que surgiu e substitui Emídio Rangel no naipe de comentadores. Uma tiquenta e ar arrogante e esgares piores que os da Leninha Matos- escrevinhadora no pasquim da sonae.
    Como se não bastasse a moderação é feita por um tal Carlos Daniel, que mais parece um caga-níqueis falante. Uma vergonha!

  2. O nosso amigo Lírico é mesmo lírico.
    Então os mamões haviam de bater na própria cabeça?
    Haverá alguém na oposição com interesse em deixar a mama fácil e apenas aguardar que quanto pior melhor?

  3. “Não há mercado para jornalismo decente?”

    pode haver, mas é preciso formatá-lo. se não fizerem a cabeça ao consumidor não vendem o produto.

  4. ó Frazão, obrigadinho pelo insulto de ignorante, que me traz de volta à terra daquele meu sonhar acordado. Na blogosfera andam muitos moinantes como tu, que debitam dessas frases e frasões auto-suficientes e impotentes, arrancados a uma sabedoria que anda mal aproveitada. Não era em vocês que eu estava a pensar, mas em dezenas ou centenas de bloggers de mérito que ou nunca publicam num jornal ou só publicam quando o rei faz anos. Alguns deles até já foram convidados para os media tradicionais. Bom natal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.