10 thoughts on “É preciso conhece-los”

  1. Leio algures que um terço dos franceses diz ter cu. Um terço! Surpreendidos?
    É que os restantes dois terços também são franceses só não têm é calças.

  2. Se não são brancos, não são franceses. A França, historicamente, é uma Nação Indo-Europeia, logo, caucasóide. Todos os que venham de fora não têm qualquer direito a serem tidos como franceses.

  3. Rodrigo,

    Regozijo-me por constatar que o vosso blog está cheio de vida. Afinal o post de 1 de Abril do Valupi, não tinha nada a ver com o dia das mentiras.

    E por falar em vida, parece que a sua vida tem mais vida – os seus colegas da outra casa são uns desbocados – os meus sinceros parabéns!

  4. Um terço dos franceses são racistas, deve ser verdade, pode ler-se nos jornais e até neste blog. E depois ? Agora, vou fazer uma afirmação que não provém de nada que tenha lido, só pura observação, dois terços dos portugueses são racistas. Isto sim, é preocupante para nós, e deveria ser objecto de estudos a publicar nos jornais e neste blog, entre outros. O grande problema, é que não só os portugueses são racistas, mas também são hipócritas…

  5. Sou francês, branco e tampouco racista. Se vocês verificarem a fundo a história de meu país saberão que se trata de um povo mestiço, tal qual todo o restante da Europa ocidental. Além disso, acho igualmente deveras curioso esse dito racismo português. No exterior vocês são conhecidos como “peasanty country” e chamados de hispânicos, mestiços e inclusive de árabes, isso quando lembram da existência de Portugal no mapa (sem ofensa). Desde quando vocês são brancos??? Ah, claro.. tão brancos quanto os espanhóis e italianos. Que graça!

  6. E depois não é racista Rémy?? Me passou a impressão de que para vc ser ”branco” é melhor que ”não ser”, o conceito de branco foi uma invenção dos colonizadores europeus como justificativa de escravizar e/ou ”colonizar” os povos que se diferenciassem deles em termos de aparência, só isso. Tem muito escandinavo (o supra sumo da pureza, segundo os idiotas iletrados de movimentos de direita ou seja racistas) com olhos quase oblíquos tipo mongolóide por aí, é estúpido falar em puros e não puros, brancos e não brancos, se a questão for de diferenças baseada em ”inteligência” (pq existem uma infinidade de tipos de inteligência, alguns muito mais valorizados q outros) então a coisa fica feia para o ”nosso lado” e os asiáticos nos deixam no chinelo como grupo, ou seja ”eles é q deveriam criar partidos racistas, raspar a cabeça e atacar os outros a troco de nada” (estou sendo irônico)

    Mas tenho q concordar com vc Rémy qdo diz que os portugueses e os mediterrâneos no geral são vítima constante de discriminação pela sua aparência, e até sugiro que os mesmos utilizem essa ponte étnica, já que dificilmente não carregam sangue árabe nas veias em menor ou maior grau, e procurem criar mais vínculos com o mundo mais em baixo, a maior diferença entre vcs é a cultura. Vejam Dubai e os Emirados Árabes; acho que o mundo árabe está se transformando no novo eldorado…
    Em vez de ficarem ”provando que são ”brancos” para os outros mexam-se e criem laços com os países mais próximos de vcs (a realidade é dura) e andarão no bonde do progresso não muito em breve, ou querem morrer abraçados com a ”doce” Europa que em pleno século XXI ”nega seus filhos do sul”. De boa, que ela se foda, o mediterrâneo nunca precisou dela faz uns dois mil anos, bárbaros, vikings??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.