ARRIBA O BOI

Caro Valupi e colegas do Aspirina.

Ainda compreendendo que estão muito ocupados com Troikas, Passos, Marcelos e Rebelos, Eleicões à vista e tudo isso gostaria de que por parte de quem quisser, fosse-lhe dado um alinho à vontade na lingua portuguesa, da que não tenho à capacidade de exprimer como deve ser, o texto titulado “festa do boi”.

Na Vila de allariz, celebrase uma festa chamada “ a festa do boi”, que é relata-da a continuação. Na Secretaria da organização da festa há cartazes, camisetas, panos e fatos varios à venda e também folhas explicativas da festa em varios idiomas. Embora não ha em portugués. A festa e muita comcorrida e ainda que os portugueses que venhem não tenhem problema para lerem , seja em inglês, francés, italiano, español e galego, acho que repararão que porque não há em portugués. Eu reparei e pôs a questão en conhecemento da organização. Reconheceram o erro e fizeram-me a encomenda de apresentar-lhes um texto em Português. Pos-to ò trilho, ê-lo ahí. Agradeço a quem quisser remendâ-lo.

Aproveito para invitar-vos tanmto a festa, como sob de tudo a visitar a Vila de Allariz . E muito fermosa pela sua paisajem, hestoria, gastronomía, a sua conservação em pedra de datas medievais misturada e restaurada à modernidade. Fica de Chaves a sesenta kilómetros por auto-estrada, de momento libre de pagamento. Olho, isto não é nenhuma técnica publicitaria turística.

Saudações galegas.

A FESTA DO BOI

No ano 1316 , ós católicos de Allariz celebraram pela primeira vez a procisão de Corpus Christi, uma festa religiosa muito solemne. Na procisão partilhavam as autoridades da vila, as autoridades eclesiásticas.Tudos os vicinhos organizaram-se por cofrarias – sapateiros, curtidores, labregos, tablaxeiros, ferreiros- cos seus danzantes e um grande monstro chamado Coca.

Os vicinhos judeus, amolados pela grandiosidades da celebração, esperaram a procisão ocultos no bairro de Socastelo e, quando os católicos passaram por alí, comenzaram a insultâ-los e a mofarem-se dos seus símbolos.

No ano seguinte , 1317, os católicos disporam de novo a sua procisão, a quinta feira de Corpus. Os judeus estavam outra vez preparados para acometê-los , embora….. um católico recalcitrante alcunhado Xan de Arzúa decidiu dar-lhes um escarmento. Pôs-se na cabeceira da procisão, vestido com formosos fatos e a cavalo dum boi , que era controlado pelos seus criados cuma corda grossa atada pelos cornos. Outros levavam sacos cheos de farinha, cinza e formigas. Quando chegaram onde estavam os judeus, o boi arremeteu comtra eles e os criados deitaram-lhes á farinha, á cinza e as formigas. O resultado foi que os judeus fugiram e numca mais voltaram a procisão do Corpus Christi.

Satisfeito da sua façanha, Xan de Arzúa decidiu deixar no seu testamento uma cantidade de dinheiro para que uma institução rememora-se a sua gesta de afastar os judeus. Os herdeiros desta institução são quem se encarregam atualmente de organizarem a festa do boi, correndo pelas históricas ruas de Allariz um boi sujeito pelos cornos – e a gente fugindo como no 1317 fizeram os judeus- e levando um boneco com a figura de Xan de Arzúa, a cavalo dum boi. Tambem como no 1317.

Esta hestoria, emtre a lenda e a realidade, é a origem da atual Festa do Boi, da que há notícia documental dende o século XIV e que se perdeu varias décadas perante o franquismo. Os vicinhos de Allariz recobrâ-la-ão no 1983 e caminha ja para o seu 700 aniversario berrando com força: ARRIBA O BOI.

__

Convite do nosso amigo reis

13 thoughts on “ARRIBA O BOI”

  1. A FESTA DO BOI

    No ano 1316, os católicos de Allariz celebraram pela primeira vez a procissão de Corpus Christi, uma festa religiosa muito solene. Na procissão participavam as autoridades da vila e eclesiásticas.Tudos os vizinhos se organizaram por confrarias – sapateiros, curtidores, agricultores, talhantes, ferreiros – com os seus dançadores e um grande monstro chamado Coca.

    Os vizinhos judeus, invejosos da grandiosidade da celebração, esperaram a procissão ocultos no bairro de Socastelo e, quando os católicos passaram por ali, começaram a insultá-los e a fazer pouco dos seus símbolos.

    No ano seguinte, 1317, os católicos organizaram, de novo, a sua procissão, na quinta feira de Corpus. Os judeus estavam outra vez preparados para os enxovalhar, todavia….. um católico recalcitrante alcunhado Xan de Arzúa decidiu dar-lhes uma lição. Colocou-se na cabeceira da procissão, vestido com formoso fato e a cavalo num boi, que era controlado pelos seus criados, com uma corda grossa atada aos cornos. Outros levavam sacos cheos de farinha, cinza e formigas. Quando chegaram onde estavam os judeus, o boi arremeteu contra eles e os criados atiram-lhes a farinha, a cinza e as formigas. O resultado foi que os judeus fugiram e nunca mais voltaram à procissão do Corpus Christi.

    Satisfeito da sua façanha, Xan de Arzúa decidiu deixar no seu testamento uma quantidade de dinheiro para que uma institução relembrasse a sua gesta de afastar os judeus. Os herdeiros desta instituição são quem se encarrega atualmente de organizar a festa do boi, correndo pelas históricas ruas de Allariz um boi sujeito pelos cornos – e a gente fugindo como fizeram em 1317 os judeus – e levando um boneco com a figura de Xan de Arzúa, a cavalo dum boi. Também como em 1317.

    Esta história, entre a lenda e a realidade, é a origem da atual Festa do Boi, da que há notícia documental dende o século XIV e que se perdeu durante várias décadas no período franquista. Os vizinhos de Allariz fizeram-na reviver em 1983 e caminha já para o seu 700º aniversário berrando com força: ARRIBA O BOI.

    Esta foi a tradução ao correr da pena, espero que sirva.

  2. Era bom que o amigo Reis voltasse de novo a lembrar-nos da festa aí uma semana antes. Como estou “só” a 250 kms. de Allariz, era gajo para dar lá uma saltada …

  3. oh reis! põe-te a pau com o prosopoeta, na volta tá a trocar serviços de bardo a troco de viagen e estadia para ele e famelga

  4. Manuel Azevedo, lembrarei nas suas datas á festa. Abraço
    João Pedro, obrigado.
    Jcfrancisco, eu também gosto de ter uma costela de português.
    Anónimo, ligarei- o link, obrigado. O poeta será sempre bem recevido como ele meresce. Estou certo de que Allariz inspiraria-lhe uma das suas melhores poesias.
    Sinhã. sou eu que agradeço.

  5. Há coisas extraordinárias! Então não é que acabo de descobrir que sou descendente de galegos, por via paterna, e da região próxima de Allariz?
    Caro Reis: num futuro próximo teremos muito que conversar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.