Guerra ao Nobel da Paz IV

Obama está apenas nos primeiros 10 meses de contrato, mas já tentou impressionar o patrão com o seguinte:

– Começo da normalização das relações diplomáticas com Cuba.

– Histórico discurso no Cairo, dirigido às comunidades muçulmanas de todo o Mundo, a marcar o início de uma postura dos EUA que é radicalmente nova, ecuménica e pacificadora.

– Operação de Clinton na Coreia do Norte, libertando as prisioneiras e dando um surpreendente sinal de ser possível negociar com o bizarro tirano.

– Fim do conflito com a Rússia relativo ao Escudo Antimíssil. Possibilidade de inversão completa da situação herdada, resultando numa aliança defensiva com a Rússia.

– Papel crucial no acordo de paz entre a Turquia e a Arménia, acabando um dos mais antigos conflitos internacionais.

Portanto, se Obama, até Janeiro, ainda conseguir marcar pontos na Palestina ou no Irão, creio que os noruegueses não terão outro remédio senão fazerem a primeira dobradinha na história dos Nobel. E, estando em causa o que está em causa, o feliz dono de um Cão de Água Português até que merecia esse absurdo cheio de sentido.

10 thoughts on “Guerra ao Nobel da Paz IV”

  1. Já não era sem tempo alguem ganhar juizo e tentar uma aproximação pacifica aos problemas internacionais. Vamos ver se deixam o homem fazer alguma coisa, e se não o rasteiram antecipadamente. Aqueles republicanos e alguns democratas são umas encomendas da pior espécie. O problema pior vai ser o Afganistão, com talibans al-quaeda e companhia a não quererem a páz. Barack Obama talvez venha a ser um dos maiores estadistas ,se não o maior do nosso tempo. Gostava de cá estar daqui a dez anos para ver.

  2. Pesso desculpa: falei no homem e ignorei a mulher .Hilary Klinton está a demonstrar uma habilidade e um intuição nas questões internacionais(e talvez das mais dificeis), de fazer inveja a muito negociador empedernido. Por essa minha gafe peço humildemente perdão-maldito machismo latino.Estou também à espera de ver o que se vai passar na frente interna , e oque vai fazer o vice-presidente Joe Byden(não sei se escrevi bem o nome) – se calhar é Bidden.O Bush e a Palin devem estar aos pulos e a morder-se todos.

  3. Rui
    A babilônia volta a estar conectada a Aspirnia B, para aliviar as dores de cabeça de tolices que são produzidas aos milhões da blogsfera.

    Um grande abraço daqui do outro lado, em nova cidade: Recife-Pernambuco e todos felizes pela Copa de 2014 na Terra Brazilis e pela Olimpiadas no Rio de Janeiro em 2016.

    Saludos a todos!!!

  4. Gostei da hipótese da dobradinha, e era muito bom sinal. Mas, tendo em conta a forma como meio mundo reagiu à atribuição deste prémio, desconfio que se os noruegueses repetissem a dose estariam eles próprios a dar início a mais um conflito de difícil resolução. :)

  5. concordo muito com tudo o dito. acho que iste IV de Valupi faz un resumo de todo o bom que falou nos outros . Só engadir que penso que o Afeganastão vai ser a grande demostraçao do nobel, ele vai ter sucesso.

  6. Em relação ao Presidente dos E.U.A. sempre tive tendencia para olhar com dúvidas e desconfiança. Desde a o assassinato de Kennedy o medo impunha-se. Mas Obama, logo de início , até (vamos ser francos)até por ser de outra cor, representou uma rotura com o sistema, e uma esperança que espero não seja falsa. Penso que o comitè Norueguês viu isso e agiu em comformidade.Digam o que disserem Obama representa aquela réstea de esperança e juntamente com aqueles que rodeiam, (vamos ser repetitivos) uma luz ao fundo deste túnel em que estamos todos metidos.Vamos a ver-como diria o meu avô que era míope mas não era parvo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.